Folia de Reis em Carmo da Cachoeira.

Sempre bela e significativa é a entrada dos integrantes da Folia de Reis cachoeirense. Este ano estes fiéis entram cantando pela ala central da Matriz de Nossa Senhora do Carmo, passando entre os devotos que se preparavam para assistir à missa dominical, celebrada com a coordenação do Pároco Padre André Luiz da Cruz. Este momento de fé se encerra com a solenidade da Epifania do Senhor (cf Matheus, 2, 2-12), na tradicional missa das 19 horas nesta Paróquia, é conhecida pelos cachoeirenses, como sendo a "Missa da Comunidade".

Comentários

projeto partilha disse…
Dona Alice, a matriarca da família coordenadora do evento, é moradora tradicional da Avenida Domingos Ribeiro de Rezende (Mingutinha), e uma das vizinhas do Santuário Mãe Rainha em Carmo da Cachoeira. Com alegria e entusiasmo chegou no templo com a foto do evento mãos. No dia 6 o grupo, logo ao amanhecer saiu cantando pelas ruas da cidade. Entravam nas casas que mantêm a tradição de montar "o presépio". Seguindo um ritual próprio, pede licença e saúda o MENINO DEUS recém-nascido. A realização do evento coube a seu filho, do qual ela se engrandece. Dona Alice é procurada pelas mães que buscam a cura de seus filhos através de chás, de ervas. Este grupo é CACHOEIRENSE. Este ano, como pudemos ver, Carmo da Cachoeira recebeu a visita nas comemorações de fim de ano, dos grupos das vizinhas cidades de Oliveira- Minas Gerais e Três Corações - Minas Gerais e, assim, o Nascimento de Jesus recebeu as homenagens, e o povo garantiu a manutenção de suas tradições. Movimento popular organizado, disponibilização de recurso público.
leonor rizzi disse…
Errata. Ao digitar o comentário anterior, houve a omissão do termo, "SEM". Assim, o texto informa que o evento ocorreu SEM UTILIZAÇÃO DE RECURSO PÚBLICO.
projeto partilha disse…
"A Pátria não é de ninguém, são todos. Não é uma seita, não é um monopólio, nem uma forma de governo. É o céu, o solo, o povo, as tradições, a consciência, o lar, o berço dos filhos, o túmulo dos antepassados, a comunhão da Lei e da Liberdade". RUI BARBOSA.
projeto partilha disse…
"Meu Deus! tanta gente! Onde
vamos e como vamos atravessar
esta multidão? Formigas sem
número e sem fim! Realmente
Ptolomeu, belas coisas nos fazes
desde que teu pai está entre os
deuses. Acabaram-se os gatunos
que roubam quem passa,
escapando-se à egípcia ... (uma
coluna de cavaleiros alcança o
mulheres. Empurrões). Gorgô
querida, que vai ser de nós? Os
cavalos de armas de rei! Ainda
bem que o pequeno ficou em
casa".
Citin Bonnard (1972:234)

Rhakotis e Faros. "Em plena terra do Egito, oposta a Faros, ficava a aldeia de Rhakotis, onde hoje se levanta o Pilar de Pompeu. Esta aldeia, segundo evidências arqueológicas sugerem já existir desde o Séc. XIII BC, mas pouco se ouviu falar de FAROS e RHAKOTIS, uma vez que todo o Antigo Egipto se desenvolveu ao longo do Nilo. Provavelmente Rhakotis (...) aldeia de pescadores.
Biblioteca de Alexandria.

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.