Pular para o conteúdo principal

A antiga chave.

Ajude-nos a contar a história de Carmo da Cachoeira. Aproveite o espaço "comentários" para relatar algo sobre esta foto, histórias, fatos e curiosidades. Assim como casos, fatos e dados históricos referentes a nossa cidade e região.

Próxima imagem: Detalhe de uma antiga chave.
Imagem anterior: Os fundos da Casa Nova dos Rates.

Comentários

Anônimo disse…
Foto de Evando Pazini. Esta tomada mostra a parte posterior da chave, onde o emblema da família não está grafado. TS Bovaris irá mostrar os detalhes em imagens posteriores, no entanto, pelo manuseio, o emblema encontra-se desgastado. A cor vermelha central praticamente sumida. Parece-nos que haverá possibilidade de reconstrução e reconhecimento. As fotos foram feitas com lentes especiais.
Anônimo disse…
Artur é um residente em Carmo da Cachoeira, no Sul de Minas Gerais, Brasil. Shimani é uruguaia. Artur, Shimani e um grupo de pessoas estão, neste mês de janeiro em Mallorca e enviou de lá correspondência apelativa. O apelo é para que todos, independentemente de credos, religiões, conceitos filosóficos. orem. Orem pelo futuro e pelo Planeta Terra.
O Projeto Partilha se integra a essa comunidade orante e multiplica a informação recebida, lembrando que o que norteia o trabalho dos integrantes do referido projeto são os ensinamentos do Mestre Jesus Cristo e sua voz ressoa com muita força neste momento:
ORAI E VIGIAI ...
ORAI E VIGIAI ...
ORAI E VIGIAI ...
ORAI E VIGIAI ...
ORAI E VIGIAI ...
Cada um fará a sua maneira, os que não tem hábito em orar, poderão fazer silêncio - nobre e eficiente oração, no entanto, buscai todos o Reino de Deus, é o momento e existem irmãos necessitando delas:

PAI NOSSO QUE ESTAIS NO CÉU
SANTIFICADO SEJA O VOSSO NOME
VENHA A NÓS O VOSSO REINO
ASSIM NA TERRA COMO NO CÉU.

Mallorca, 21 de Enero de 2009.

Queridos hermanos:

Les escribimos Artur y Shimani desde Mallorca, España, donde estamos preparando un Encuentro para los grupos de oración de Europa.

Em la noche del martes 20 de Enero, mientras orábamos en un grupo de siete personas, hermanos de Brasil, Uruguay y España, se proyectó la Jerarquia que conecemos como Mainhndra, en su manifestación de la Virgen de Medjugore, la que transmitió un pedido a todos los orantes del planeta:

Yo, Reina de la Paz, aparecida en esta flecha en Mallorca, he venido a anunciarles un mensaje de paz y de fraternidad.

Quiero decirles a todos mis hijos que oréis durante siete dias, para que el Padre conceda la paz y cese la guerra. Si tenéis fe, sucederá. Este es un trabajo en donde la fé se mostrará en cada uno.

Este mensaje llevadlo a la gran red de orantes que hay en el planeta. Este mensaje llevadlo por escrito al sacerdote de la iglesia de Palma de Mallorca y a los obispos de Brasil, Uruguay y España.
Os pido esto para aliviar los sufrimentos que están aconteciendo en Medio Oriente, donde la guerra querrá iniciarse también en otros países; concédanmelo com devoción.

Necessito que en cada uno de esos siete dias, llamemos a un Arcángel para que purifique y limpie la situción de ese lugar en donde acontece la guerra. A vosotros os pido contemplación, devoción y fe. De esta forma permitiremos que las almas jóvenes que allí viven puedan se resguardadas y protegidas.

Sólo pido que la tercera guerra que he anunciado no se pueda ampliar; necessitamos que las fuerzas oscuras no prevalezcan. Yo con mi rayo impidiendo que avanacen y que crezcan. Los gobernantes están siendo influenciados por un pensamiento opuesto a la Paz, a la Misericordia de Dios y a la Voluntad de Dios.

Todas las almas deberán tener cuidado con lo que pronuncien o decreten, porque esa energia se plasmará.

Seguid unidos orando a Mi Corazón. Estoy entre vosotros y agradezco por haber respondido a Mi llamado.

Como sabemos, este pedido nos incluye a todos, independientemente de credos, religiones o conceptos filosóficos, ya que la paz es imprescindible para la estabilidad y el lfuturo de nuestro planeta.

Invitamos a los que sientem asumir este proceso, unirse en oración.

En unión y paz,

Artur y Shimani.
Anônimo disse…
O Projeto Partilha ora:


"Pai - Mãe, respiração da Vida,
Fonte do som, Ação sem
palavras, Criador dos Cosmos!
Faça sua Luz brilhar dentro
de nós, entre nós e
fora de nós para que
possamos torná-la útil.

Ajude-nos a seguir nosso
caminho, respirando
apenas o sentimento
que emana do Senhor ...

... Nosso Eu, no mesmo
passo, possa estar com o
Seu, para que
caminhemos como Reis e
Rainhas com todas as
outras criaturas.

Que o Seu e o nosso
desejo, sejam um só,
em toda a Luz, assim
como em toda existência
individual, assim como em
todas as comunidades ...

... Faça-nos sentir a alma
da Terra dentro de nós,
pois, assim, sentiremos a
Sabedoria que existe em
tudo. Não permita que a
superficialidade e a
aparência das coisas do
mundo nos iluda, e nos liberte de tudo aquilo que
impede nosso
crescimento ...

... Não nos deixe ser
tomados pelo
esquecimento de que o
Senhor é o Poder e a
Glória do mundo, a Canção
que se renova de tempos
em tempos e que a tudo
embeleza. Possa o Seu
amor ser o solo onde
crescem nossas ações.

QUE ASSIM SEJA"
Anônimo disse…
Dona Maria Bernardes da Silva foi casada com Cândido Hermenegildo Branquinho, quarto filho de José Joaquim Gomes Branquinho, portanto, neto de dona Ângela de MORAES Ribeiro (Ribeira/Morais). Maria Bernardes era irmã de Antonio Ribeiro da Silva e de Joaquim Ribeiro da Silva, filha de Antonio Ribeiro da Silva e de dona Maria Joaquina de Góes e Lara. No inventário de sua mãe, no ano de 1824 aparece entre os BENS DE RAIZ, "... terras no Mato Dentro e benfeitorias da fazenda RIO ACIMA, Aplicação de São Gonçalo do Brumado e com terras na Aplicação de Santa Rita ...".

O pesquisador, professor, historiador, José Geraldo Begname, localizou:

- no segundo Livro de Devassa 1734, fl. (não é citada no relatório n.6 - 10/2006, que nos foi enviado), Visita e testemunhos na localidade de CONCEIÇÃO DO MATO DENTRO;

- Livro de Devassa (Z-1) 1738, fl.88, Visita e testemunhos na localidade Rio Acima;

- Livro de Devassa (Z-1 1738, fl.09, Visita e testemunhos na localidade de Itabira (do Mato Dentro). Obs. do Projeto Partilha: no dia 9 de outubro de 1848, através da Lei Provincial n.374, a "Vila de Itabira do Mato Dentro foi elevada à categoria de cidade. Em 1891, Itabira tirou de seu nome a expressão "Mato Dentro";

- Livro de Devassa (Z-4) 1748-1749, fl.111, Visita e testemunhos na localidade de Itabira do Mato Dentro.
Anônimo disse…
"Cada região da terra tem uma alma sua, raio criado que lhe imprime o cunho da originalidade".
JOSÉ DE ALENCAR - "O Gaúcho".
Anônimo disse…
CRIANÇAS

Volte os seus olhos para as crianças que são o futuro do mundo.
Com certeza, você cuida delas com amor e carinho.
Cuidar das crianças com desvelo, amor e atenção obriga a algumas observações.
É incrível, mas existe quem não veja as crianças como seres humanos que vão crescer e devem ser preparadas para um futuro feliz, para si e para a humanidade.
Há quem as observe apenas como um mercado para os seus lucros.
É uma tristeza, bem triste, observar uma criança esperneando, chorando e até batendo no pai para que ele compre, nos supermercados, nas padarias e lanchonetes, inúmeras porcarias que não tem nenhum valor nutritivo.
É inaceitável produzirem guloseimas com atrativos para iludir crianças: pirulito que pinta a língua de azul - lógico que há um corante, será totalmente inócuo?; chicles que dão estalos na boca; balas, de baixa qualidade, acompanhadas de miniaturas de plástico sem nenhum valor educativo; cigarro de chocolate, o gostoso chocolate - induzindo que o cigarro é uma coisa boa. Líquidos para matar a sede que são apenas misturas de água, açúcar, sabores artificiais e corantes.
Pai! Pense na sua responsabilidade. Eduque seu filho. Dê-lhe alimentos naturais.
Observe que, além de tudo, todos esses produtos nocivos são importados e, portanto, tiram empregos dos brasileiros e prejudicam as indústrias nacionais.
Comerciante e pai, esqueça um pouco as vantagens pessoais que possa ter em lucros. Venda apenas o que realmente é nutritivo para as crianças.
Cuidar das crianças, com carinho e amor, é protegê-las da ganância de indústrias inescrupulosas.
Ofereça às crianças todas as condições para que tenham um futuro saudável, num mundo bom para todos viverem.


PROTEGER, CUIDAR DAS CRIANÇAS, COM CARINHO E AMOR É DEFENDÊ-LAS DA GANÂNCIA DE INDÚSTRIAS INESCRUPULOSAS.
Anônimo disse…
João Constantino Pereira Guimarães, irmão de Manuel Constantino Pereira Guimarães, morador no bairro do Lava-pés, um dos extremos de Baependi e pai de Monsenhor Marcos Pereira Gomes Nogueira, foi testemunha de casamento em Baependi. O casamento era de Carolina Umbelina de Paiva, viúva de Joaquim de Oliveira Castro com Vicente Martins da Costa Peixoto, viúvo de Francisca Honória Peixoto Nogueira.
Joaquim de Oliveira Castro era filho de Dâmaso Ribeiro da Silva e Cândida de Oliveira Castro, neto de Felix Ribeiro da Silva e Teresa Mendes do Nascimento. Bisneto do português João Ribeiro da Silva e da paulista Maria Leme da Silva, segundo Silva Leme, 6 , 433, 6-1. O Projeto Compartilhar faz Aporte a referida Genealogia Paulistana, conforme se vê no estudo JOÃO RIBEIRO DA SILVA, casado com Maria BRANCA da Silva.

Ao atualizar os dados, o Projeto Compartilhar possibilitou, através da disponibilização dos dados, o estudo de uma família importante do Sul de Minas. No referido estudo ficaram evidentes os entrelaçamentos através do casamento de famílias de origem portuguesa às paulistanas.
Conferir dos dados no Projeto Compartilhar.

O Projeto Partilha tem desenvolvido seu trabalho e voltado sua atenção a Baependi por vários motivos, um deles, devido sua localização. Lembrando que a Carta geográfica do capitão Inácio de Souza Werneck, 1808, revelada por Basílio de Magalhães e arquivada na Biblioteca Nacional - Rio de Janeiro, entre outras indicações, registra o RIO PRETO, colocando-o na rota de acesso a São João del Rei e daí para Goiás.
Lembrando também que a primeira Sesmaria do lado esquerdo do Rio Paraíba foi doada ao Marques de Baependi, que homenageia sua tia, dando-lhe o nome de Santa Mônica. A segunda sesmaria foi ao Conde de Baependi, que a denominou, "Poço do Rumo".
Anônimo disse…
(...) E no meio do trono, e ao redor do trono quatro estavam vivos, cheios de olhos antes e atrás, sem descanso noite nem dia, dizendo:

"Santo, Santo, Santo, Senhor Deus Todo Poderoso, que era, e é, e está para vir."

Kodosh, Kodosh, Kodosh, Adonai Eloim.
Kodosh, Kodosh, Kodosh, Adonai Eloim.
Kodosh, Kodosh, Kodosh, Adonai Eloim.

Arquivo

Mostrar mais

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.

O quilombo funcionava de maneira organizada, suas leis eram severas e os atos mais sérios eram julgados na Aldeia de Sant’Anna pelos religiosos. O trabalho era repartido com igualdade entre os membros do quilombo, e de acordo com as qualidades de que eram dotados, “... os habitantes eram divididos e subdivididos em classes... assim havia os excursionistas ou exploradores; os negociantes, exportadores e importadores; os caçadores e magarefes; os campeiro s ou criadores; os que cuidavam dos engenhos, o fabrico do açúcar, aguardente, azeite, farinha; e os agricultores ou trabalhadores de roça propriamente ditos...” T odos deviam obediência irrestrita a Ambrósio. O casamento era geral e obrigatório na idade apropriada. A religião era a católica e os quilombolas, “...Todas as manhãs, ao romper o dia, os quilombolas iam rezar, na igreja da frente, a de perto do portão, por que a outra, como sendo a matriz, era destinada ás grandes festas, e ninguém podia sair para o trabalho antes de cump

Tabela Cronológica 10 - Carmo da Cachoeira

Tabela 10 - de 1800 até o Reino Unido - 1815 - Elevação do Brasil a Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves - 1815 ü 30/Jan – capitão Manuel de Jesus Pereira foi nomeado comandante da Cia. de Ordenanças da ermida de Campo Lindo; e ü instalada a vila de Jacuí . 1816 1816-1826 – Reinado de Dom João VI – após a Independência em 1822, D. João VI assumiu a qualidade e dignidade de imperador titular do Brasil de jure , abdicando simultaneamente dessa coroa para seu filho Dom Pedro I . ü Miguel Antônio Rates disse que pretendia se mudar para a paragem do Mandu . 1817 17/Dez – Antônio Dias de Gouveia deixou viúva Ana Teresa de Jesus . A família foi convocada por peritos para a divisão dos bens, feita e assinada na paragem da Ponte Falsa . 1818 ü Fazendeiros sul-mineiros requereram a licença para implementação da “ Estrada do Picu ”, atravessando a serra da Mantiqueira e encontrando-se com a que vinha da Província de São Paulo pelo vale do Paraíba em direção ao Rio de Janeiro, na alt

A família do Pe. Manoel Francisco Maciel em Minas.

A jude-nos a contar a história de Carmo da Cachoeira. Aproveite o espaço " comentários " para relatar algo sobre esta foto, histórias, fatos e curiosidades. Assim como casos, fatos e dados históricos referentes a nossa cidade e região. Próxima imagem: Sete de Setembro em Carmo da Cachoeira em 1977. Imagem anterior: Uma antiga família de Carmo da Cachoeira.

Postagens mais visitadas deste blog

Tabela Cronológica 10 - Carmo da Cachoeira

Tabela 10 - de 1800 até o Reino Unido - 1815 - Elevação do Brasil a Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves - 1815 ü 30/Jan – capitão Manuel de Jesus Pereira foi nomeado comandante da Cia. de Ordenanças da ermida de Campo Lindo; e ü instalada a vila de Jacuí . 1816 1816-1826 – Reinado de Dom João VI – após a Independência em 1822, D. João VI assumiu a qualidade e dignidade de imperador titular do Brasil de jure , abdicando simultaneamente dessa coroa para seu filho Dom Pedro I . ü Miguel Antônio Rates disse que pretendia se mudar para a paragem do Mandu . 1817 17/Dez – Antônio Dias de Gouveia deixou viúva Ana Teresa de Jesus . A família foi convocada por peritos para a divisão dos bens, feita e assinada na paragem da Ponte Falsa . 1818 ü Fazendeiros sul-mineiros requereram a licença para implementação da “ Estrada do Picu ”, atravessando a serra da Mantiqueira e encontrando-se com a que vinha da Província de São Paulo pelo vale do Paraíba em direção ao Rio de Janeiro, na alt

As três ilhoas de José Guimarães

Fazenda do Paraíso de Francisco Garcia de Figueiredo Francisco Garcia de Figueiredo é citado como um dos condôminos / herdeiros da tradicional família formada por Manuel Gonçalves Corrêa (o Burgão) e Maria Nunes. Linhagistas conspícuos, como Ary Florenzano, Mons. José Patrocínio Lefort, José Guimarães, Amélio Garcia de Miranda afirmam que as Famílias Figueiredo, Vilela, Andrade Reis, Junqueira existentes nesta região tem a sua ascendência mais remota neste casal, naturais da Freguesia de Nossa Senhora das Angústias, Vila de Horta, Ilha do Fayal, Arquipélago dos Açores, Bispado de Angra. Deixaram três filhos que, para o Brasil, por volta de 1723, imigraram. Eram as três célebres ILHOAS. Júlia Maria da Caridade era uma delas, nascida em 8.2.1707 e que foi casada com Diogo Garcia. Diogo Garcia deixou solene testamento assinado em 23.3.1762. Diz ele, entre tantas outras ordenações: E para darem empreendimento a tudo aqui declarado, torno a pedir a minha mulher Julia Maria da Caridade e mai

Leonor Rizzi - Biografia

I tu , uma estância turística do Estado de São Paulo , viu nascer em 2 de fevereiro de 1944 a professora e genealogista Leonor Rizzi, uma descendente de imigrantes italianos da região de Gênova , cujos pais foram o ferroviário Diniz Rizzi e a costureira Malvina Demarqui Rizzi . E studou no tradicional Collégio Nossa Senhora do Patrocínio , sob os cuidados das Irmãs de São José de Chambéry ¹ . Aquele local , assim como boa parte de sua terra natal, é constituída de antigos monumentos arquitetônicos oitocentistas. Sendo também catecista e " filha de Maria ". C asou-se em 1964 com o professor Wagner Pereira da Mota e mudaram-se para a cidade de São Paulo em busca de melhores oportunidades de emprego. Lá ela ingressou no magistério público municipal, lecionando em diversos bairros da capital paulista, mas foi principalmente na década de setenta no bairro de Pirituba, no Paque Infantil Piritubinha ² , que desenvolveu uma metodologia de ensino própria que deu origem a obra &quo

Diácono Romário - Ordenação Presbiterial

 A Diocese de Januária, minha família e eu, Diácono Romário de Souza Lima temos a grata satisfação de convidar você e sua família para participarem da Solene Celebração Eucarística, na qual serei ordenado sacerdote pela imposição das mãos e Oração Consecratória do Exmo. Revmo. Dom José Moreira da Silva, bispo diocesano, para o serviço de Deus e do seu povo. Dia 18 de maio de 2022. às 19h, na Catedral Nossa Senhora das Dores em Januária - MG Primeiras Missas 19 de maio às 19hs na Catedral Nª Srª das Dores 20 de maio às 19hs na  Comunidade Santa Terezinha de Januária 21 de maio às 19hs na Comunidade Divino Espírito Santo em Januária Contatos: (38) 99986-6552 e martimdm1@gmail.com Reflexão: João 21, 15 - Disse Jesus a Pedro: "Apascenta meus Cordeiros" Texto de Gledes  D' Aparecida Reis Geovanini O cordeiro é o filhote da ovelha. É conhecido como dócil, manso, obediente. É o símbolo da obediência e submissão. Apascentar refere-se a alimentar, cuidar, proteger e orientar, fu

A Família Campos no Sul de Minas Gerais.

P edro Romeiro de Campos é o ancestral da família Campos do Sul de Minas , especialmente de Três Pontas . Não consegui estabelecer ligação com os Campos de Pitangui , descendentes de Joaquina do Pompéu . P edro Romeiro de Campos foi Sesmeiro nas Cabeceiras do Córrego Quebra - Canoas ¹ . Residia em Barra Longa e casou-se com Luiza de Souza Castro ² que era bisneta de Salvador Fernandes Furtado de Mendonça . Filhos do casal: - Ana Pulqueria da Siqueira casado com José Dias de Souza; - Cônego Francisco da Silva Campos , ordenado em São Paulo , a 18.12. 1778 , foi um catequizador dos índios da Zona da Mata ; - Pe. José da Silva Campos, batatizado em Barra Longa a 04.09. 1759 ; - João Romeiro Furtado de Mendonça; - Joaquim da Silva Campos , Cirurgião-Mor casado com Rosa Maria de Jesus, filha de Francisco Gonçalves Landim e Paula dos Anjos Filhos, segundo informações de familiares: - Ana Rosa Silveria de Jesus e Campos , primeira esposa de Antônio José Rabelo Silva Pereira , este nascido

A origem do sobrenome da família Rattes

Fico inclinado a considerar duas possibilidades para a origem do sobrenome Rates ou Rattes : se toponímica, deriva da freguesia portuguesa de Rates, no concelho de Póvoa de Varzim; se antropomórfica, advém da palavra ratto (ou ratti , no plural), que em italiano e significa “rato”, designando agilidade e rapidez em heráldica. Parecendo certo que as referências mais remotas que se tem no Brasil apontam a Pedro de Rates Henequim e Manoel Antonio Rates . Na Europa antiga, de um modo geral, não existia o sobrenome (patronímico ou nome de família). Muitas pessoas eram conhecidas pelo seu nome associado à sua origem geográfica, seja o nome de sua cidade ou do seu feudo: Pedro de Rates, Juan de Toledo; Louis de Borgonha; John York, entre outros. No Brasil, imigrantes adotaram como patronímico o nome da região de origem. Por conta disso, concentrarei as pesquisas em Portugal, direção que me parece mais coerente com a história. Carmo da Cachoeira não é a única localidade cujo nome está vincul

Foto de família: os Vilela de Carmo da Cachoeira-MG.

A jude-nos a contar a história de Carmo da Cachoeira. Aproveite o espaço " comentários " para relatar algo sobre esta foto, histórias, fatos e curiosidades. Assim como casos, fatos e dados históricos referentes a nossa cidade e região. E sta foto foi nos enviada p or Rogério Vilela. Da esquerda para a direita: Custódio Vilela Palmeira, Ercília Dias de Oliveira, Fernando de Oliviera Vilela, Adozina Costa (Dozica), Jafoino de Azevedo e José de Oliveira Vilela (Zé Custódio). Imagem anterior: Sinopse Estatística de Carmo da Cachoeira - 1948

Antiga foto da cidade de Carmo da Cachoeira.

A jude-nos a contar a história de Carmo da Cachoeira. Aproveite o espaço " comentários " para relatar algo sobre esta foto, histórias, fatos e curiosidades. Assim como casos, fatos e dados históricos referentes a nossa cidade e região. Foto: Paulo Naves dos Reis Próxima imagem: Imagem da mata da fazenda Caxambu em Minas. Imagem anterior: Um pouco sobre a região do distrito de Palmital.

Corpus Christi em Carmo da Cachoeira 2022

 A Comunidade São Pedro de Rates na Solenidade de Corpus Chisti Celebrando Corpus Christi a Comunidade São Pedro de Rates participou da confecção dos tapetes coloridos nas ruas de Carmo da Cachoeira para a passagem de Jesus Eucarístico pela procissão de Corpus Christi juntamente com toda a Paróquia Nossa Senhora do Carmo. Figuras da Sagrada Eucaristia, Divino Espírito Santo, do Cálice da Ceia e demais motivos eucarísticos embelezam as vias graças aos voluntários das diversas comunidades urbanas e rurais da Paróquia Nossa Senhora do Carmo na Diocese da Campanha em Minas Gerais. Celebrando a festa de Jesus presente na Eucaristia, sobretudo fazendo memória à Quinta-Feira Santa e o início da Eucaristia, no Pão e no Vinho, este dia nos remete uma verdadeira gratidão que nós cristãos devemos ter pelo grande mistério da morte e ressurreição de Cristo, Nosso Senhor. Ao desenhar símbolos religiosos nas ruas cachoeirenses, o povo se une em torno da arte e fé.  Simbolicamente retira a intermediaç

Cemitério dos Escravos de Carmo da Cachoeira

Ativistas culturais preservam nossa memória histórica Fernão Dias Paes Leme  corajosamente embora velho, atendendo ao apelo de seu rei, juntou seus índios agregados e com os seus dois filhos, com seu genro, e alguns amigos que acreditaram nele, partiu de São Paulo chefiando a maior bandeira paulista, entrando no sertão em busca da Lagoa Encantada onde estariam as tão sonhadas esmeraldas. Nesta louca aventura, o Governador das Esmeraldas foi plantando roças e deixando atrás de si “pousos”, para que outros bandeirantes pudessem sobreviver na impiedosa selva pontilhada de perigos. O sertão do Campo Grande estava localizado no trajeto dos bandeirantes quando, em 1739 , Marta Amato encontrou informações de que pertenciam a Carrancas (Freguesia de Nossa Senhora da Conceição das Carrancas ) dois cemitérios que pertenciam a essa freguesia, na Comarca do Rio das Mortes : cemitério do Campo Belo e cemitério do Deserto Dourado (hoje São Bento Abade ) . Segundo Tarcísio José Martins (1995, 1ª