Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de janeiro, 2022

Poema acróstico: 150 anos da Paróquia do Carmo

Paróquia Nossa Senhora do Carmo Carmo da Cachoeira - Minas Gerais Maria Amélia da Paixão Oliveira declama um poema do acadêmico José Keitel Ribeiro. captação e edição de som: João Paulo Alves Costa - DejCia edição de vídeo: Rícard Wagner Rizzi patrocínio: carmodacachoeira.net Letra da homenagem aos 150 anos da Paróquia P arabéns minha Paróquia A sua data estamos a festejar R ogamos aos céus, O ramos a Deus, para Q ue, por toda a nossa trajetória, U nânime, os I rmãos paroquianos A lcancem a felicidade plena. D eus esteja conosco E com todos os seres deste Mundo. N a sua perene e O rdeira existência, a S enhora, com toda bondade, S empre nos manteve unidos, A mparando-nos e nos protegendo. S anta seja a sua presença, E naltecida e louvada N esta data festiva. H oje, como em todos os dias, O ramos por nós e pelo próximo, R eacendendo a esperança de A ngariar a paz que todo ser merece. D entre tantas orações, lhe O fertamos esta, em especial. C ento e cinquenta anos de vida útil, A jud

Ave Maria na Igreja Matriz N. Srª. Carmo

Recital de Piano e Canto em Carmo da Cachoeira Além do pianista Francis Vilela e das mezzo-sopranos Larissa Amaral e Maisa Nascimento, durante a apresentação do tema Berceuse da Suíte Dolly, de Gabriel Fauré houve a participação especial do pianista Hélcio Barone Júnior, formado pela Escola de Comunicação e Artes da Universidade São Paulo. Um momento especial, raro, em que os espectadores puderam apreciar uma apresentação de pianos a quatro mãos. A Ave Maria, ou ave-maria, também chamada de Saudação Angélica, é uma oração, que saúda a Virgem Maria baseada nos episódios da Anunciação e da Visitação (Lucas 1:28-42). Segundo São Luís Maria Gringnon de Montfort, cada vez que se reza a Ave Maria, a Virgem Maria no céu louva a Deus por nós com seu canto, o Magnificat  A Ave Maria é repetida várias vezes na recitação do Santo Rosário, uma oração completa, porque nela reside a história da nossa salvação ao meditar os mistérios da vida de Jesus e Maria; incluindo as orações, do Credo; o Pai Nos

Hino do Centenário de Carmo da Cachoeira

letra: Haroldo Ambrósio Caldeira música: Álvaro Arcanjo Athaíde interpretação: Glória Caldeira teclado: Teresa Maciel do Nascimento estúdio de som: João Paulo Alves Costa - DjeCia edição de vídeo: Rícard Wagner Rizzi Letra do Hino do Centenário Cem anos de existência bem vivido Cantemos este hino de alegria Saudando essa data memorável do nosso centenário nesse dia. Cachoeira, Carmo da Cachoeira, Berço de um povo acolhedor Ergue hoje um pavilhão Rendendo Graças ao Senhor.

Poema a Paróquia Nossa Senhora do Carmo

Um poema de José Keitel Ribeiro Viva a nossa Matriz por sua existência feliz nesses 150 anos. Viva a nossa padroeira que, por essa vida inteira protegeu nossos paroquianos. Nossa Senhora do Carmo seja nesse dia que o povo festeja a nobre aniversariante. Louvada em seu resplendor com fé, esperança, amor e doce alegria contagiante. Os párocos, os devotos, as crianças por tantas e tantas bonanças externam seus agradecimentos. Quantas missas, quantos batizados, quantos eventos celebrados, quantos felizes casamentos. Festejemos seu aniversário tocando as contas do rosário numa oração para a vida. Com nossa inquebrantável fé rezemos unidos de pé um louvor a Santa querida. Viva este dia de glória marcante para nossa história e para Carmo da Cachoeira. Viva nossa bela igreja benta ela sempre seja por sua santa padroeira. Sobre o autor do poema Marcio de Oliveira Naves , autor do romance autobiográfico Cavucando o Passado  disponibilizado gratuitamente às fls. 79 fala-nos sobre seus avós mater

Retrato de Minha Terra - Carmo da Cachoeira

Poema de Marília de Lourdes Rezende Bittencourt Cachoeira de Nossa Senhora do Carmo Da família Rates De gente Que sempre honrou seu nome. Cachoeira de escritores, poetas, De políticos, coronéis, Que contam e cantam a sua história. Cachoeira dos grandes cafezais, De apanhadores de café De mãos calejadas, Que ao alvor da aurora Saem cantando Pra ganhar o pão de cada dia. Cachoeira de gente confiante, trabalhadora, Que luta pelo seu progresso, Para vê-la brilhando No cenário dos pais. Cachoeira de jovens esperançosos, Que confiam e esperam, um dia, Estudar, lutar, vencer, Pra no futuro, Engrandecer o nome de sua terra. Cachoeira alegre, hospitaleira, De gente amiga e acolhedora Que recebe o visitante De braços abertos. Cachoeira de todos nós, Velhos, jovens, crianças, Que trazem dentro do coração, A esperança de dias melhores. É por isso e muito mais Que eu te amo, Minha Carmo da Cachoeira! Pequenina, mas gigante, Porque o amor de seu povo É maior que o céu, que o mar, Que o infinito! Car

Música a Nossa Senhora do Carmo

Composição:  Luiz Antônio Naves (Frota) e Francisco Vitor do Nascimento  Interpretação:  Luiz Antônio Naves (Frota) e Lázaro Mantovani (Zico) Estúdio:  João Paulo Costa — DjeCia Arte: Maurício José Nascimento Edição de vídeo: Rícard Wagner Rizzi Patrocínio: carmodacachoeira.net Gravado por ocasião do Sesquicentenário da Paróquia Nossa Senhora do Carmo de Carmo da Cachoeira, Minas Gerai. LETRA Eu peço a Nossa Senhora do Carmo Que ilumine a sociedade para que trate a raça negra com amor e lealdade. Esqueçamos nossos orgulhos, a nossa discriminação, seja branco ou seja negro nós todos somos irmãos. Oh! Virgem Santa querida, quanto dói meu coração as lembranças do sofrimento do medo da escravidão. Nossa Senhora do Carmo. Oh! Minha Santa querida. Derramai Vossas bênçãos e ilumina nossa vida. Vós que sois, oh! Virgem Santa pura, meiga e venerada. Olhai para a raça negra que é tão discriminada. Eu quero fazer um apelo, em nome dos operários, que o governo e os ministros corrijam nossos sal

Navio Negreiro por Ana Paula da Silva Benedito

Fragmentos de Navio Negreiro do poeta Castro Alves interpretado por Ana Paula da Silva Benedito , gravado no Estúdio DjeCia , dirigido por João Paulo Costa por ocasião do lançamento de CD comemorativo ao Sesquicentenário da Paróquia Nossa Senhora do Carmo - Carmo da Cachoeira, Diocese da Campanha, Minas Gerais. As festividades ocorreram no ano de 2007, quando a sociedade civil e religiosa, de mãos dadas, abraçou o projeto cultural de valorização de nossas produções e contribuiu para proteger e valorizar as coisas de nossa terra. Foi a forma por nós encontrada de construir uma comunidade e um país melhor. Trouxemos Castro Alves para fazer parte do CD comemorativo como forma de manifestar nossa gratidão  aos que por aqui passaram e viveram a época que antecedeu ao que, historicamente, chamamos de “Deserto Desnudo” , isto é, a época em que houve a intervenção do Cap. Antônio Francisco França nos Quilombos do Campo Grande , segundo apontamentos gerados a partir das atas da  Guardamoria

Canção de Minha Cidade - Carmo da Cachoeira

Música: Canção de Minha Cidade Autoria: Joel Garcia Perreira Assobio: Manoel Fereira Dias (Neca) Teclado: Gilmar Vilela de Oliveira (Zola) Estúdio: João Paulo Costa - DjeCia Arte: Maurício José Nascimento Edição: Rícard Wagner Rizzi - carmodacachoeira.net Gravado por ocasião dos 150 anos da Paróquia Nossa Senhora do Carmo de Carmo da Cachoeira - Minas Gerais Um pouco sobre a música A letra original foi classificada em 2º lugar no Primeiro Festival Encanto da Viola em Carmo da Cachoeira, em1986. Segue a letra, abaixo. No vídeo publicado no YouTube estão algumas frases que foram publicadas no site carmodacachoeira.net. Joel Garcia Pereira é o autor da letra original, singelas e doces palavras que ilustram sua terra amada. A música que a acompanha também foi escrita por ele e, ficou imortalizada nas vozes dos irmãos Joel Garcia Pereira, Jovâne Garcia Pereira e Jobson Garcia Pereira, filhos de Antônio Garcia Pereira, o Tuniquinho, e Maria da Conceição Garcia. No vídeo, o assobio de Neca. L

O Tropeiro de Carmo da Cachoeira

Poema Tropeiro de Antônio Carlos Reis da Rocha Locução: Carlos Alberto Caldeira Viola: Gilmar Vilela de Oliveira (Zola) Estúdio: João Paulo Costa - DjeCia Ilustrações: Maurício José Nascimento Patrocínio: carmodacachoeira.net André, o tropeiro desta história é filho de Joaquim Fernandes Reis, o Quinzinho e Mariana Reis Certa feita, em um pouso, com a tropa a descansar Estava André o velho tropeiro Junto ao fogo, seu café a passar Ia para o Rio de Janeiro Levando produtos de Carmo da Cachoeira Lá do interior da terra mineira De repente um tropel de cavalo ouviu E à sua frente um cavaleiro surgiu Disse-lhe o homem; tropeiro, bom dia A ferragem de meu animal pode verificar? E apeando com elegância e fidalguia Começou com ele a prosear Bem à frente de sua comitiva, o cavaleiro solitário Querendo sua saudade matar Pede ao tropeiro para em um couro repousar Após ter repousado E o café do tropeiro tomado Senta-se junto ao fogo e sua história foi contando E após um bom tempo, sua comitiva foi

Na simplicidade e na espontaneidade se sente a Luz

Maria das Graças Zaurizio Santos ( Graça), a coordenadora do Coral Infanto-Juvenil passa no " Santuário de Mãe Rainha de Carmo da Cachoeira", acompanhada de Vivian, Lucas e Karine. O grupo voltava de um encontro com Tereza Maciel , coordenadora do Ministério de Música e, estiveram reunidos para definição do que cantar na Missa do próximo segundo domingo de junho, nas Terras de São Pedro de Rates . Vendo Ykimu,  a gatinha protegida pelo "Santuário",  Graça diz: " Alguém, fez a diferença na vida desta gatinha " e, conta uma parábola sobre o atirador de conchinhas em um ato de puro amor a vida, isto aconteceu de manhã. Naquela mesma tarde, no mesmo lugar, uma vovó vem trazer a netinha para a aula de catequese . Diz: " o Gabriel, irmão da Ana Vitória, tem mostrado seu lado devocional. Ontem a noite, lembrou-se de Nossa Senhora das Dores e me pediu para rezar o terço com ele, na intenção daqueles que sofrem. " A Comunidade ouve muitas partilhas

Hino do Sesquicentenário de Carmo da Cachoeira

Letra: Padre Dr. Antônio de Oliveira Godinho . – 3 de julho de 1957 - download da música em MP3 Há cento e cinquenta anos atrás Nesta terra mineira Procedeu-se ao batismo De Carmo da Cachoeira. Um ranchinho de barro, A ermida pequenina, À beira de uma estrada No alto da Colina. E a Senhora do Carmo Com seu manto de amor Estendia seus braços Sobre os campos em flor. Estribilho O!! Cidade Querida, Neste teu sesquicentenário, Teus filhos te auguram: “Feliz aniversário!” O ranchinho cresceu, A ermida é matriz, Abrigando em seu seio Este povo feliz. Da família mineira Já entramos na história, São cento e cinquenta anos de lutas, E cento e cinquenta anos de glórias. Ó Senhora do Carmo, Ó Gentil Padroeira, Serás sempre a Rainha De Carmo da Cachoeira. Irmanados na fé A nós todos legada, Cachoeirenses, de pé! Para a nova Jornada. Vídeo do Hino do Sesquicentenário do Município de Carmo da Cachoeira Música: Jovane e Tiãozinho - Teclado: Jobinho - Partitura: Rôcival Alves Ferreira A história por t

Biografia de Maria Antonietta de Rezende

Tendo como berço Carmo da Cachoeira, Maria Antonietta Rezende , nasceu a 9 de outubro de 1934 no seio de uma das mais tradicionais famílias do município – a Família Rezende . A professora Maria Antonietta deixou seu legado, o “modelo de compromisso e envolvimento com a terra em que nasceu” . Trabalhou consciências, procurando desenvolvê-las, elevá-las. Fazia isto com seus alunos, com os componentes dos grupos musicais que coordenava, com as crianças ligadas à Igreja, enfim, com toda população. Foi um exemplo vivo de “compromisso com a tradição” e um elo da longa corrente que chegou até nós neste ano comemorativo. Fez sua parte. Nós fazemos a nossa – manter a tradição. No dia-a-dia deixou o exemplo de vida e através de publicações, sua visão de mundo. Editou “Evocações daqui e de além” , “Encontro e desencontros” e “Coletânea de hinos litúrgicos” . Dedicou sua vida ao estudo, à educação e à sua Igreja, como catequista, cantora e liturgista. Patrick A. Carvalho, ao prefaciar sua obra “