Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2009

Esclarecimento sobre a Fazenda da Serra.

S egundo o 21° Anuário Eclesiástico da Diocese de Campanha , em texto cuja autoria é atribuída ao Monsenhor Lefort , o mais antigo documento que se tem conhecimento a respeito de Nossa Senhora do Carmo em Carmo da Cachoeira é um registro de casamento colhido pelo genealogista Ari Florenzano , que transcrevemos: “ Aos onze dias do mês de novembro do ano de mil oitocentos e dezenove , na Ermida de Nossa Senhora do Carmo da Fazenda da Serra do Carmo da Cachoeira , desta freguesia de São João Del Rey , receberam em matrimônio os contraentes Jerônimo José Rodrigues , viúvo que ficou pelo falecimento de sua primeira mulher Ana Joaquina de Jesus , com Antonia Maria de Assunção , filha legítima de Tomaz Mendes e Juliana Maria de Almeida , natural e batizada na freguesia de Santa Rita, filial desta Matriz de São João Del Rey ”. S e observarmos com atenção o que está escrito no registro, verificamos que a tal ermida se localizava na “ Fazenda da Serra, na Freguesia de São João Del Rei ”. Ora,

Repensando o turismo religioso.

de: SÉRGIO DOS SANTOS 4þ "O Turismo Religioso não é, necessariamente, um turismo feito por religiosos, místicos, santos populares,devotos e sacerdotes/profissionais de qualquer credo ou confissão religiosa. O adjetivo “religioso” deve serreconhecido em sua amplitude espiritual e metafísica, embora esteja perigosamente comprometida com aperspectiva cristã – responsável pela sistematização desse significante, no universo do Império Romano eda Igreja Católica. Portanto, a correta definição para esse tipo de turismo encontra-se num exercícioaproximativo. Trata-se de um fazer turístico capaz de manifestar algum dado de religiosidade. E éexatamente na religiosidade – no ato popular de professar o sistema de crenças chamado de Religião – queo Turismo Religioso pode ser comparado às peregrinações e romarias aos lugares sagrados, em momentostambém sagrados". (Prof. Dr. Christian Dennys Monteiro de Oliveira) ----------------------------------- Prezados amigos, penso que a opinião do

Antiga ilustração de cena bíblica: Jesus e Judas.

A jude-nos a contar a história de Carmo da Cachoeira. Aproveite o espaço " comentários " para relatar algo sobre esta foto, histórias, fatos e curiosidades. Assim como casos, fatos e dados históricos referentes a nossa cidade e região. acervo da Fazenda da Serra Foto: Evando Pazini - 2007 - Arte: TS Bovaris Próxima imagem: Córrego de águas puras da em fazenda mineira. Imagem anterior: Homens em traje típico da Congada Mineira.

Córrego de águas puras da em fazenda mineira.

A jude-nos a contar a história de Carmo da Cachoeira. Aproveite o espaço " comentários " para relatar algo sobre esta foto, histórias, fatos e curiosidades. Assim como casos, fatos e dados históricos referentes a nossa cidade e região. Fazenda dos Tachos - Carmo da Cachoeira, MG Foto: Evando Pazini - 2007 - Arte: TS Bovaris Próxima imagem: Imagem barroca do Cristo Morto no Sul de Minas. Imagem anterior: Antiga ilustração de cena bíblica: Jesus e Judas.

Imagem barroca do Cristo Morto no Sul de Minas.

A jude-nos a contar a história de Carmo da Cachoeira. Aproveite o espaço " comentários " para relatar algo sobre esta foto, histórias, fatos e curiosidades. Assim como casos, fatos e dados históricos referentes a nossa cidade e região. Fazenda dos Tachos - Carmo da Cachoeira, MG Foto: Evando Pazini - 2007 - Arte: TS Bovaris Próxima imagem: Cena típica da tradicional Minas Gerais. Imagem anterior: Córrego de águas puras da em fazenda mineira.

O Santuário, a pureza de espírito e o comércio.

U m dos " pontos interessantes " de Carmo da Cachoeira , Minas Gerais , é o Santuário Mãe Rainha de Carmo da Cachoeira ( mapa ) . O cachoeirense entende o local como sendo um espaço comunitário e que o conduz a sintonia com a devoção a Nossa Senhora, Santíssima Mãe de Nosso Senhor Jesus Cristo . E ste caráter de universalidade da imagem da Mãe, que está diuturnamente aberta ao acolhimento e perdão, eleva e dignifica a todos. Os que por ali passam saúdam a figura da mãe e seguem sua trajetória sentindo-se abençoados. Muitos deixam aí suas confidências, algumas revestidas de dor, outras de alegria. São encontros "de rua", rápidos, descontraídos, descomplicados. É um encontro marcado pela compreensão, singeleza, aceitação, perdão e bençãos. Pura sintonia com energias internas superiores. São mães com crianças no colo a caminho das creches, são trabalhadores com seus "bornais" e ferramentas a caminho dos labores diários, são crianças com livros, enfim, um pon

Homens em traje típico da Congada Mineira.

A jude-nos a contar a história de Carmo da Cachoeira. Aproveite o espaço " comentários " para relatar algo sobre esta foto, histórias, fatos e curiosidades. Assim como casos, fatos e dados históricos referentes a nossa cidade e região. Grupo de Congada de Oliveira, Minas Gerais em visita a Carmo da Cachoeira . Foto: Maria do Carmo - Arte: TS Bovaris Próxima imagem: Antiga ilustração de cena bíblica: Jesus e Judas. Imagem anterior: Ilustração de antiga Bíblia latina de fazenda.

Pontos interessantes de Carmo da Cachoeira.

Conheça a localização de alguns dos principais pontos de referência da cidade de Carmo da Cachoeira, e aproveite para conhecer nosso arquivo de mapas .

Documento de Demarcação de terras de 1911.

J oaquim Gregório de Figueiredo e Pedro Juvencio de Sousa foram testemunhas em no abaixo assinado que se segue: Dissemos nós abaixo assinados Augusto Ribeiro Naves e sua mulher dona Olímpia Generosa dos Reis , que sendo senhores possuidores de uma sorte de terras no lugar denominado ESTALEIROS - Freguesia do Carmo da Cachoeira , Comarca de Varginha , com as divisas seguintes: começando na beira do córrego, em uma (orelha de burro?) onde ha uma cova, por esta acima beirando (ilegível) , em seguida a uma massaranduva até onde encontrar numa cova, no meio do matto; volvendo-se, digo, divisas com Messias de Tal ; volvendo à direita, sahindo do matto, em uma samambaia, em rectas à um jacaranda, divisas de Cyrino Rodrigues da Silva , e deste, em recta do córrego em uma cova, a beira do barranco, dividindo com Senhorinha Maria de Jesus (Sinhorinha) e pelo córrego acima até onde teve principio e fim esta demarcação, dividindo com os herdeiros de Domingos Alves Teixeira . Carmo da Cach

Retificação de área da Fazenda das Três Barras

E scriptura de retificação (...) Manoel Pinto Teixeira . Saibam quantos este publico instrumento de escriptura de retificação, 1914 , districto do Carmo da Cachoeira , Comarca de Varginha , Estado de Minas Gerais (...) trinta alqueires de oitenta braças quadradas, a qual houve por sucesssão de seo finado pai Domingos Alves Teixeira (...) consiste em terras sita na Fazenda das Três Barras , deste districto, e possuem livres e desembaraçadas, sendo que suas divisas, começando na barra do corregosinho do pedregulho fazendo barra com o córrego do saltador, e por este dividindo com Ceryno da Costa Ramos e com os mais confrontantes Messias de Tal, Anna Ceryna , Joaquim da Costa Ramos e Maria Teixeira dos Reis até encontrar uma cerca de vasão em rumo à um vallo que cerca a invernada do pedregulho, e pela cerca acima em seguimento no vallo dividindo com o fundo do vallo digo, do cafezal de Augusto Ribeiro Naves (...) Projeto Partilha - Leonor Rizzi Próxima matéria: Documeno de Dema

Casa de José Celestino Terra em Minas Gerais.

C asa ¹ construída na praça do Carmo , esquina com a Rua Dom Inocêncio , à direita de quem desce, ou melhor, sentido poente à direita. “ (...) situada na sede da Freguesia do Carmo da Cachoeira , no Largo da Matriz , divisando com a rua que vae ter na cadeia e pela frente com o referido Largo da Matriz (...) , quintal esse, todo murado que o transmitente, Cônego Antônio Joaquim Fonseca , houve de José Celestino Terra . Testemunhas, João Urbano de Figueiredo e João Evangelista da Silva Frota . Eu, Antônio Villela Nunes , tabelião. Varginha , 22 de novembro de 1925 ”. Comprador, Francisco de Assis Reis ² . A casa foi demolida. J osé Celestino Terra , cujo nome aparece durante muitos anos assinando o livro Fábrica da Paróquia. É citado pelo genealogista Paulo Costa Campos em sua obra Dicionário Histórico e Geográfico de Três Pontas : “Em 1862 foram feitas doações das terras, para edificação da ermida, sob o orago da Senhora Santana. A tradição diz que as doações foram feitas por P

Ilustração de antiga Bíblia latina de fazenda.

Si non amat Dominum Jesum Christum Anathema sit. N. S. Jesus Chisto Ego sum via, veritas et vita. Fazenda dos Tachos - Carmo da Cachoeira, MG Foto: Evando Pazini - 2007 - Arte: TS Bovaris Próxima imagem: Homens em traje típico da Congada Mineira. Imagem anterior: Janela oitocentista sul-mineira da fz. da Serra.

As bandeiras paulistas de Pinhal em Minas.

(...) dr. José Joaquim de Morais (...) a que tudo assistiu a Câmara em corporação reunida à comissão da Câmara Municipal de Espírito Santo do Pinhal tte. Vicente Gonçalves da Silva , alferes José Theodoro Garcia Leal , e Francisco Bernardes de Oliveira Mineiro . (E mais:) As bandeiras paulistanas, segundo roteiros da época, partiam da sede da capitania, dirigiam-se a Juquerí , transpunham o morro do Lopo , chegavam até poucos km de Mogi-Guaçu em território pinhalense, onde a estrada dividia-se em dois ramos: um que se dirigia a Ouro Fino e outro seguindo para Baependi , atravessa os rios Cervo , Sapucaí e Verde , rasgando os sertões de Camonducaia e superando o morro do Caxambu. As que destinavam a Goiaz possuíam dois caminhos, que partiam do Rio de Janeiro e de São Paulo. (...) Do livro " Álbum de Itapira " de João Netto Caldeira às páginas 59 a 61: "Em 21 de Maio de 1881 a edilidade endereço à Assembléia Legislativa uma representação (...) ". Projeto Par

A Boa Vista de Carmo da Cachoeira.

O topônimo “ Paragem do Ribeirão da Boa Vista ”, expressão que compõe o título do Livro ¹ de Mourão publicado em 2007, sobre a história de Carmo da Cachoeira , nunca existiu no município. As expressões corretas são ” Paragem da Boa Vista ” ou simplesmente “ Boa Vista ”. É dessa forma que os topônimos aparecem nos primeiros documentos oficiais, de que se tem notícia. A expressão “ Paragem da Boa Vista ” aparece pela primeira vez na Carta de Sesmaria de João Dias de Gouveia , filho de Antonio Dias de Gouveia , concedida em 27 de junho de 1786 , “ na Paragem da Boa Vista, Freguesia de Lavras do Funil ” ² . Nessa sesmaria João Dias de Gouveia fundou a fazenda da Chamusca . A expressão “ Boa Vista ”, por outro lado, aparece como referência na Carta de Sesmaria de José Joaquim Gomes Branquinho , concedida em 09 de julho de 1795 , nas “ Cabeceiras da Sesmaria Boa Vista ” ³ . Nessa sesmaria, que se situava nas cabeceiras da sesmaria de João Dias de Gouveia, José Joaquim Gomes Branquinho

Janela oitocentista sul-mineira da fz. da Serra.

O trecho da história que é domínio de todo cachoeirense sobre a Fazenda da Serra nos reporta a Antonio Justiniano dos Reis , filho de Gabriel dos Reis Silva , casado em São Thomé das Letras com Bazilissa , filha do Alferes Luiz Gonzaga Branquinho , neta de José Joaquim Gomes Branquinho e bisneta de Ângela Ribeiro de Moraes . D os filhos de Gabriel e Bazilissa: José dos Reis e Silva , no ano de 1871 , casou-se em Carmo da Cachoeira com sua prima, filha de Maria Cândida dos Reis Branquinho ; Manuel dos Reis Silva Sobrinho, o Manoel Branquinho , nasceu em Carmo da Cachoeira e foi proprietário da Fazenda Saquarema; Antonio Justiniano dos Reis, nascido em 1846, foi proprietário da Fazenda da Serra; Ana Cândida Branquinho (que nos reporta de José Pinto Mesquita e a professora e diretora aposentada Hilda Mesquita ) ; e Gabriel dos Reis e Silva Júnior , o Bié Gordo . E ntre os filhos de Antonio Justiniano dos Reis, outro do mesmo nome, conhecido como Tonico dos Coqueiros , da Fazenda dos

Lançamentos no livro "Termo de Bem Viver".

Termos de Bem Viver da Freguesia do Carmo da Cachoeira Minas Gerais - Brasil¹ (...) "servirá este livro termos de bem viver na (ilegível) do Distrito de Boa Vista, Lavras , livro que numerado rubricado por mim, Gouveia , Dezembro de 1855 . Visto de correição. Lavras 25/11/ 1857 . Aos vinte e sete dias do mez de fevereiro de mil oitocentos e secenta nesta freguezia do Carmo da Cachoeira, Termo da Vila de Lavras, Comarca do Rio Verde em meo (...) achava o sub-delegado o tenente coronel Jozé Fernandes Avelino comigo Escrivão no cargo ahi prezente, o Réo Manoel Vicente , ano 1861 (...) N a primeira folha, Cachoeira do Carmo, 14-07- 1877 . Segunda folha: (...) Cidadão Brasileiro Tenente Coronel José Fernandes Avelino , Primeiro Juiz de Paz desta Freguesia da Cachoeira do Carmo. ² L avrado pelo Escrivão interino, Francisco de Paula Cândido , encontra-se a seguinte procuração: Procuração bastante que faz e assigna João Francisco da Costa Martins , como (...) declarado. São

Edriana Nolasco, onde tudo começa.

U ma grande aliada de Carmo da Cachoeira , Edriana Aparecida Nolasco , rastreou muitos dos documentos que ora nos baseamos e homeopaticamente os tornamos público. Saiba mais sobre o trabalho desta pesquisadora nesta matéria da Editora Ponte da Cadeia . J á foram quatro transcrissões de inventários publicadas neste blog: Antônio Dias de Gouveia e esposa ; José da Costa Morais ; e Maria da Penha de Jesus . Além da sua fundamental participação em dezenas de outras matérias, os dados coletados por ela foram primordiais para o avanços e aprofundamentos de nossas pesquisas. Eles fundamentaram o trabalho de campo que deu origem ao livro " O Sertão do Campo Velho ", de autoria de Jorge Fernando Vilela .

Padroeira do Brasil na Congada de Oliveira.

A Congada, cujo grupo apresenta-se trajado com vestes azuis é do Grupo do Município de Oliveira , Minas Gerais . Mestre Dae , da Congada de São Benedito do município mineiro de Carmo da Cachoeira , também particiopu do evento ocorrido na Igreja e na Praça do Carmo , onde houve o encontro das duas Bandeiras: Nossa Senhora Aparecida (Oliveira) e São Benedito (Carmo da Cachoeira, com Mestre Daé). Grupo de Congada de Oliveira, Minas Gerais em visita a Carmo da Cachoeira . Foto: Maria do Carmo - Arte: TS Bovaris Próxima imagem: Janela oitocentista sul-mineira da fz. da Serra. Imagem anterior: O ipê e o Santuário em Carmo da Cachoeira.

A genealogia de Ana Paulina de Rezende.

A na Paulina de Rezende , filha de Maria Clara de Rezende ( Resende ou Ribeiro de Rezende ) e Antônio dos Reis e Silva em Aiuruoca , em 1828 , com 16 anos, habilitou-se para casar com José de Souza Meireles , viúvo de Generosa Clementina Vilela , filho do Capitão João de Souza Meireles ¹ e de Maria Antônia de Jesus ² ( Mariana ) , (n.p.?) do Capitão José Garcia Duarte e de Ana Maria Duarte , a " Ana do Angaí ". D ona Mariana Antonia de Jesus é filha de Ana do Angaí - Ana Maria de Carvalho . Ana do Angaí e seu marido José Garcia Duarte foram moradores na Paragem do Saco do Termo de Baependi . Projeto Partilha - Leonor Rizzi Próxima matéria: Lançamentos no livro "Termo de Bem Viver". Artigo Anterior: Os Dias de Oliveira na sociedade cachoeirense. 1. nascido em Portugal 2. nascida em São João del Rei

Teresa do Sapé, uma vida de dedicação

Teresa do Sapé  é um nome ligado ao ideal preservacionista e da consciência do povo negro, e teve como foco em São Paulo as regiões de favela e em sua cidade natal, Carmo da Cachoeira, o C emitério dos Escravos da Fazenda da Chamusca . Terezinha do Carmo Cubateli é conhecida na capital paulista como Teresa do Sapé , onde lidera alguns movimentos sociais ligados as favelas, atuando junto a igreja onde, com sua criatividade e articulação, mantêm a tradição do simples e do singelo, contidos em suas origens. Nascida na mineira Carmo da Cachoeira , faz de tudo para engrandecer seu berço natal. Uma de suas falas mais significativas é esta: Como um povo pode ignorar seu passado? Aí está o fato de muitos não engrandecerem mais Cachoeira. Não conhecem seu passado de lutas e de glórias. Algumas fotos antigas em preto e branco aparece "Tereza do Sapé", como era conhecida Tereza do Carmo Cubateli, que dsenvolveu as atividades sociais, em São Paulo. Ela era uma ativista atuante em defesa

O ipê e o Santuário em Carmo da Cachoeira.

E is o Ipê, nascido nas Terras de São Pedro de Rates. São dois pés, e de espécies nativas, segundo seu Peró, profundo conhecedor desse trecho da cidade. A imagem de São Pedro de Rates será colocada junto deles. O arquiteto, historiador, heraldista e proprietário em Carmo da Cachoeira , Minas Gerais , com terras na Fazenda dos Coqueiros , Jorge Fernando Vilela virá, neste final de semana, para definir o exato local de colocação da imagem. Os Ipês já definiram que será ali por perto. O conhecimento espacial e a síntese harmônica advinda do estudo: estímulo/espaço físico/tempo, formarm as sólidas bases na formação profissional de Jorge Fernando. Ele que, já detém o conhecimento histórico da região irá definir, exatamente, onde será colocada a Imagem Símbolo da sociedade cachoeirense. Foto: Evando Pazini - 2009 - Arte: TS Bovaris Próxima imagem: Padroeira do Brasil na Congada de Oliveira. Imagem anterior: Matéria sobre uma antiga fazenda em Minas.