Pular para o conteúdo principal

Mapas de 1879 e de 1915 de Campanha.

Ajude-nos a contar a história de Carmo da Cachoeira. Aproveite o espaço "comentários" para relatar algo sobre esta foto, histórias, fatos e curiosidades. Assim como casos, fatos e dados históricos referentes a nossa cidade e região.

Próxima imagem: Novena de Natal em Família - 2008
Imagem anterior: Lembranca das Santas Missões Carmelitas.

Comentários

Anônimo disse…
Nossa visão neste mapa é a do espaço territorial que se estende do Rio Verde ao Vale do Sapucaí. Ele se torna interessante para nosso estudo. Aí está o MANDU, para onde poderá ter ido MIGUEL ANTONIO RATES com sua família. Aí está dona Águida, filha de MANOEL ANTONIO RATES. Aí está dona CIPRIANA ANTONIA RATES e sua descendência. Aí está, na descendencia de dona Maria Alves Porciúncula e de seu marido Francisco de Ávila Fagundes, a dona Maria de Nazaré e Germano José, família que interligou-se com a descendência de dona Cipriana Antonia. Do ponto de vista territorial um espaço limítrofe e conflituoso devido as disputas e definições de limites entre a Capitania de São Paulo e Minas Gerais. Do ponto de vista a organização social e dos conceitos vigentes à época, a valorização da Família era o ponto fundamental. Um estudo interessante sobre a idéia de sociedade da época está disponibilizado, e foi realizado por Sílvia Maria Jardim Brugger, Minas Patriarcal: família e sociedade. É um trabalho que vale conhecer.
Anônimo disse…
Citou-se no comentário de ontem, a presença de um décimo filho de Maria de Moraes e que, no AUTO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS, feito em 1758 por DOMINGOS ALVES FONTES, com procuração do tutor informou de mais esta presença com as seguintes palavras: "nascera outro filho póstumo e se chama Manoel com idade de sete anos e tantos meses e que se acha em companhia de sua mãe". Dentre os 10 filhos de Maria de Moraes e Antônio de Brito, a filha Ângela, que consta no Inventário do Pai (1750) com 12 anos, é citada às fls. 69 do mesmo Inventário, da seguinte forma:
"Diz dona Maria de Morais viúva que ficou de Antônio de Brito Peixoto (...) que faleceu^Ângela mulher que foi de Bento Manoel do Nascimento. (...) sua filha".
BENTO MANOEL DO NASCIMENTO, viúvo, casou-se pela segunda vez com dona Teresa (Maria) Gonçalves de Jesus. Teresa e Bento são pais de Maria Thereza do Nascimento, casado com Francisco Ribeiro da Silva. O casamento foi aos 27-01-1790 no oratório de São José do Rio Verde, freguesia de Campanha com registro em Baependi. Maria Thereza foi batizada em Serranos de Aiuruoca. Bento Manoel do Nascimento. natura do Bispado de Coimbra, era filho de Manoel Mendes de Abreu e de dona Maria de Abranches. Bento faleceu em Conceição do Rio Verde, Minas Gerais.
Anônimo disse…
O comentário anterior poderá ser conferido em Aportes à Genealogia Paulistana. João Ribeiro da Silva, casado que foi com Maria Leme da Silva.

Na mesma Paragem,
Cf.: Thomé Martins Ribeiro

Cf. Furriel Francisco de Oliveira Maia. Inventariante - Ana Pedrosa da Silva. No Sítio chamado Ribeirão de São José do Rio Verde, Freguesia de Lavras. Anos depois, esta Paragem aparece especificada como pertencendo a Espírito Santo das Catandubas (Varginha).
Anônimo disse…
Transcrição de documento por Edriana Aparecida Nolasco a pedido do Projeto Partilha.
Tipo de documento - Testamento
Ano - 1803 Caixa 59
Testador - Capitão Francisco Lopes Guimarães.
Testamenteira - Ana Maria de Siqueira.
Local - Campanha da Princesa.

Fl. 06
TESTAMENTO
Em nome do Padre, do Filho e do Espírito Santo três pessoas distintas e um só Deus verdadeiro.
Eu o Capitão Francisco Lopes Guimarães assim nomeado e tratado vulgarmente nesta América desde que a ela cheguei vindo de minha Pátria porém nela batizado por Francisco Antônio e assim nomeado e tratado tão somente no foro Eclesiástico, natural e batizado na Freguesia de Santo Estêvão de Urgezes. Termo da Vila de Guimarães. Arcebispado de Braga, filho legítimo de Francisco Lopes de Barros natural e batizado na Freguesia de São Vicente de Passos e de sua mulher Ana Maria Francisca natural e batizada na dita Freguesia de Santo Estêvão de Urgezes ambos do dito Bispado, morador nesta Freguesia de Nossa Senhora da Conceição da Aiuruoca. Termo da Vila da Campanha da Princesa, Minas e Comarca do Rio das Mortes, vendo-me abalado com moléstias, conhecendo a certeza da morte, e a incerteza da hora dela como legítimo cristão que sou por obviar letígios faço este meu testamento na forma seguinte:
Creio firmemente na Santíssima Trindade Padre Filho e Espírito Santo um só Deus verdadeiro e em Nosso Senhor Jesus Cristo e em tudo quanto crê e ensina a Santa Madre Igreja, Católica Romana, nesta fé mediante os merecimentos do mesmo senhor, protesto viver, morrer e salvar a minha alma, tomando como tomo por meus patronos a Virgem Maria Nossa Senhora, ao Anjo da minha Guarda, ao Santo do meu nome, e todos os mais cidadãos da celestial Jerusalém.
Depois que morrer serei amortalhado no Hábito de São Francisco de quem sou Indigno Irmão Professo na Ordem Terceira da Vila de São João del Rei, e sepultado na Igreja mais vizinha do lugar onde falecer e os sacerdotes que se convocarem me dirão missa de corpo presente de esmola de uma oitava de ouro, com ônus de cada um de rezar um ofício de defuntos de corpo presente pela esmola de meia pataca de ouro, e o mais funeral se fará a eleição de minha mulher ou dos qualquer dos Testamenteiros que estiver presente que logo tomarão uma bula de defuntos por minha alma e outras pelas almas do purgatório.
Declaro que sou casado com dona Ana Maria de Siqueira natural desta Freguesia, filha legítima de João Lopes do Espírito Santo e de Maria de Siqueira de cujo matrimônio tivemos os seguintes filhos: o Padre Francisco Lopes Guimarães; Joaquim Lopes Guimarães; Ignácio Lopes Guimarães; Manoel Lopes Guimarães; Fernando Lopes Guimarães; José Joaquim Lopes Guimarães; Gabriel Lopes Guimarães; Antonio Lopes Guimarães; Ana Joaquina da Conceição; Maria Esméria Thomásia de Aquino, os quais todos são meus legítimos e universais herdeiros.

(continua)
O site está muito bonito, bem feito, gostaria de poder contribuir mais. Poderíamos fazer mais árvores com as pessoas da cidade.
Anna Maria de Siqueira era minha ascendente, fiz a árvore genealógica dela no Geni, nesse link: https://www.geni.com/people/Francisco-Antonio-Lopes-Guimar%C3%A3es/6000000035852364936?through=6000000035852037539

Atenciosamente,
Consuelo Maria Freire Guimarães
Consuelo Maria,

Somos gratos por sua visita. A sua ideia de ampliar o número de famílias em genealogia é excelente, no entanto,se você pode perceber não estamos atualizando as páginas deste site. Alteramos nosso enfoque no trabalho. Gratidão.

Postagens mais visitadas deste blog

Tabela Cronológica 10 - Carmo da Cachoeira

Tabela 10 - de 1800 até o Reino Unido - 1815 - Elevação do Brasil a Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves - 1815 ü 30/Jan – capitão Manuel de Jesus Pereira foi nomeado comandante da Cia. de Ordenanças da ermida de Campo Lindo; e ü instalada a vila de Jacuí . 1816 1816-1826 – Reinado de Dom João VI – após a Independência em 1822, D. João VI assumiu a qualidade e dignidade de imperador titular do Brasil de jure , abdicando simultaneamente dessa coroa para seu filho Dom Pedro I . ü Miguel Antônio Rates disse que pretendia se mudar para a paragem do Mandu . 1817 17/Dez – Antônio Dias de Gouveia deixou viúva Ana Teresa de Jesus . A família foi convocada por peritos para a divisão dos bens, feita e assinada na paragem da Ponte Falsa . 1818 ü Fazendeiros sul-mineiros requereram a licença para implementação da “ Estrada do Picu ”, atravessando a serra da Mantiqueira e encontrando-se com a que vinha da Província de São Paulo pelo vale do Paraíba em direção ao Rio de Janeiro, na alt

As três ilhoas de José Guimarães

Fazenda do Paraíso de Francisco Garcia de Figueiredo Francisco Garcia de Figueiredo é citado como um dos condôminos / herdeiros da tradicional família formada por Manuel Gonçalves Corrêa (o Burgão) e Maria Nunes. Linhagistas conspícuos, como Ary Florenzano, Mons. José Patrocínio Lefort, José Guimarães, Amélio Garcia de Miranda afirmam que as Famílias Figueiredo, Vilela, Andrade Reis, Junqueira existentes nesta região tem a sua ascendência mais remota neste casal, naturais da Freguesia de Nossa Senhora das Angústias, Vila de Horta, Ilha do Fayal, Arquipélago dos Açores, Bispado de Angra. Deixaram três filhos que, para o Brasil, por volta de 1723, imigraram. Eram as três célebres ILHOAS. Júlia Maria da Caridade era uma delas, nascida em 8.2.1707 e que foi casada com Diogo Garcia. Diogo Garcia deixou solene testamento assinado em 23.3.1762. Diz ele, entre tantas outras ordenações: E para darem empreendimento a tudo aqui declarado, torno a pedir a minha mulher Julia Maria da Caridade e mai

A Família Campos no Sul de Minas Gerais.

P edro Romeiro de Campos é o ancestral da família Campos do Sul de Minas , especialmente de Três Pontas . Não consegui estabelecer ligação com os Campos de Pitangui , descendentes de Joaquina do Pompéu . P edro Romeiro de Campos foi Sesmeiro nas Cabeceiras do Córrego Quebra - Canoas ¹ . Residia em Barra Longa e casou-se com Luiza de Souza Castro ² que era bisneta de Salvador Fernandes Furtado de Mendonça . Filhos do casal: - Ana Pulqueria da Siqueira casado com José Dias de Souza; - Cônego Francisco da Silva Campos , ordenado em São Paulo , a 18.12. 1778 , foi um catequizador dos índios da Zona da Mata ; - Pe. José da Silva Campos, batatizado em Barra Longa a 04.09. 1759 ; - João Romeiro Furtado de Mendonça; - Joaquim da Silva Campos , Cirurgião-Mor casado com Rosa Maria de Jesus, filha de Francisco Gonçalves Landim e Paula dos Anjos Filhos, segundo informações de familiares: - Ana Rosa Silveria de Jesus e Campos , primeira esposa de Antônio José Rabelo Silva Pereira , este nascido

A família do Pe. Manoel Francisco Maciel em Minas.

A jude-nos a contar a história de Carmo da Cachoeira. Aproveite o espaço " comentários " para relatar algo sobre esta foto, histórias, fatos e curiosidades. Assim como casos, fatos e dados históricos referentes a nossa cidade e região. Próxima imagem: Sete de Setembro em Carmo da Cachoeira em 1977. Imagem anterior: Uma antiga família de Carmo da Cachoeira.

Biografia de Maria Antonietta de Rezende

Tendo como berço Carmo da Cachoeira, Maria Antonietta Rezende , nasceu a 9 de outubro de 1934 no seio de uma das mais tradicionais famílias do município – a Família Rezende . A professora Maria Antonietta deixou seu legado, o “modelo de compromisso e envolvimento com a terra em que nasceu” . Trabalhou consciências, procurando desenvolvê-las, elevá-las. Fazia isto com seus alunos, com os componentes dos grupos musicais que coordenava, com as crianças ligadas à Igreja, enfim, com toda população. Foi um exemplo vivo de “compromisso com a tradição” e um elo da longa corrente que chegou até nós neste ano comemorativo. Fez sua parte. Nós fazemos a nossa – manter a tradição. No dia-a-dia deixou o exemplo de vida e através de publicações, sua visão de mundo. Editou “Evocações daqui e de além” , “Encontro e desencontros” e “Coletânea de hinos litúrgicos” . Dedicou sua vida ao estudo, à educação e à sua Igreja, como catequista, cantora e liturgista. Patrick A. Carvalho, ao prefaciar sua obra “

Antiga foto da cidade de Carmo da Cachoeira.

A jude-nos a contar a história de Carmo da Cachoeira. Aproveite o espaço " comentários " para relatar algo sobre esta foto, histórias, fatos e curiosidades. Assim como casos, fatos e dados históricos referentes a nossa cidade e região. Foto: Paulo Naves dos Reis Próxima imagem: Imagem da mata da fazenda Caxambu em Minas. Imagem anterior: Um pouco sobre a região do distrito de Palmital.

Foto de família: os Vilela de Carmo da Cachoeira-MG.

A jude-nos a contar a história de Carmo da Cachoeira. Aproveite o espaço " comentários " para relatar algo sobre esta foto, histórias, fatos e curiosidades. Assim como casos, fatos e dados históricos referentes a nossa cidade e região. E sta foto foi nos enviada p or Rogério Vilela. Da esquerda para a direita: Custódio Vilela Palmeira, Ercília Dias de Oliveira, Fernando de Oliviera Vilela, Adozina Costa (Dozica), Jafoino de Azevedo e José de Oliveira Vilela (Zé Custódio). Imagem anterior: Sinopse Estatística de Carmo da Cachoeira - 1948

A pedra de moinho da fazenda Caxambu.

A jude-nos a contar a história de Carmo da Cachoeira. Aproveite o espaço " comentários " para relatar algo sobre esta foto, histórias, fatos e curiosidades. Assim como casos, fatos e dados históricos referentes a nossa cidade e região. Próxima imagem: Ary Silva da família Dias de Oliveira - Bueno. Imagem anterior: Nuvens sobre a tradicional fazenda Caxambu.

A família Faria no Sul de Minas Gerais.

Trecho da obra de Otávio J. Alvarenga : - TERRA DOS COQUEIROS (Reminiscências) - A família Faria tem aqui raiz mais afastada na pessoa do capitão Bento de Faria Neves , o velho. Era natural da Freguesia de São Miguel, termo de Bastos, do Arcebispado de Braga (Portugal). Filho de Antônio de Faria e de Maria da Mota. Casou-se com Ana Maria de Oliveira que era natural de São João del-Rei, e filha de Antônio Rodrigues do Prado e de Francisca Cordeiro de Lima. Levou esse casal à pia batismal, em Lavras , os seguintes filhos: - Maria Theresa de Faria, casada com José Ferreira de Brito; - Francisco José de Faria, a 21-9-1765; - Ana Jacinta de Faria, casada com Francisco Afonso da Rosa; - João de Faria, a 24-8-1767; - Amaro de Faria, a 24-6-1771; - Bento de Faria de Neves Júnior, a 27-3-1769; - Thereza Maria, casada com Francisco Pereira da Silva; e - Brígida, a 8-4-1776 (ou Brizida de Faria) (ou Brizida Angélica) , casada com Simão Martins Ferreira. B ento de Faria Neves Júnior , casou-se