Pular para o conteúdo principal

Lembranca das Santas Missões Carmelitas.


Ajude-nos a contar a história de Carmo da Cachoeira. Aproveite o espaço "comentários" para relatar algo sobre esta foto, histórias, fatos e curiosidades. Assim como casos, fatos e dados históricos referentes a nossa cidade e região.

Próxima imagem: Novena de Natal em Família - 2008
Imagem anterior: Francis Vilela, a música como fonte da vida.

Comentários

Anônimo disse…
NOSSA MISSÃO

"Promover a fraternidade orante e profética, defendendo a vida e servindo o povo de DEUS, inspirados em Jesus Cristo e no carisma carmelitano"
Anônimo disse…
MISSÕES e almas abnegadas.

Neste mês de dezembro, quando se comemora a data de seu falecimento, o Projeto Partilha presta homenagem ao

Dr.AUGUSTO JOSÉ DA SILVA.

Nascido em 05-07-1845 foi médico em Lavras e "DESIGNADO PELA MUNICIPALIDADE para seguir para a povoação de CARMO DA CACHOEIRA visando debelar uma epidemia de varíola". Faleceu em 19-12-1905. É lembrado como tendo sido uma alma boníssima e que não media esforços para ajudar seu próximo.
Filho do Liberal Dr. JOSÉ JORGE DA SILVA, nascido a 23 de abril de 1810, na freguesia de Santa Quitéria, da Província de Minas e neto de MIGUEL JOSÉ DA SILVA e de dona ANA FELIPPA, era irmão do desembargador QUINTILIANO JOSÉ DA SILVA e do Dr. SERRA NEGRA. Estudaram no antigo Colégio Caraça, Minas Gerais. O Dr. José Jorge da Silva, dentre tantos feitos, serviu na diretoria da estrada de D. Pedro II. No desempenho de seu cargo incentivou a necessidade de vias de comunicação da Província. Assim, quando se discutia o traçado daquela estrada, além de Juiz de Fora, ele participou com vários artigos contendo judiciosas apreciações. "Tinha o dom da concisão com clareza e sabia vazar em linguagem castiça e picante as agudezas do espírito". Faleceu na freguesia de Bom Sucesso - Minas Gerais.

Cf. Boletim Quinzenal do Grupo Escolar de Lavras, editado por Firmino Costa. Edição 1 de maio de 1907 a novembro de 1908.
http://www.museu.ufla.br/vida27.htm
Anônimo disse…
Estações Ferroviárias do Brasil:
CARMO DA CACHOEIRA.
Local - Município de Carmo da Cachoeira - Minas Gerais.

HISTÓRICO:

- Rede Sul-Mineira (1918-1931);

- Rede Mineira de Viação (1931 - 1965);

- V. F. Centro-Oeste(1965 - 1975);

- Rede Ferroviária Federal S/A (1975 - 1996).

INAUGURAÇÃO - 30-06-1918. Com trilhos.
USO ATUAL - Abandonada.

Cf. http://www.estacoesferroviarias.com.br
Anônimo disse…
Inventário encomendado pelo Projeto Partilha e transcrito por Edriana Aparecida Nolasco. O Inventário que se segue abaixo contem dados complementares em relação ao já disponibilizado pelo Projeto Compartilhar. Solicitou-se a referida complementação na expectativa de encontrar novos nomes que pudessem auxiliar em nossa busca.

Tipo de documento - Inventário
Ano - 1766 caixa - 472
Inventário -João Rodrigues Moinhos Inventariante - Capitão Mor Mathias Gonçalves Moinhos
Local - São João del Rei

Fl.01
Inventário dos bens que ficaram por falecimento de João Rodrigues Moinhos de quem é inventariante o Capitão mor Mathias Gonçalves Moinhos.
Data - 24 de fevereiro de 1766
Local - Arraial da Freguesia de Aiuruoca. Termo da Vila de São João del Rei, Minas e Comarca do Rio das Mortes em casas que foram de morada do falecido João Rodrigues Moinhos.

Fl.01
DECLARAÇÃO
Declarou o Inventariante que o dito João Rodrigues Moinhos faleceu em sua casa com seu solene Testamento no qual declara ser natural e batizado no Lugar dos Pilões(?), Comarca de Chaves. Arcebispado de Braga, filho legítimo de Antônio Rodrigues e de Pascoa Afonsa já defuntos e que era solteiro.

Obs. Inventário muito danificado, faltando pedaços.

Fls. 02
Vários covados de pano; vários chapéus; muitas varas e peças de linhas; várias varas de panos de linho; várias ceroulas; várias camisas de pano; vários couros de cobra; vários pares de meias e outras muitas peças o que denota ser comerciante ou caixeiro viajante - muitos objetos de armarinho. Foram avaliados em fardos numerados.

Escravos - 05

Animais - 01 cavalo; 03 vacas; 01 novilha; 03 bezerros.

BENS DE RAIZ
- Uma morada de casas térreas cobertas de telha com sua cozinha coberta de capim e seu quintal com seus arvoredos, com (ilegível) e prateleiras da loja sitas neste Arraial no Largo da Matriz da Freguesia de Aiuruoca que parte de uma banda com (danificado).

Obs. Muitas dívidas por créditos da loja, provavelmente

- Alexandre Gomes Guimarães 351$720
- Domingos Francisco 147$053
- Antônio de Barros 8$925
- Isabel Rodrigues Pereira 369$000
- Cap. Roque de Souza Magalhães
224$700
- José dos Santos Alvarinho 80$962
- João Tavares 394$638
- Joaquim José Correa danificado
- João Ferreira dos Santos 9$787
- Custódio Bernardes 356$000
- Pedro João de Souza 90$000
- Reverendo Manoel Antônio Teixeira Miranda 125$500
- Florência Francisca das Neves
85$687
- Manoel Pereira Gularte 26$450
- Manoel Gomes Guimarães 166$000
- Manoel Soares 2$600
- Reverendo Antônio Freire
danificado
- Sargento mor Francisco Barbosa
88$050
- João Neto 132$862
- José da Silva 100$000
- Antonio Neves Braga 7$575
- Marcos Francisco Guimarães 19$687
- Reverendo Padre José de Souza de Menezes 44$025
- Bento Gonçalves Rodrigues 9$600
- Antônio Bernardes dos Reis 8$325
- Antônio Fernandes Barreto 31$950
- Antônio Ferreira de Faria danific
- João Loureiro 20$737

DIVIDAS DO LIVRO
- João Pereira Goularte 39$487
- Manoel de Souza Magalhães 17$537
- Cap. Diogo Rodrigues 26$137
- José Francisco Portela 13$575
- Manoel Gomes da Costa 4$200
- Antônio Rodrigues Araújo 23$700
- João Ferreira Veiga 25$200
- Reverendo Manoel Antônio Teixeira Miranda 25$500
- Manoel Correa 7$200
- João Ribeiro 16$950
- Antônio Pereira Gularte 8$400
- Antonio de Souza Caldas 53$540
- Alferes José Rodrigues de Matos
11$775
- João Ribeiro da Silva 2$737
- Antônio José Corrêa $487
- Miguel Rodrigues Feijó 2$175
- Silvestre Botelho Resende 46$687
- Custódio Bernardino Silva 218$812
- Reverendo Lourenço José de Almeida 27$937
- Cap. Diogo Gonçalves de Carvalho 61$500
- Francisco Gonçalves de Carvalho 35$100
- Manoel da Silva Torres 67$012
- Manoel de Morais Peixoto 8$700
- Domingos Antônio de Oliveira
91$275
- Capitão Mor Regente Bento Pereira de Sá 33$450
- Reverendo Vigário Ignácio José de Souza 2$437

Obs. Documento incompleto

-
-

Postagens mais visitadas deste blog

Tabela Cronológica 10 - Carmo da Cachoeira

Tabela 10 - de 1800 até o Reino Unido - 1815 - Elevação do Brasil a Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves - 1815 ü 30/Jan – capitão Manuel de Jesus Pereira foi nomeado comandante da Cia. de Ordenanças da ermida de Campo Lindo; e ü instalada a vila de Jacuí . 1816 1816-1826 – Reinado de Dom João VI – após a Independência em 1822, D. João VI assumiu a qualidade e dignidade de imperador titular do Brasil de jure , abdicando simultaneamente dessa coroa para seu filho Dom Pedro I . ü Miguel Antônio Rates disse que pretendia se mudar para a paragem do Mandu . 1817 17/Dez – Antônio Dias de Gouveia deixou viúva Ana Teresa de Jesus . A família foi convocada por peritos para a divisão dos bens, feita e assinada na paragem da Ponte Falsa . 1818 ü Fazendeiros sul-mineiros requereram a licença para implementação da “ Estrada do Picu ”, atravessando a serra da Mantiqueira e encontrando-se com a que vinha da Província de São Paulo pelo vale do Paraíba em direção ao Rio de Janeiro, na alt

As três ilhoas de José Guimarães

Fazenda do Paraíso de Francisco Garcia de Figueiredo Francisco Garcia de Figueiredo é citado como um dos condôminos / herdeiros da tradicional família formada por Manuel Gonçalves Corrêa (o Burgão) e Maria Nunes. Linhagistas conspícuos, como Ary Florenzano, Mons. José Patrocínio Lefort, José Guimarães, Amélio Garcia de Miranda afirmam que as Famílias Figueiredo, Vilela, Andrade Reis, Junqueira existentes nesta região tem a sua ascendência mais remota neste casal, naturais da Freguesia de Nossa Senhora das Angústias, Vila de Horta, Ilha do Fayal, Arquipélago dos Açores, Bispado de Angra. Deixaram três filhos que, para o Brasil, por volta de 1723, imigraram. Eram as três célebres ILHOAS. Júlia Maria da Caridade era uma delas, nascida em 8.2.1707 e que foi casada com Diogo Garcia. Diogo Garcia deixou solene testamento assinado em 23.3.1762. Diz ele, entre tantas outras ordenações: E para darem empreendimento a tudo aqui declarado, torno a pedir a minha mulher Julia Maria da Caridade e mai

A Família Campos no Sul de Minas Gerais.

P edro Romeiro de Campos é o ancestral da família Campos do Sul de Minas , especialmente de Três Pontas . Não consegui estabelecer ligação com os Campos de Pitangui , descendentes de Joaquina do Pompéu . P edro Romeiro de Campos foi Sesmeiro nas Cabeceiras do Córrego Quebra - Canoas ¹ . Residia em Barra Longa e casou-se com Luiza de Souza Castro ² que era bisneta de Salvador Fernandes Furtado de Mendonça . Filhos do casal: - Ana Pulqueria da Siqueira casado com José Dias de Souza; - Cônego Francisco da Silva Campos , ordenado em São Paulo , a 18.12. 1778 , foi um catequizador dos índios da Zona da Mata ; - Pe. José da Silva Campos, batatizado em Barra Longa a 04.09. 1759 ; - João Romeiro Furtado de Mendonça; - Joaquim da Silva Campos , Cirurgião-Mor casado com Rosa Maria de Jesus, filha de Francisco Gonçalves Landim e Paula dos Anjos Filhos, segundo informações de familiares: - Ana Rosa Silveria de Jesus e Campos , primeira esposa de Antônio José Rabelo Silva Pereira , este nascido

A família do Pe. Manoel Francisco Maciel em Minas.

A jude-nos a contar a história de Carmo da Cachoeira. Aproveite o espaço " comentários " para relatar algo sobre esta foto, histórias, fatos e curiosidades. Assim como casos, fatos e dados históricos referentes a nossa cidade e região. Próxima imagem: Sete de Setembro em Carmo da Cachoeira em 1977. Imagem anterior: Uma antiga família de Carmo da Cachoeira.

Biografia de Maria Antonietta de Rezende.

O prefeito municipal e a secretária de Educação, Cultura e Lazer, ao assinarem a apresentação da obra: “Atlas Escolar. Histórico e Geográfico do Município de Carmo da Cachoeira – MG. Edição 2007” declararam: “ Este Atlas permite às crianças descobrirem protagonistas de sua história. Conhecendo, passam contribuir para potencializar o que ela tem de bom, preservar seu patrimônio e símbolos do passado .” D entre os símbolos , o Hino da cidade. Escrito pela Professora Maria Antonietta , encontra-se em fase de oficialização. A tradição garante a manutenção desta criação. O povo canta , reconhece o hino de sua cidade, e atento acompanha o processo de sua oficialização. A administração pública e Câmara municipal apoiam a manutenção daquilo que foi consagrado pela tradição. Dois pontos fortes na letra do hino bastam para garantir sua oficialização. O primeiro é o que diz da religiosidade presente na população e que a cada dia se torna mais revelador da identidade e vocação de Carmo da

Antiga foto da cidade de Carmo da Cachoeira.

A jude-nos a contar a história de Carmo da Cachoeira. Aproveite o espaço " comentários " para relatar algo sobre esta foto, histórias, fatos e curiosidades. Assim como casos, fatos e dados históricos referentes a nossa cidade e região. Foto: Paulo Naves dos Reis Próxima imagem: Imagem da mata da fazenda Caxambu em Minas. Imagem anterior: Um pouco sobre a região do distrito de Palmital.

A família Faria no Sul de Minas Gerais.

Trecho da obra de Otávio J. Alvarenga : - TERRA DOS COQUEIROS (Reminiscências) - A família Faria tem aqui raiz mais afastada na pessoa do capitão Bento de Faria Neves , o velho. Era natural da Freguesia de São Miguel, termo de Bastos, do Arcebispado de Braga (Portugal). Filho de Antônio de Faria e de Maria da Mota. Casou-se com Ana Maria de Oliveira que era natural de São João del-Rei, e filha de Antônio Rodrigues do Prado e de Francisca Cordeiro de Lima. Levou esse casal à pia batismal, em Lavras , os seguintes filhos: - Maria Theresa de Faria, casada com José Ferreira de Brito; - Francisco José de Faria, a 21-9-1765; - Ana Jacinta de Faria, casada com Francisco Afonso da Rosa; - João de Faria, a 24-8-1767; - Amaro de Faria, a 24-6-1771; - Bento de Faria de Neves Júnior, a 27-3-1769; - Thereza Maria, casada com Francisco Pereira da Silva; e - Brígida, a 8-4-1776 (ou Brizida de Faria) (ou Brizida Angélica) , casada com Simão Martins Ferreira. B ento de Faria Neves Júnior , casou-se

A pedra de moinho da fazenda Caxambu.

A jude-nos a contar a história de Carmo da Cachoeira. Aproveite o espaço " comentários " para relatar algo sobre esta foto, histórias, fatos e curiosidades. Assim como casos, fatos e dados históricos referentes a nossa cidade e região. Próxima imagem: Ary Silva da família Dias de Oliveira - Bueno. Imagem anterior: Nuvens sobre a tradicional fazenda Caxambu.

Foto de família: os Vilela de Carmo da Cachoeira-MG.

A jude-nos a contar a história de Carmo da Cachoeira. Aproveite o espaço " comentários " para relatar algo sobre esta foto, histórias, fatos e curiosidades. Assim como casos, fatos e dados históricos referentes a nossa cidade e região. E sta foto foi nos enviada p or Rogério Vilela. Da esquerda para a direita: Custódio Vilela Palmeira, Ercília Dias de Oliveira, Fernando de Oliviera Vilela, Adozina Costa (Dozica), Jafoino de Azevedo e José de Oliveira Vilela (Zé Custódio). Imagem anterior: Sinopse Estatística de Carmo da Cachoeira - 1948