Sob o arrimo da alegoria do diamante.

Ter diamantes e ser pobre.
Ter riquezas naturais e padecer na miséria.
Trabalho, produtor de riquezas, escravizado.

Saber-fazer escondido.
Papel pintado valorizado.
Seres humanos meras peças.
Intelectuais indiferentes.
Empresas virtualizadas.
Máquinas priorizadas,
Ser humano ignorado.
Vida eterna sonhada.
Vida terrena desfocada.

Quantos obstáculos para atingir a plenitude de vida!

Contatos com o autor pelos endereços eletrônicos:
rui.sol@bol.com.br rui.sol@ambr.com.br

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.