Palavras que comunicam.

O maravilhoso dom de expressar idéias pelos sons articulados.
Perceba! Você diz a palavra e o outro brasileiro, à sua frente, a entende e pode criar na sua imaginação exatamente o que você pensou. Isto ocorre em qualquer lugar deste país!

Era um sonho dantesco ... o tombadilho
Que das luzernas avermelha o brilho,
Em sangue a se banhar.
Tinir de ferros ... estalar de açoite ...
Legiões de homens negros como a noite,
Horrendos a dançar ...

"Vibrai rijo o chicote, marinheiros!
Fazei-os mais dançar! ..."

Castro Alves, em seu Navio Negreiro, destacava: "fazei-os dançar" mas, na longa viagem, predominava o "fazei-os falar".
Se os escravos ditos ladinos - os que sabiam falar alguma coisa em português - tinham muito valor que os boçais - aqueles que não falavam nada em português -, é perfeitamente lógico que os feitores aproveitassem a longa viagem para obrigá-los a aprender, ao menos, palavras essenciais de nossa língua.
Nos navios negreiros sempre misturavam escravos de etnias diversas, falando diferentes dialetos, impedindo, desta forma, a comunicação entre eles e, assim, evitando revoltas durante a longa travessia.
Já no Brasil, vendidos e levados para o interior, tinham a língua portuguesa com único meio de comunicação.
Você não pode, com seu espírito humanista, enxugar as lágrimas que já foram derramadas, mas pode prestar atenção para não destruírem, com invasões culturais, a unidade linguística que nos legaram à custa de muito sofrimento.
As palavras duras, as ásperas, as doces, as belas, as que identificam os objetos, as que expressam os sentimentos, as que traduzem os pensamentos são as do nosso idioma e são importantes, pois é como a língua materna que as crianças aprendem a pensar.
Valorize, incentive o nosso idioma, impeça a confusão na mente em formação dos nossos filhos, bloqueando a invasão cultural e o uso desnecessário de palavras estranhas ao nosso idioma.
Assim, veremos nossas crianças com raciocínio mais límpido, pensamentos mais densos, reflexões mais profundas.
Colabore para a pureza da língua que colocará nossas comunidades no caminho da melhoria e da transformação da nossa terra num lugar harmônico, bom de se viver, neste século XXI.
DEFENDA A NOSSA LÍNGUA!

Contatos com o autor pelos endereços eletrônicos:
rui.sol@bol.com.br
rui.sol@ambr.com.br

Comentários

rui nogueira disse…
O DESALENTO É UM VENENO

Nunca use palavras que façam um amigo, um seu companheiro, desanimar no caminho do bem-estar, da busca de transformar o mundo num lugar bom de se viver.
É constrangedor verificar-se a sistemática atuação dos meios de comunicação desacreditando a pessoa humana, desvalorizando o brasileiro.
À nossa volta há um destaque para a maldade que pode envenenar a alma. Use toda a sua energia para repelir este sentimento e não se deixar impregnar pelas ondas negativas. Jamais endosse ou permita uma transferência para terceiros.
Filmes com violência gratuita. Sequências de imagens na televisão mostrando morte como solução de problemas, matar para esconder erros. Sucessivas execuções violentas de pessoas que descobrem ou vêm coisas sigilosas ou desacertadas. Em linguagem bandida - queima de arquivo.
Se há enxurradas de situações negativas, deprimentes, de cenas dramáticas que apenas intoxicam o nosso espírito, por que lhes dar guarida?
Puxa! É uma tarefa difícil não se deixar dominar pelo desânimo e pelo abatimento vendo os meios de comunicação privilegiarem e darem demasiada atenção às pessoas que têm câncer na alma e às personalidades negativas que nunca poderão servir de exemplos para os nossos filhos e netos.
O terrível é que o acesso fácil das crianças à televisão coloca as mentes infantis extremamente vulneráveis à construção de uma imagem distorcida da pessoa humana.
E vem o desalento. Com ele, a descrença nos reais valores humanos.
Alto lá! Desastre, morte, choro, sofrimento não pode ser esta a fórmula da vida.
Desânimo nunca poderá ser motor de uma vida digna.
Seja porta-voz do ânimo, da crença no humanismo. Participe da construção de um novo mundo neste século XXI.
Seu esforço terá como prêmio o sorriso de seus filhos e netos, felizes num mundo que é bom de se viver.
O desalento é um veneno que não pode contaminá-lo.

EM VEZ DE DESACREDITAR A PESSOA HUMANA E DESVALORIZAR O BRASILEIRO, OS MEIOS DE COMUNICAÇÃO DEVERIAM ESTAR FAZENDO UM TRABALHO EDUCATIVO.

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.