Nardy Filho e os sesmeiros ituanos.

O historiador Francisco Nardy Filho ao se referir a sesmeiros diz:

"A todo sesmeiro pode-se dar o nome de sertanista; a diferença entre ambos é que o sertanista penetrava pelo sertão à cata de minas ou de bugre; às vezes, por lá se demorava dois anos ou mais, quando acontecia encontrar uma lavra rendosa, porém tornava a sua terra natal ou de Cuiabá se passava para Goiás ou Minas; o sertanista não se estabilizava; o sesmeiro, alcançada a sua sesmaria, se encaminhava para o sertão onde a mesma ficava e levava consigo sua família, seus escravos e suas criações, e lá, nesse sertão, abria seus campos de criar, formava suas roças, erguia sua moradia, aí se estabilizava, e, muitas vezes, dentro dessa sesmaria, tendo por origem a moradia do sesmeiro, se erguia uma povoação, que depois era elevada a freguesia e vila.
Grande número de ituanos que, alcançando sesmarias no sertão, para lá se transferiram e lá foram abrir suas lavouras
.
Vamos dar relação de alguns deles, somente daqueles, cujos documentos de concessão de sesmarias, encontramos"...

O Projeto Partilha só irá citar as que estão em sua região de busca por >Manoel Antônio Rates. São elas:

→ José de Campos Banderborg, em Pitangui, no lugar denominado Lagoa dos Patos. Em nosso estudo existe a anotação de dona
Sebastiana Leite da Silva, irmã de Fernão Dias Paes e tutor de seus filhos, no ano de 1671, como sendo mãe de dona Ignez Monteiro da Silva, casada com José de Campos Bicudo. José de Campos Bicudo é filho de >Felíppe de Campos Banderborg (Filippe), que veio ao Brasil como soldado voluntário e casou-se com dona Margarida Bicudo, no ano de 1643, vindo do Rio de Janeiro.
→ José de Campos Bicudo, no Cajuru, e em Pitanguí, no lugar denominado Lagoa Verde.
Antonio de Moraes Navarro, nas margens do Jequitinhonha.
Manuel Gomes da Costa, no caminho das minas de Goiás.
João Correa da Fonseca, caminho das minas de Goiás.
Manuel Dias Leite, no ribeirão do Sabará-Boçu.
→ João Araújo Cabral, em Cuiabá.
→ Antonio Borralho de Almada, rio Cuiabá abaixo.
→ Manuel Ferraz Bueno, no sertão da
Vila Boa de Goiás.

Projeto Partilha - Leonor Rizzi

Próxima matéria: Uma indicação de estudo e leitura.
Artigo Anterior: Os "De Souza Lima" pedem fotos e dados.

1. Nardy Filho, Francisco - A Cidade de Ytu, Itu-SP, Ottoni editora, 2005.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.

A Família Campos no Sul de Minas Gerais.