Pular para o conteúdo principal

Boletim da Sociedade de São Vicente de Paulo.

A Sociedade de São Vicente de Paula (Paulo) em Carmo da Cachoeira, Minas Gerais tem suas raízes firmadas no firme propósito do Pe. Manoel Francisco Maciel que, impulsionando seu irmão (ambos in memoriam), Antônio Bonifácio Maciel (cartorário na cidade) buscou, neste manual, as informações necessárias para sua implantação. O objetivo do Pe. Manoel e de Antônio era manter um ponto de encontro de jovens que, integrados na busca de um ideal pudessem ter suas consciências ampliadas. O caminho seria o que lhes pudesse oferecer oportunidade do exercício contínuo de serviço altruístico e desinteressado.

Quando o Projeto Partilha conversou com seu Antônio sobre os primórdios do "Asilo", ele disse: "Na realidade, o que se pretendia era organizar um grupo de moços, todos cristãos que desejassem formar uma união comum de orações e obras de caridade". Mostrando um livro de registro de presenças, cuja página inicial, em seu topo, estava escrito: "mês de dezembro de 1946 vimos os nomes dos jovens que, em Carmo da Cachoeira se alinharam em torno dessa bandeira: oração e obras de caridade. Foram os seguintes:

Orlando Brasiliense Naves
José Chagas
Wanderley Ferreira de Rezende
Domingos de Oliveira Godinho
Ismael de Oliveira Faria
João Francisco Alvarenga
Antonio Bonifácio Maciel
Delfino Antonio de Mesquita
Jacy de Oliveira Vilela
Saul de Oliveira Vilela
Antônio Adriano da Silva
João de Oliveira Faria
Ozório dos Santos
Antônio Augusto Leite
Olympio Virgulino de Souza
Pedro Juvêncio de Souza
Francisco Lopes de Souza
Geraldo Sidney Faria
José Cândido da Silva
Constantino dos Santos
Juvenal Machado.

Dois anos depois, numa das páginas seguintes, um termo de abertura:

"Este livro tem 81 páginas que serve para chamada dos membros da Sociedade São Vicente de Paulo. Carmo da Cachoeira, 12 de dezembro de 1948. O presidente, Orlando Brasiliense Naves".

Seguem relacionados os nomes acima, mais o de:
Manuel Monteiro Azevedo
José Custódio do Nascimento
Antônio Jorge
Guido Martins da Costa
Altamiro Custódio
Venerando Barboza
Valter Pereira Barboza
Paulo Romaniello
José Reinaldo Rezende
Amado de Jesus
Carmo Alves
José Maria Adriano
José Paulino Machado
Otávio Marques
José Marcelino de Almeida
Antônio Vilela de Oliveira
Geraldo Moreira Naves
Vitor Adélio Leopoldino
Geracídio Teodoro do Prado
Ciro Severiano de Almeida
José Marcelino da Costa
Domingos Arruda
Guiomar Severiano de Almeida
José Siqueira de Melo
José Umbelino
Vitor Carvalho do Carmo
Agenor Joaquim de Carvalho
Benedito Tiburcio de Melo
João Rosa Vitor
Randolfo Ferreira de Rezende
Sebastião Batista Nogueira
Urbano Reis

Antônio Maciel lembrou seguinte:

"A Sociedade de São Vicente de Paulo foi criada pelos moços e para eles. A intenção era de preservá-los dos perigos de toda sorte a que se acham expostos nesta fase de suas vidas.
Mantinham com assistência, casinhas, onde moravam pessoas que "passavam por dias difíceis". O fim da sociedade era aperfeiçoar os sentimentos cristãos das pessoas que estavam em dificuldade. Enfim, não é só o alívio, sem dúvida louvável, mas é um objetivo meramente humano. O mais importante era o zelo pela salvação das almas, através da união e de orações."


Na folha de número 17 a constituição da diretoria no ano de 1952:

Conferência São Vicente de Paulo de Carmo da Cachoeira.
presidente: Antônio Bonifácio Maciel
Vice- presidente: Antônio Adriano da Silva
Secretário: Guido Martins da Costa
Segundo secretário: Constantino dos Santos
Tesouraria: Pedro Augusto
Segundo tesoureiro: João Francisco Alvarenga.

Da relação de confrades, os novos nomes são:

José Rosário da Costa
José Guilherme Emergente
Manoel Batista da Cruz
Osvaldo Alves
Manoel Guilherme Arcanjo
José Paulino Machado
Pedro Vilela de Rezende
Francisco Reinaldo Rezende
Antônio Sales
Antônio Clemente do Nascimento
Geraldo de Araújo Leite

Arte: TS Bovaris

Próxima imagem: Crianças em evento cultural em Minas Gerais.
Imagem anterior: Flores do Campo na fazenda dos Tachos, Minas

Comentários

projeto partilha disse…
"Buscai e achareis.
Batei e abrir-se-vos-à.
Pois nada é inerte à voz da alma
que almeja alcançar.
Nada é imune ao apelo
do espírito que procura encontrar."
projeto partilha disse…
A Sociedade de São Vicente de Paula (Paulo) em Carmo da Cachoeira, Minas Gerais tem suas raízes firmadas no firme propósito do Pe. Manoel Francisco Maciel que, impulsionando seu irmão (ambos in memoriam), Antonio Bonifácio Maciel(cartorário na cidade) buscou, neste manual, as informações necessárias para sua implantação no. O objetivo do Pe. Manoel e de Antonio era manter um ponto de encontro de jovens que, integrados na busca de um ideal pudessem ter suas consciências ampliadas. O caminho seria o que lhes pudesse oferecer oportunidade do exercício contínuo de SERVIÇO ALTRUÍSTICO E DESINTERESSADO.
projeto partilha disse…
Escriptura de compra e venda que entre si fazem como outorgante vendedores (ilegível)d´Alkmin e sua mulher dona (ilegível/...ane Silva Villela e como outorgado comprador João Villela de Rezende como adiante se vê:
Saibam quantos este publico instrumento de Escriptura de compra e venda virem que, sendo no anno do Nascimento de Nosso Senhor Jesus Christo de mil novecentos e dois aos dizesete dias do mes de junho do mesmo anno neste Districto do Carmo da Cachoeira, Comarca de Varginha, Estado de Minas Geraes na Fazenda de residencia de dona Anna Emigdia Vilela, viúva do fallecido João de Rezende Branquinho onde (...) fui vindo e sendo ahi compareceram como outorgantes João(?)(ilegível/...umas d´Alkmin e sua mulher dona Julia Paranayba Villela residentes no districto de Luminarias, Município de Lavras do Funil como outorgante comprador João Villela de Rezende residente no mesmo districto (Cachoeira do Carmo), na Fazenda Taquaral conhecidos todos de mim tabelião e das duas testemunhas no fim desta assignadas e estas também minhas conhecidas, de que dou fé. Pelos outorgantes e outorgado em presença das mesmas testemunhas foi informado de que sendo os primeiros outorgantes possuidores d´uma fazenda de engenho da Fazenda do Taquaral, districto de Luminárias, Município de Lavras do Funil com parte de engenho como discrito possuem terra e (ilegível) inclusive os de hippoteca legal a vende pelo preço e quantia certa de quinhentos mil réis que (...) minhas notas, a qual lhe li e achou conforme e assignam com as testemunhas presentes sobre uma estampilha federal de valor de um mil réis. Eu Adelino Eustáchio de Carvalho, que esta escrevi e assino. Seguem as assinaturas de Aurélio Batista de Rezende (e Naves?); ten. Beraldo Alexandre da Silva e Joaquim Neves Gomes.
projeto partilha disse…
De: PROJETO PARTILHA.
Para: Padre Manoel Francisco Maciel e
Antonio Bonifácio Maciel - Cidadão Cachoeirense, por Título de Cidadania, expedido pela Câmara Municipal da cidade.


Irmão em Cristo. Queiram receber, em suas moradas nos planos internos da vida, hoje chamado de "PLANO DIVINO", um regalo especial. Ele corresponde ao reconhecimento dos fiéis católicos da cidade pela implantação deste belíssimo trabalho. O projeto Partilha escolheu um trecho de uma obra especialíssima:

"A Pedra Filosofal".

"Eles não sabem, nem sonham,
que o sonho comanda a vida.
Que sempre que um homem sonha
o mundo pula e avança
como bola colorida
entre as mãos de uma criança."
projeto partilha disse…
Procuração bastante que faz o Revdo Cônego Estanislao Mosciaro , Vigário e Fabriqueiro desta Matriz do Carmo da Cachoeira, na forma adiante declarada:
Saibam quantos este melhor instrumento de procuração bastante virem que no anno do Nascimento de Nosso Senhor Jesus Christo de mil novecentos e dois, neste Districto do Carmo da Cachoeira, Comarca de Varginha, Estado de Minas Geraes, em o meu cartório aos dois dias do mes de junho do mesmo anno, compareceo o senhor Conego Estanilau Mosciaro, Vigário e Fabriqueiro da Matriz desta freguezia, como outorgante, reconhecido de mim próprio e das testemunhas abaixo assignadas estas também minhas conhecidas, de que dou fé; perante as quaes elle outorgante me foi dito que, por este melhor instrumento e na melhor forma de direito que a lei (ilegível) nomeia e constitui seu bastante procurador na cidade de Varginha ao douctor Antonio Pinto de Oliveira especialmente para que em seo nome, e, como se presente fosse tractar demarcações das divisas do Patrimônio de Sam Bento (São Bento) desta freguesia, dando eu por este fim poderes illimitados e de substabelecer esta em pessoa de sua confiança se assim for conveniente. Como assim disse e outorgou, de que dou fé, e me pedio fazer o presente instrumento em minhas notas o qual lhe li e achou conforme, accertou, assigna com as testemunhas presentes sobre uma estampilha federal de selos no valor de um mil réis, assignaturas esta que (ilegível) por mim tabellião Adelino Eustáchio de Carvalho que esta escrevi e assino. Seguem as assinaturas de Cônego Estanislao Mosciaro; Ten. Beraldo Alexandre da Silva e Joaquim Alves Gomes.

Postagens mais visitadas deste blog

Tabela Cronológica 10 - Carmo da Cachoeira

Tabela 10 - de 1800 até o Reino Unido - 1815 - Elevação do Brasil a Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves - 1815 ü 30/Jan – capitão Manuel de Jesus Pereira foi nomeado comandante da Cia. de Ordenanças da ermida de Campo Lindo; e ü instalada a vila de Jacuí . 1816 1816-1826 – Reinado de Dom João VI – após a Independência em 1822, D. João VI assumiu a qualidade e dignidade de imperador titular do Brasil de jure , abdicando simultaneamente dessa coroa para seu filho Dom Pedro I . ü Miguel Antônio Rates disse que pretendia se mudar para a paragem do Mandu . 1817 17/Dez – Antônio Dias de Gouveia deixou viúva Ana Teresa de Jesus . A família foi convocada por peritos para a divisão dos bens, feita e assinada na paragem da Ponte Falsa . 1818 ü Fazendeiros sul-mineiros requereram a licença para implementação da “ Estrada do Picu ”, atravessando a serra da Mantiqueira e encontrando-se com a que vinha da Província de São Paulo pelo vale do Paraíba em direção ao Rio de Janeiro, na alt

As três ilhoas de José Guimarães

Fazenda do Paraíso de Francisco Garcia de Figueiredo Francisco Garcia de Figueiredo é citado como um dos condôminos / herdeiros da tradicional família formada por Manuel Gonçalves Corrêa (o Burgão) e Maria Nunes. Linhagistas conspícuos, como Ary Florenzano, Mons. José Patrocínio Lefort, José Guimarães, Amélio Garcia de Miranda afirmam que as Famílias Figueiredo, Vilela, Andrade Reis, Junqueira existentes nesta região tem a sua ascendência mais remota neste casal, naturais da Freguesia de Nossa Senhora das Angústias, Vila de Horta, Ilha do Fayal, Arquipélago dos Açores, Bispado de Angra. Deixaram três filhos que, para o Brasil, por volta de 1723, imigraram. Eram as três célebres ILHOAS. Júlia Maria da Caridade era uma delas, nascida em 8.2.1707 e que foi casada com Diogo Garcia. Diogo Garcia deixou solene testamento assinado em 23.3.1762. Diz ele, entre tantas outras ordenações: E para darem empreendimento a tudo aqui declarado, torno a pedir a minha mulher Julia Maria da Caridade e mai

A Família Campos no Sul de Minas Gerais.

P edro Romeiro de Campos é o ancestral da família Campos do Sul de Minas , especialmente de Três Pontas . Não consegui estabelecer ligação com os Campos de Pitangui , descendentes de Joaquina do Pompéu . P edro Romeiro de Campos foi Sesmeiro nas Cabeceiras do Córrego Quebra - Canoas ¹ . Residia em Barra Longa e casou-se com Luiza de Souza Castro ² que era bisneta de Salvador Fernandes Furtado de Mendonça . Filhos do casal: - Ana Pulqueria da Siqueira casado com José Dias de Souza; - Cônego Francisco da Silva Campos , ordenado em São Paulo , a 18.12. 1778 , foi um catequizador dos índios da Zona da Mata ; - Pe. José da Silva Campos, batatizado em Barra Longa a 04.09. 1759 ; - João Romeiro Furtado de Mendonça; - Joaquim da Silva Campos , Cirurgião-Mor casado com Rosa Maria de Jesus, filha de Francisco Gonçalves Landim e Paula dos Anjos Filhos, segundo informações de familiares: - Ana Rosa Silveria de Jesus e Campos , primeira esposa de Antônio José Rabelo Silva Pereira , este nascido

A família do Pe. Manoel Francisco Maciel em Minas.

A jude-nos a contar a história de Carmo da Cachoeira. Aproveite o espaço " comentários " para relatar algo sobre esta foto, histórias, fatos e curiosidades. Assim como casos, fatos e dados históricos referentes a nossa cidade e região. Próxima imagem: Sete de Setembro em Carmo da Cachoeira em 1977. Imagem anterior: Uma antiga família de Carmo da Cachoeira.

Um poema à Imaculada Conceição Aparecida.

Por esse dogma que tanto te enaltece, Por tua Santa e Imaculada Conceição, Nós te louvamos, ó Maria, nesta prece, Mulher bendita, as nações te chamarão! Salve, Rainha, ó Mãe da Misericórdia! Nossa esperança, nosso alento e vigor, A nossa Pátria, vem, liberta da discórdia, Da ignomínia, da injustiça e desamor! Tu família, aqui, hoje reunida, Encontra forças no seu lento caminhar. A ti recorre, Virgem Santa Aparecida, Nosso caminho vem, ó Mãe, iluminar! Somente tu foste escolhida e preparada Por Deus, o Pai, que com carinho te ornou, Para fazer do Filho Seu, digna morada! Pelo teu sim, a humanidade se salvou. Novo Milênio, com Maria festejamos, Agradecendo tantas graças ao Senhor. Com passos firmes, nova etapa iniciamos, Com muita fé, muita esperança e muito amor. Trecho da obra: Encontros e desencontros de Maria Antonietta de Rezende Projeto Partilha - Leonor Rizzi Próximo Texto: A túnica Inconsútil, um poema de fé. Texto Anterior: A prece da poeta e professora Maria Antonie

Foto de família: os Vilela de Carmo da Cachoeira-MG.

A jude-nos a contar a história de Carmo da Cachoeira. Aproveite o espaço " comentários " para relatar algo sobre esta foto, histórias, fatos e curiosidades. Assim como casos, fatos e dados históricos referentes a nossa cidade e região. E sta foto foi nos enviada p or Rogério Vilela. Da esquerda para a direita: Custódio Vilela Palmeira, Ercília Dias de Oliveira, Fernando de Oliviera Vilela, Adozina Costa (Dozica), Jafoino de Azevedo e José de Oliveira Vilela (Zé Custódio). Imagem anterior: Sinopse Estatística de Carmo da Cachoeira - 1948

Antiga foto da cidade de Carmo da Cachoeira.

A jude-nos a contar a história de Carmo da Cachoeira. Aproveite o espaço " comentários " para relatar algo sobre esta foto, histórias, fatos e curiosidades. Assim como casos, fatos e dados históricos referentes a nossa cidade e região. Foto: Paulo Naves dos Reis Próxima imagem: Imagem da mata da fazenda Caxambu em Minas. Imagem anterior: Um pouco sobre a região do distrito de Palmital.

A família Faria no Sul de Minas Gerais.

Trecho da obra de Otávio J. Alvarenga : - TERRA DOS COQUEIROS (Reminiscências) - A família Faria tem aqui raiz mais afastada na pessoa do capitão Bento de Faria Neves , o velho. Era natural da Freguesia de São Miguel, termo de Bastos, do Arcebispado de Braga (Portugal). Filho de Antônio de Faria e de Maria da Mota. Casou-se com Ana Maria de Oliveira que era natural de São João del-Rei, e filha de Antônio Rodrigues do Prado e de Francisca Cordeiro de Lima. Levou esse casal à pia batismal, em Lavras , os seguintes filhos: - Maria Theresa de Faria, casada com José Ferreira de Brito; - Francisco José de Faria, a 21-9-1765; - Ana Jacinta de Faria, casada com Francisco Afonso da Rosa; - João de Faria, a 24-8-1767; - Amaro de Faria, a 24-6-1771; - Bento de Faria de Neves Júnior, a 27-3-1769; - Thereza Maria, casada com Francisco Pereira da Silva; e - Brígida, a 8-4-1776 (ou Brizida de Faria) (ou Brizida Angélica) , casada com Simão Martins Ferreira. B ento de Faria Neves Júnior , casou-se

Eis o amor caridade, eis a Irmã Míriam Kolling.

À Irmã Míria T. Kolling: Não esqueçam o amor Eis o amor caridade , dom da eternidade Que na entrega da vida, na paz repartida se faz comunhão ! Deus é tudo em meu nada: sede e fome de amar! Por Jesus e Maria, Mãe Imaculada todo mundo a salvar! " Não esqueçam o amor ", Dom maior, muito além dos limites humanos do ser, Deus em nós, entrega total! Não se nasce sem dor, por amor assumida: Nada resta ao final do caminho da vida a não ser o amor . Próximo artigo: Até breve, Maria Leopoldina Fiorentini. Artigo anterior: Os Juqueiras, Evando Pazini e a fazenda da Lage