Pular para o conteúdo principal

Tradicional festa das "Pastorinhas" em Carmo da Cachoeira-MG.


Ajude-nos a contar a história de Carmo da Cachoeira. Aproveite o espaço "comentários" para relatar algo sobre esta foto, histórias, fatos e curiosidades. Assim como casos, fatos e dados históricos referentes a nossa cidade e região.

Comentários

Anônimo disse…
De Franca para Cachoeira. Nosso desejo é o êxito nesta empreitada de busca coletiva. Eis a contribuição da capital paulista do calçado: Vejam a referência PEDRO RODRIGUES DA SILVA no projeto compartilhar em JOSÉ LOURENÇO DE BORBA E MARIA ANGÉLICA DE JESUS - Windows Internet Explorer. O primeiro casamento de José Lourenço, (inv.1898) foi com dona Maria Angélica (inv.1876). O segundo com dona Maria Rosa de Jesus. Cf http://br.geocities.com/projetocompartilhar4/ "disse mais o herdeiro João Lourenço filho e decujo foi casado com Francisca Maria de Jesus ambos falecidos, sendo Francisca filha d´ella inventariante e do seu primeiro marido PEDRO RODRIGUES DA SILVA". (...). A procuração abaixo tem como testemunha, junto com José Fernandes Avelino, o dito PEDRO RODRIGUES DA SILVA. Eis nossa contribuição. Abraços.

PROCURAÇÃO.

Saibão quantos virem este publico instrumento de poderes de procuração que no anno do Nascimento de Nosso Senhor Jesuz Christo de mil oitocentos setenta e oito aos onze dias do mez de março do dito anno, nesta freguezia da Cachoeira do Carmo, Termo da Cidade de Lavras, em meu cartório comparecerão Antonio dos Reis Silva e sua mulher Maria Cândida Branquinho ambos moradores desta mesma Freguezia, reconhecido pelos próprios do que dou fé e por elles me foi dito em prezença das testemunhas abaixo assinadas, que por este publico instrumento e na milhor forma de direito nomiavão e constituião por seus bastantes procuradores, no TERMO DA CIDADE DE FRANCA, a MANOEL JOAQUIM DA COSTA e JOSÉ JOAQUIM GOMES BRANQUINHO (o segundo), com poderes especiaes para assignar escriptura de venda, que os obtorgantes tem nas duas partes de terras que ouverão por erança materna e paterna do Capitão JOÃO DAMACENO BRANQUINHO e de dona JOAQUINA ANTONIA DA SILVA, cujas partes citão na FAZENDA DO MONTE ALTO, cujas partes achão contratadas com o comprador CANDIDO ALVES BRANQUINHO pela quantia de vinte contos de reis, sendo quatro a vista e os mais em cinco annos em cinco pagamentos iguais na forma da carta de ordem que os obtorgantes envião aos seus procuradores aos quais concede amplos e illimitados poderes e que tudo quanto pelos seos procuradores for feito e obrado os havião por firme e valioso relevado do incargo da saptisfação que o direito outorga. O como assim o disserão e outorgarão assinarão este instrumento com as testemunhas Tenente Coronel José Fernandes Avelino e PEDRO RODRIGUES DA SILVA depois de haver a lido (tudo o mais está rasgado).
Anônimo disse…
Gratidão, é o sentimento que emana do Projeto Partilha que, ao abrir sua página de hoje encontra o registro de tão importante documento, referente ao seu território em estudo.

ASSUNTO 2:

As tomadas e imagens que aparecem no evento das PASTORNHAS EM CACHOEIRA foram feitas pelo fotógrafo PAULO NAVES DOS REIS, do studio PAULO FOTÓGRAFIAS, situado à rua Dr. VEIGA LIMA, 676, telefone (35)32251468. Nossos agradecimentos pelo trabalho e dedicação de PAULO E BETH junto à PARÓQUIA E NOSSA SENHORA DO CARMO e, em especial, pelo carinho que o casal dedica ao Pe. ANDÉ LUIZ DA CRUZ e que dedicou ao Pe. BERNARDO.
Anônimo disse…
O pessoal que aparece agrupado posou para as lentes de PAULO NAVES DOS REIS em frente ao Restaurante, Pizzaria e Lanchonete Altas Horas, após uma farta refeição oferecida pelos padrinhos do evento: CIRINEU PINTO e sua esposa MARIA DO CARMO, residentes a rua presidente Antonio Carlos, 187. O casal foi o organizador do evento e foram os anfitriões do encontro. A paróquia Nossa Senhora do Carmo presta-lhes homenagem e reverências pelo ato. Cidadãos conscientes, fazem sua parte, e assim garantem a manutenção da tradição, verdadeiros tesouros cachoeirense.
Anônimo disse…
Tendo como testemunhas Godofredo José Caldeira, José Pinto de Mesquita e José Ramos de Brito, JOÃO GONÇALVES VALLIM, residente em Carmo da Cachoeira, casado com MARIANNA FERREIRA ROZA hypoteca 27 alqueires de terras no RIBEIRÃO DA CAVA, confrontando com Manoel Alves Teixeira, Clara Cardozo e filhos e com Silvestre Victorio, no ano de 1927.
Anônimo disse…
ALFREDO RODRIGUES DA COSTA foi morador em Cachoeira do Carmo. Já era falecido em 1927, quando nome apare numa escritura como HEDEIROS DE ALFREDO RODRIGUES DA COSTA. Era confrontante, segundo a referida escritura, no ano de 1927 com os herdeiros de José Villela de Rezende, dona Phelomena da Costa e seu marido Balthazar Simões Correa de Barros, fazendo fundo com a rua do Chafariz e frente para o largo da Matriz.
Anônimo disse…
FAZENDA COURO DO CERVO, 22 de dezembro de 1927. Testemunhas: José Cardozo e Luiz de Almeida Ribeiro. Arrematação da praça a ARTHUR RIBEIRO DA COSTA na cidade de Nepomuceno, terras da Fazenda das Paineiras. De accordo com a carta de arrematação, são terras de cultura em cafezais e pasto com uma machina de benefício de café e respectiva casa, uma casa de morada, sede da fazenda e as demais benfeitorias de terreiro, casas de colonos e cerca de 17 alqueires de café formado extrahidas dos autos das ações executivas que AUGUSTO FORESTE e JOSÉ PONCIANO DA SILVA moveram no termo de Nepomuceno contra Arhur Ribeiro Costa e sua mulher com excepção apenas da machina de arroz.
Anônimo disse…
RAUL BASÍLIO DA SILVA, residente no distrito do Carmo da Cachoeira - Minas Gerais nomeia e constitui seu procurador em MADRE DE DEUS, município do Turvo, ao sr. Lindosipho Theodoro Ribeiro, commerciante para vender casa no lugar chamado FUNDÃO, no dito districto. Assina por ele o senhor Jorge Thomaz da Silva e como testemunhas, Antonio dos Reis Brito e João Severiano dos Reis.
Anônimo disse…
Permuta na FAZENDA COURO DO CERVO em 10/03/1928. O lavrador JOÃO PAULINO BUENO e sua mulher OLINDA CANDIDA DE JESUS permuta terras em divisas de Djalma de Souza, José Manoel dos Reis e Levy Veiga Costa. Testemunhas: José Baptista Cardozo e Luiz de Almeida Ribeiro(na assinatura está invertido, ficando Luiz Ribeiro de Almeida).
Anônimo disse…
Dona MARIANNA DE OLIVEIRA CARDONAZZO, moradora em Carmo da Cachoeira, falecida em 14 de maio de 1924 deixa menores púberes, e em 31 de maio de 1928, a filha Ismenia Fonseca estava com 18 anos e Idalina Fonseca com 16.
Anônimo disse…
Olá, Jales Naves. Possivelmente são duas pessoas diferentes. A genealogia irá mostrar o parentesco entre eles. Era comum haver, além de filhos, sobrinhos e sobrinhos-netos levando o mesmo nome. Aí há que se tomar muito cuidado. Ver os detalhes com muita atenção, tipo: o nome do pai e da mãe; verificar seus irmãos, o local de nascimento, entre outros. Aqui, quase que nos enrolamos com pessoa de nome João Vilela Fialho. São 4 com o mesmo nome. O último deles foi presidente da Câmara em Carmo da Cachoeira. O nome da mulher precisa ser verificado com atenção. Era muito comum uma pessoa enviuvar-se e casar novamente. A incidência de casamento entre viúvos era muito grande. Não sei se você já topou com estas situações, mas aqui patinamos muito. É só ficar alerta. Acho que em seu caso não é a mesma pessoa. Vá com calma, para não tomar caminho errado e perder muito tempo no caminho de retorno. Armazene o dado. Já, já, aparecem informações. Bom trabalho.
Anônimo disse…
Vejam isso. NULIDADE DE VENDA DE TERRAS na FAZENDA DE SÃO JERÔNYMO GRANDE, no município de ITUYUTABA.

"Em 03/08/1928, dona Júlia Paranahyba Villela, moradora na freguesia do Cachoeira do Carmo, viúva, nomeia procurador JOSÉ ROMÃO CARNEIRO FILHO, commerciante, residente em Sant´Anna do Paranahyba, Estado de Mato Grosso para promover contra EMYDIO MARQUES FERREIRA e sua mulher NULIDADE DA VENDA DE TERRAS na fazenda de São Jeronymo Grande no município de Ituyutaba, neste Estado".
Anônimo disse…
O Projeto Partilha recebeu informação vinda da FAMÍLIA MARQUES de que há em seus arquivos e datado de 11/08/1928 um documento em que o EUGENIO AVELINO DE SOUZA vende uma casa na RUA DO PRETÓRIO em CARMO DA CACHOEIRA -MG, remanescentes de JOSÉ FRANCISCO MARQUES E SUA MULHER.
Anônimo disse…
O Projeto Partilha agradece a família Vieira Carneiro pelo repasse da seguinte informação:

Dona Aurora Vieira Carneiro comprou em 21/09/1928 propriedade na freguesia do Carmo da Cachoeira-MG. Vendedor ANTONIO REDUZINO DA SILVA.
Anônimo disse…
Um documento interessante:

"No primeiro de dezembro de mil oitocentos e secenta as 2 horas da tarde em face aos altares da Matriz de Nossa Senhora do Carmo da Cachoeira e na presença do vigário JOAQUIM ANTONIO DE REZENDE, de licença e das testemunhas ANTONIO SEVERINO e MANOEL JOAQUIM, precedidas as admoestações canônicas depoimentos verbais tudo segundo o concilio Tridentino e constituições do Bispado, os contrahentes JOSÉ VALENTIN VILAS BOAS, viúvo, e BENEDITA MARIA DE JESUS, LIBERTA, com palavras de presente eu lhes conferi as bençãos de que fez este termo para constar. Vigário José Bento Ferreira de Mesquita".

Entre outros: "Aos 7 de fevereiro de 1847 batizei Maria, filha legítima de JOSÉ VALENTIM VILLAS BOAS e Dona Maria das Dores. Foram padrinhos: JOAQUIM ... de MORAES e FRANCISCA ROMANA DE MORAES".

Postagens mais visitadas deste blog

Tabela Cronológica 10 - Carmo da Cachoeira

Tabela 10 - de 1800 até o Reino Unido - 1815 - Elevação do Brasil a Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves - 1815 ü 30/Jan – capitão Manuel de Jesus Pereira foi nomeado comandante da Cia. de Ordenanças da ermida de Campo Lindo; e ü instalada a vila de Jacuí . 1816 1816-1826 – Reinado de Dom João VI – após a Independência em 1822, D. João VI assumiu a qualidade e dignidade de imperador titular do Brasil de jure , abdicando simultaneamente dessa coroa para seu filho Dom Pedro I . ü Miguel Antônio Rates disse que pretendia se mudar para a paragem do Mandu . 1817 17/Dez – Antônio Dias de Gouveia deixou viúva Ana Teresa de Jesus . A família foi convocada por peritos para a divisão dos bens, feita e assinada na paragem da Ponte Falsa . 1818 ü Fazendeiros sul-mineiros requereram a licença para implementação da “ Estrada do Picu ”, atravessando a serra da Mantiqueira e encontrando-se com a que vinha da Província de São Paulo pelo vale do Paraíba em direção ao Rio de Janeiro, na alt

As três ilhôas de José Guimarães.

A jude-nos a contar a história de Carmo da Cachoeira. Aproveite o espaço " comentários " para relatar algo sobre esta foto, histórias, fatos e curiosidades. Assim como casos, fatos e dados históricos referentes a nossa cidade e região. F oi, seguido deste singelo bilhetinho que a obra " As Três Ilhoas " de José Guimarães, está em nossas mãos: Prezada Leonor Vai aqui o livro, uma Obra Póstuma, de meu marido José Guimarães. O livro vem completar a coleção da genealogia das Três Ilhoas, lançada em 1989. Agradeço a grande pesquisadora e genealogista Marta Maria Amato , pelo enriquecimento proporcionado pelas suas pesquisas. Gostei de saber que o Projeto Partilha está colaborando com o resgate da "História de Carmo da Cachoeira". Temos em nosso arquivo alguns dados das paróquias de Campanha, onde tem alguma coisa sobre sua cidade:a terra do Pe. José Bento Ferreira. Será? Atenciosamente Leyde M. Guimarães. Ouro Fino, 15-08-2006 Próxima imagem: O Capitão Diog

A família do Pe. Manoel Francisco Maciel em Minas.

A jude-nos a contar a história de Carmo da Cachoeira. Aproveite o espaço " comentários " para relatar algo sobre esta foto, histórias, fatos e curiosidades. Assim como casos, fatos e dados históricos referentes a nossa cidade e região. Próxima imagem: Sete de Setembro em Carmo da Cachoeira em 1977. Imagem anterior: Uma antiga família de Carmo da Cachoeira.

A Família Campos no Sul de Minas Gerais.

P edro Romeiro de Campos é o ancestral da família Campos do Sul de Minas , especialmente de Três Pontas . Não consegui estabelecer ligação com os Campos de Pitangui , descendentes de Joaquina do Pompéu . P edro Romeiro de Campos foi Sesmeiro nas Cabeceiras do Córrego Quebra - Canoas ¹ . Residia em Barra Longa e casou-se com Luiza de Souza Castro ² que era bisneta de Salvador Fernandes Furtado de Mendonça . Filhos do casal: - Ana Pulqueria da Siqueira casado com José Dias de Souza; - Cônego Francisco da Silva Campos , ordenado em São Paulo , a 18.12. 1778 , foi um catequizador dos índios da Zona da Mata ; - Pe. José da Silva Campos, batatizado em Barra Longa a 04.09. 1759 ; - João Romeiro Furtado de Mendonça; - Joaquim da Silva Campos , Cirurgião-Mor casado com Rosa Maria de Jesus, filha de Francisco Gonçalves Landim e Paula dos Anjos Filhos, segundo informações de familiares: - Ana Rosa Silveria de Jesus e Campos , primeira esposa de Antônio José Rabelo Silva Pereira , este nascido

Antiga foto da cidade de Carmo da Cachoeira.

A jude-nos a contar a história de Carmo da Cachoeira. Aproveite o espaço " comentários " para relatar algo sobre esta foto, histórias, fatos e curiosidades. Assim como casos, fatos e dados históricos referentes a nossa cidade e região. Foto: Paulo Naves dos Reis Próxima imagem: Imagem da mata da fazenda Caxambu em Minas. Imagem anterior: Um pouco sobre a região do distrito de Palmital.

Eis o amor caridade, eis a Irmã Míriam Kolling.

À Irmã Míria T. Kolling: Não esqueçam o amor Eis o amor caridade , dom da eternidade Que na entrega da vida, na paz repartida se faz comunhão ! Deus é tudo em meu nada: sede e fome de amar! Por Jesus e Maria, Mãe Imaculada todo mundo a salvar! " Não esqueçam o amor ", Dom maior, muito além dos limites humanos do ser, Deus em nós, entrega total! Não se nasce sem dor, por amor assumida: Nada resta ao final do caminho da vida a não ser o amor . Próximo artigo: Até breve, Maria Leopoldina Fiorentini. Artigo anterior: Os Juqueiras, Evando Pazini e a fazenda da Lage

Carapina, a origem do nome.

O termo " carapina ", segundo o professor Caio Boschi , eram os profissionais no exercício da profissão do trato da madeira, "... deviam ser menos qualificados " que os oficiais de carpintaria ou marcenaria. P or não serem portadores de cartas de autorização passadas pelas Câmaras Municipais para o exercício da função, faziam parte dos denominados " carapinas ", muitos que, por algum motivo sofriam perseguições, embora não tivessem sido condenados ou julgados por atos que houvessem ferido a lei. Projeto Partilha - Leonor Rizzi Próxima matéria: A origem do nome da Escola Lourdes Galvão. Artigo Anterior: Francisco vende o escravo João à Domingos.

Antiga foto da fazenda da Serra de Carmo da Cachoeira.

F Luiz José Álvares Rubião, em publicação da obra, Álbum da Varginha pela Casa Maltese, às fls. (a publicação não contempla, nem ano, nem nº de páginas), descreve a Fazenda da Serra da seguinte forma: “A uma légua da freguesia do Carmo da Cachoeira, está situada a Fazenda da Serra, propriedade do Cel. Antônio Justiniano dos Reis”. Se diz: Freguesia, leia-se, após, 1857. Em publicação, no ano de 1918, Sylvestre Fonseca e João Liberal, às fls. 149, dizem: “O Cel. Antônio Justiniano dos Reis falecido o anno passado, foi um dos mais importantes fazendeiros do Distrido do Carmo da Cachoeira”. Ary Florenzano, genealogista, cita a Fazenda da Serra, apresentando-a como sendo o lugar onde pela primeira vez, aparece o nome Carmo da Cachoeira, em documento. O 21º Anuário Eclesiástico da Diocese da Campanha, 1959, fls. 28: “Aos onze dias do mês de novembro do ano de mil oitocentos e dezenove, na Ermida de Nossa Senhora do Carmo da Cachoeira, desta freguesia de São João Del Rei, receberam

Um poema à Imaculada Conceição Aparecida.

Por esse dogma que tanto te enaltece, Por tua Santa e Imaculada Conceição, Nós te louvamos, ó Maria, nesta prece, Mulher bendita, as nações te chamarão! Salve, Rainha, ó Mãe da Misericórdia! Nossa esperança, nosso alento e vigor, A nossa Pátria, vem, liberta da discórdia, Da ignomínia, da injustiça e desamor! Tu família, aqui, hoje reunida, Encontra forças no seu lento caminhar. A ti recorre, Virgem Santa Aparecida, Nosso caminho vem, ó Mãe, iluminar! Somente tu foste escolhida e preparada Por Deus, o Pai, que com carinho te ornou, Para fazer do Filho Seu, digna morada! Pelo teu sim, a humanidade se salvou. Novo Milênio, com Maria festejamos, Agradecendo tantas graças ao Senhor. Com passos firmes, nova etapa iniciamos, Com muita fé, muita esperança e muito amor. Trecho da obra: Encontros e desencontros de Maria Antonietta de Rezende Projeto Partilha - Leonor Rizzi Próximo Texto: A túnica Inconsútil, um poema de fé. Texto Anterior: A prece da poeta e professora Maria Antonie

Padre José Procópio Júnior em Carmo da Cachoeira

Paróquia Nossa Senhora do Carmo sob nova guiança Editorial Sai Pe. Daniel Menezes, e assume como administrador paroquial da acolhedora cidade de Carmo da Cachoeira, em fevereiro de 2019, o Pe. José  Procópio Júnior. "Não cabe à pedra escolher o lugar que deve ocupar no edifício. Assim também não cabe à nós criaturas ditar ao Criador o que deve acontecer em nossa vida, pois Deus é quem sabe e dispõe com sabedoria própria." − Dom Servílio Conti, IMC Como página que observa os acontecimentos neste pedaço de chão mineiro, limitado por montanhas e que, segundo o cachoeirense Padre Godinho, “todas são azuis”, registramos o remanejamento ocorrido entre padres ligados a Diocese da Campanha no ano de 2019. Entre as mudanças encontra-se a Paróquia Nossa Senhora do Carmo/Carmo da Cachoeira – MG. Sai nosso querido Padre Daniel Menezes. Por ele continuamos a rezar e o devolvemos, entre lágrimas e a esperança de um dia tê-lo entre nós. Somos eternamente gratos e devedores. Entr