Foto do farmacêutico cachoeirense Luiz Galvão.

Luiz Galvão Corrêa foi sem dúvida alguma um "médico do corpo e da alma" e é até hoje grande amigo dos mais carentes, embora esteja na eternidade, mas continua presente entre nós, através de sua bondade e desprendimento habitual. A ele dedicamos o poema "Bons dias bem vividos" de Wanderlino Arruda:

Doce lembrança,
saudades,
adoráveis sentimento,
claros montes,
luz, muita luz.

Antes do depois,ainda,
fios de claridade,
fontes, conforto-luz,
pura alegria,sorrisos,
bons dias bens vividos!

Foto: Evando Pazini - Arte: TS Bovaris

Próxima imagem: Frio amanhecer na belíssima fazenda dos Tachos.
Imagem anterior: Flôres campestres em imagem da fz. do Lobo.

Comentários

projeto partilha disse…
... e o navio percorre o antigo caminho marítimo que fazia a ligação entre as costas continentais do velho e novo mundo, nos idos anos do século XVIII. Entre maciços de terra, o oceano - Oceano Atlântico, inicio da história de Luiz Galvão Corrêa que, embora farmacêutico é reconhecido em Carmo da Cachoeira, Minas Gerais, como "O Pai da pobreza". Dentro deste navio seguia um jovem casal. Ela com um filho em seu ventre. Filho que viria a ser o conhecido farmacêutico, cuja descendência faz parte neste século XXI da sociedade cachoeirense.
projeto partilha disse…
(continuação do comentário anterior).
Este casal idealista viajava em busca de nova vida num território promissor. Deixava o velho continente onde estão mapeados, entre outros, os paises Portugal e África. Em seus sonhos e fantasias estavam deixando para traz a ignorância, a imaturidade que produzia as guerras, escravidão, polarização, desconsideração, falta de respeito, encontros e desencontros vividos pelo acerto entre os opostos. A indicação e a busca seria uma ilha. A "Ilha de Vera Cruz", depois conhecida como "Terra de Santa Cruz" e por fim chamada de Brasil. Os sonhos do casal seriam vividos nesta abençoada e nova terra. Seria nela que criariam seus filhos. Assim, do ventre materno vivida em águas marítimas, chegou a criança em costas brasileiras. Nasceu no dia 30 de janeiro. Quando adulto este recém-nascido, o Luiz, viria desenvolver uma vida de doação e serviço voltados aos ser humano em Carmo da Cachoeira, no sul de Minas Gerais.
projeto partilha disse…
Seja pequeno e como uma criança. Caminho melhor e mais simples não há para ver a grande paisagem.

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.

A Família Campos no Sul de Minas Gerais.

Palanques e trincheiras na defesa dos quilombos.