Documento de 1878 na fazenda das Abelhas.

Este documento: "Pública Forma" de 25 de maio de 1878 foi produzido na fazenda das Abelhas do distrito da Boa Vista em Lavras do Funíl. A sede do distrito na época era a fazenda Boa Vista de propriedade de José Joaquim Gomes Branquinho.

Arte: TS Bovaris

Próxima imagem: Transcrições de aforamento de terras de 1896.
Imagem anterior: Ata da Eleição na cidade de Varginha em 1891.

Comentários

projeto partilha disse…
Pública forma é, conforme o que nos informa o Dicionário Aurélio, "cópia integral, exata e certificada, de um documento feito por tabelião, e que pode substituir esse documento na maioria dos casos.". O que aqui se apresenta na página de hoje foi homologado na Fazenda das Abelhas, em 25 de maio de 1878 por "Rezende".
O Município de Carmo da Cachoeira é um dos poucos que tem guardado no bojo de sua história o fato de sua sede ter sido transferida do local físico onde foi originado. Além da mudança, há também, outra caracteristica que lhe é própria: por muito tempo, registros eclesiásticos e/ou cartoriais registram o local qualificando-o "CARMO", homenagem a NOSSA SENHORA DO CARMO, Senhora do Monte Carmelo, e até hoje a PADROEIRA DA CIDADE. Inicialmente CARMO DA BOA VISTA, por pertencer ao Distrito da Boa Vista - Lavras do Funil, Comarca do Rio das Mortes. Posteriormente, CARMO DA CACHOEIRA, denominação derivada do local físico de SUA NOVA SEDE. Da Fazenda da Boa Vista passou para o SÍTIO CACHOEIRA, CACHOEIRA DOS RATES (dos "de Rates") - Distrito de Três Pontas e depois de Varginha. Alguns documentos, como este, por exemplo, dizem CACHOEIRA DO CARMO.
O documento foi publicado no intuito de marcar a força, na época, das fazendas situadas mais ao lesto do atual núcleo urbano, neste caso referendado na FAZENDA DAS ABELHAS, pertencente ao Distrito de Lavras do Funil.

PÚBLICA FORMA
Do Termo de dezistência que passou FRANCISCO JOAQUIM ALVES, por combinação com ANTÔNIO JUSTINIANO DOS REIS; e este mandou passar a Pública Forma que ao diante se segue. João Baptista da Fonseca, Escrivão que a escrevi.

Ilmo. Snr Juiz de Paz. Dis FRANCISCO JOAQUIM ALVES, morador deste Freguesia da CACHOEIRA DO CARMO, deste termo de Lavras, que tendo feito uma convensão amigável relativamente aos ferimentos que recebera JOÃO FRANCISCO PASSOS e JOAQUIM CRAVO, constantes do auto de corpo de Delicto que si acha no Cartório de Lavras, pede a Vossa Senhoria se digne ordenar ao Escrivão deste juízo, tomar por termo a referida convensão, mencionando no mesmo termo a dezistência do supplicante pelo que espera o deferimento. E (ilegível) Arogo de FRANCISCO JOAQUIM ALVES, Francisco de Paula Cândido. Mando que passe conforme requer, ABELHAS (Fazenda), 25 de maio de 1878. Rezende.
Termo de dizistência que fas FRANCISCO JOAQUIM ALVES como abaixo declarou. Aos vinte seis dias do mez de maio em meu cartório compareceu prezente FRANCISCO JOAQUIM ALVES, me foi entregue a prezente petição despaxada pelo Juiz de Paz para por fim na milhor forma e via de Direito dezistir do direito que tem de accuzar a João Francisco Passos e Joaquim Cravo, pelo ferimento que, digo, contuzão que fizerão a elle suplicante e por que se achão concordado em darem a elle supplicante a quantia de cento e cincoenta mil réis dada esta quantia por Antonio Justiniano dos Reis, e por isso faz o prezente termo de Dezistênica por nos acharmos assim contratados. Eu, como Tabelião assisti as Declarações assina declaradas em firmeza do que passo este termo em que si assigna a dezistência com o Juiz e as testemunhas JOAQUIM RIBEIRO DE CARVALHO e ANTONIO GODINHO LOURO com migo escrivão JOÃO BAPTISTA DA FONSECA que o escrevi e assigno Arrogo de FRANCISCO JOAQUIM ALVES. Assim, seguem-se as assinaturas de José Esteves dos Reis; Joaquim Ribeiro de Carvalho; Antonio Godinho Louro; João Baptista da Fonseca. Pago 4$000 (rubrica, Fonseca).
projeto partilha disse…
Cf.: PROJETO COMPARTILHA.
Inventariado - Domingos José Alves.
Inventariante - o filho, Miguel José Alves.
Local - Carmo da Cachoeira. Fazenda Capão dos Óleos. Distrito de Carmo da Cachoeira, Termo da Vila de Lavras, Comarca do Rio Verde. Em casa de dona Ana Jacinta de Figueiredo. "Partes de terras nesta FAZENDA DA CACHOEIRA com moradia de casas (metade) - 140$440. O inventário ficou parado neste ponto. Sem conclusão.

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.

A Família Campos no Sul de Minas Gerais.