Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2009

Profª. Luna Dias no Cemitério da Chamusca.

Imagem
Ajude-nos a contar a história de Carmo da Cachoeira. Aproveite o espaço "comentários" para relatar algo sobre esta foto, histórias, fatos e curiosidades. Assim como casos, fatos e dados históricos referentes a nossa cidade e região.Próxima imagem: O antigo cruzeiro do Cemitério da Chamusca.
Imagem anterior: Casa da fazenda Caxambu.

O dia-a-dia da expedição de Pamplona.

Imagem
Quando todos os preparativos estavam prontos, com as 52 bestas de cargas já estavam carregadas com comida, bebida e a botica, todos partiram. Além dos fazendeiros, dos que queriam ser fazendeiros e dos escravos, iam também o Capelão Gabriel da Costa Resende, oito músicos, dos quais sete eram escravos de Pamplona e um branco livre, e mais dois negros tocadores de tambores. Logo à frente, iria juntar-se à comitiva um cirurgião, responsável por tentar mantê-los vivos.A quantidade de armas levadas pelo grupo mostrava a todos que não seria uma expedição pacífica. Havia espingardas, clavinas, facões, patronas, pólvora, chumbo e muita munição. Tudo indicava tratar-se de uma expedição de guerra. Naquele primeiro dia andaram cerca de três léguas e pararam para pernoitar na Fazenda Cataguases. Lá, iniciaram uma rotina que os acompanharia durante toda a jornada, ainda que as paradas fossem já no meio do Sertão sem qualquer abrigo por perto: a janta com os requisitos básicos da civilidade. A comi…

O prefeito Francisco Ximenes de Oliveira.

Imagem
Francisco Ximenes de Oliveira, homem alto, tez e olhos claros e calva acentuada. Filho de Francisco Guilherme Júnior e de Ana Evangelista Ximenes, era casado com a trespontana Albertina Reis Ximenes. Integrou por vários anos o Coro da Igreja Matriz de Nossa Senhora da Ajuda, era ótimo cantor. Na comissão encarregada de construir um campo de futebol, participou ativamente e foi um dos fundadores do Trespontano Atlético Clube - TAC. Foi comerciante de café em grão, por muitos anos, ramo de atividade que conhece profundamente. Exerceu interinamente o cargo de prefeito, no período de 10 de junho de 1938 a 31 de agosto de 1938. Em primeiro de janeiro de 1941, foi nomeado prefeito de Três Pontas, Minas Gerais. Em 30 de novembro de 1941, o semanário "Três Pontas Jornal" publicou uma nota, informando que o prefeito Ximenes havia determinado que se iniciasse o serviço de nivelamento, construção de rede de esgotos e três canteiros na Praça Cônego Victor, a fim de terminar o calçamento…

Antigamente era tudo diferente:

Imagem
As crianças
Tinham infância,
Eram inocentes,
Brincavam de roda,
De boneca,
E de casinha. E os adolescentes,
Dificilmente,
Tinham filhos,
De afogadilho. Preservativos?!
Só no arquivo
Muito secreto
De algum casal
Muito discreto,
Ou na cama da mulher-dama! Antigamente
Havia amor,
Havia flor
De laranjeira,
Havia calma, Havia alma. Hoje, há sexo
Muito sem nexo.
Hoje, há pressa
De experimentar,
De gostar
E desgostar,
De amar
E desamar,
De casar
E descasar! Antigamente,
Era bem diferente!
Mas isso foi
Antigamente!
Seja diferente!
Não tenha pressa,
Seja prudente!
Quem tem pressa
Atravessa,
"Come cru,
E como quente!" Trecho da obra:
Encontros e desencontros
de Maria Antonietta de Rezende
Projeto Partilha - Leonor RizziPróximo Texto: Zaqueu, um filho de Abraão acolhido por Jesus.
Texto Anterior: A tua culpa hás de levar contigo!

Nardy Filho e os sesmeiros ituanos.

Imagem
O historiadorFrancisco Nardy Filho ao se referir a sesmeiros diz:"A todo sesmeiro pode-se dar o nome de sertanista; a diferença entre ambos é que o sertanista penetrava pelo sertão à cata de minas ou de bugre; às vezes, por lá se demorava dois anos ou mais, quando acontecia encontrar uma lavra rendosa, porém tornava a sua terra natal ou de Cuiabá se passava para Goiás ou Minas; o sertanista não se estabilizava; o sesmeiro, alcançada a sua sesmaria, se encaminhava para o sertão onde a mesma ficava e levava consigo sua família, seus escravos e suas criações, e lá, nesse sertão, abria seus campos de criar, formava suas roças, erguia sua moradia, aí se estabilizava, e, muitas vezes, dentro dessa sesmaria, tendo por origem a moradia do sesmeiro, se erguia uma povoação, que depois era elevada a freguesia e vila.
Grande número de ituanos que, alcançando sesmarias no sertão, para lá se transferiram e lá foram abrir suas lavouras.
Vamos dar relação de alguns deles, somente daqueles, cujos …

A filosofia da Existência e a Cachoeira dos Rates

Imagem
Rosário de Lavras - Terras dos "Buenos", ou da forma utilizada por diversos judeus, "Boino". Terra também de onde veio para a cachoeira junto a Ribeirão do Carmo, Manoel Antônio Rates(Rattes/Raty/Ratis). Esta cachoeira passou a ser chamada, a partir de então de Cachoeira dos "De Rates", ou seja, da terra de Tomé de Souza. Segundo Gustavo Henrique Teixeira Ribeiro, do blog Filosofia da Existência, neste espaço físico-geográfico estavam os descendentes de Amador Bueno da Ribeira, casado com dona Maria Pires, em 4-8-1590. Amador Bueno da Ribeira é ancestral do nosso colaborador, genealogista e historiador, Paulo Costa Campos. Amador Bueno, nascido em Sevilha, veio para o Brasil em 1582, e foi aclamado pelos paulistas de origem espanhola, em 1-4-1641, REI DO BRASIL. Visite a página Filosofia da Existência, de responsabilidade do professor Gustavo Henrique Teixeira Ribeiro. Você irá conhecer, através de uma leitura leve e despreconceituosa, histórias reais oco…

Antônio Carlos de Castro disponibiliza dados.

Imagem

As inescrupulosas indústrias e as crianças.

Imagem
Volte os seus olhos para as crianças que são o futuro do mundo.Com certeza, você cuida delas com amor e carinho.
Cuidar das crianças com desvelo, amor e atenção obriga a algumas observações.
É incrível, mas existe quem não veja as crianças como seres humanos que vão crescer e devem ser preparadas para um futuro feliz, para si e para a humanidade. Há quem as observe apenas como um mercado para os seus lucros.
É uma tristeza, bem triste, observar uma criança esperneando, chorando e até batendo no pai para que ele compre, nos supermercados, nas padarias e lanchonetes, inúmeras porcarias que não tem nenhum valor nutritivo.
É inaceitável produzirem guloseimas com atrativos para iludir crianças: pirulito que pinta a língua de azul - lógico que há um corante, será totalmente inócuo?; chicles que dão estalos na boca; balas, de baixa qualidade, acompanhadas de miniaturas de plástico sem nenhum valor educativo; cigarro de chocolate, o gostoso chocolate - induzindo que o cigarro é uma coisa boa. Líq…

Observações aos registros de casametos.

Imagem
Existe um registro de casamento¹ referente aos anos de 1750/1756 que ainda está por ser esclarecido.

"No livro de casamentos referentes ao ano de 1750/1756, encontramos o casamento de Antônio Gomes Pardinho, filho de José Gomes Branquinho e de d. Maria do Espírito Santo, já falecidos à época. O noivo era natural de Lavras e casou-se com d. Teresa Maria de Pousada, crioula natural do Rio de Janeiro, filha de Francisco Xavier Pousada. Foram padrinhos: este último e A. Martins".

Dados a serem analizados:→ a referida dona Maria do Espírito Santo não é a filha de Diogo Garcia e Júlia Maria. Esta, a mãe de Antônio Gomes Pardinho, já era falecida em 1750(?);

→ o nome José Gomes Branquinho e não José Joaquim Gomes Branquinho - o da Boa Vista aparece como vizinho de Manoel Gonçalves Chaves no inventário de Domingos dos Reis e Silva; e.

→ o que temos em nossas anotações é o nome de José Pires Pardinho, no entanto está próximo a Curitiba, no anos de 1721.Matéria baseada na obra:
As família…

Casa da fazenda Caxambu.

Imagem
Ajude-nos a contar a história de Carmo da Cachoeira. Aproveite o espaço "comentários" para relatar algo sobre esta foto, histórias, fatos e curiosidades. Assim como casos, fatos e dados históricos referentes a nossa cidade e região.Próxima imagem: Profª. Luna Dias no Cemitério da Chamusca.
Imagem anterior: Antigo Cruzeiro e muro de pedras do Caxambu

As fazendas, os ribeirões e os caminhos.

Imagem
Em alguns documentos mais antigos a fazenda dos Pinheiros, do Município de Carmo da Cachoeira, aparece com Lavras ou Luminárias, por uma questão de mudanças nos limites. O Projeto Partilha a trata, como sendo uma fazenda limítrofe do conglomerado da fazenda da Boa Vista.A Fazenda Boa Vista, que foi havida por compra por José Joaquim Gomes Branquinho, e que cedeu o nome ao Distrito que se formou ligado a Lavras do Funil, incorporou, num dado momento, as Terras da Fazenda dos Pinheiros citada acima. A fazenda Pinheirinho, fica no lado oposto a fazenda dos Pinheiros, tendo como referência o Rio Ingaí. A fazenda Pinheirinho (dos ascendentes do Neca), fica bem próxima a Ingahy Velho; a fazenda do Miranda; ao Morro e a Fazenda do Carvalho e entre a Serra do Campestre e a Serra Pedra Branca.Existia um caminho bem conhecido nos velhos tempos que, vindo da Serra das Três Pontas, seguia em direção a fazenda da Barra, chegando a Luminárias, em seu percurso, entre a Fazenda do Quilombo e o ribeir…

Joaquim da Silva Tavares e as sesmarias.

Imagem
O Juiz Executor das Medições e Demarcações na vila de São José Del Rei, da Comarca do Rio das Mortes, Dr. Joaquim da Silva Tavares. Era casado com Perpétua de Moura. De acordo com uma cópia de pública forma, datada de 20 de julho de 1895, foi ele o Juiz Executor das medições e demarcações das sesmarias de José Ferreirade Brito, Bento Ferreira de Brito, Tomás Gonçalves de Araújo e Arraial e Capela de Nossa Senhora da Ajuda das Três Pontas. Foi inventariado em São João Del Rei¹, em 10 de novembro de 1808.
Artigo de Paulo Costa CamposPróxima matéria: O prefeito Francisco Ximenes de Oliveira.
Matéria Anterior: A fazenda Tijuco Preto de Três Pontas, MG.1. Caixa 553.

A tua culpa hás de levar contigo!

Imagem
Tântalo, rei da Líbia, certo dia,
A visita dos deuses recebeu
E provar sua divindade ele queria,
Em repasto, o próprio filho ofereceu.

E esse seu gesto insano, imponderado,
A cólera de Júpiter mereceu.
No Tártaro, ele foi precipitado,
Pela sede e pela fome devorado,
Eis o suplício a que fora condenado. Tu mereces, ó Tântalo, esse suplício!
A tua culpa hás de levar contigo!
Expia a culpa, e aceita o teu castigo!
Mas eu, pobre mortal, só tive um sonho,
Nada quero provar e a nada me proponho,
Provar não quero minha divindade,
Pois, sou apenas mísera criatura,
Que sonhou um dia com a felicidade,
Quando provou, dos olhos teus, essa doçura.

Meu crime, minha doce desventura
É esse amor sem esperança, essa amarga delícia.
É querer e não receber tua carícia. É encontrar-me sedenta, em meio ao rio,
É um raio de sol sentindo frio,
Um pomar repleto de dourados frutos,
Que, ao tentar colhê-los, fogem-me abruptos.
Hei de levar comigo esse suplício!
Expio minha culpa, aceito o sacrifício!
Trecho da obra:
Encontros e desencon…

Um quarteirão de luz em Carmo da Cachoeira.

Imagem
Asegunda Casa Paroquial oficial, ficava bem próxima onde funciona hoje o Banco Itaú (leia-se, "Solar dos Vilelas"). Aliás, hoje, este quarteirão compreendido entre as ruas: Dom Inocêncio, Antonio Justiniano dos Reis, Presidente Antonio Carlos e dona Corina, é representado por uma energia de universalidade e serviço desinteressado. O único ponto comercial, é o referido banco. O espaço de recreação do Jardim de Infância, acontecia no quintal da Casa Paroquial. Mais tarde, com dona Neta, esposa do Dr. João Otaviano de Veiga Lima, eventos sociais. Depois cinema. Recentemente, funcionou o Projeto Trabalho e Dignidade, hoje a Igreja o utiliza para eventos sem fins lucrativos. Ouvi, recentemente um comentário vindo de Selma Mendonça Dias, casada com Manoel Ferreira Dias - O Neca, um depoimento. Dizia ela: "no quintal da Casa Paroquial, Pe. Manoel organizava com as meninas, periodicamente, uma festa de batizados das bonecas. As meninas compareciam levando suas bonecas. Ele entr…

Amor e alegria.

Imagem
O amor e a alegria são elementos básicos do espírito brasileiro. O país do sol! Da luminosidade! Do calor!É o país que recebe a maior incidência de sol, com sua energia, neste planeta. Terra do canto, terra da dança.Surge o batuque e logo há danças, discretas ou exageradas.
É verdade que há excessos, com os carnavais fora de época, com a erotização dos eventos, com as coreografias sensuais marcadas, exaustivamente repetidas na televisão, matando a espontaneidade de nossas crianças.
Nesta terra de amor e alegria, exemplo de integração das raças, sem igual no mundo, vêm nos dizer que exterminamos nossos índios. "Houve quem os matasse, houve quem morresse nas mãos deles. Mas o ódio que chegou a matar foi pouco para apagar as chamas do amor que fez surgir tanta gente, com as marcas inconfundíveis da mestiçagem no rosto e nos costumes." "Os índios não desapareceram, casaram."Alerta! Esta terra do sol, do amor, da alegria, da mestiçagem, não pode aceitar a inoculação de di…

Antigo Cruzeiro e muro de pedras do Caxambu

Imagem
Ajude-nos a contar a história de Carmo da Cachoeira. Aproveite o espaço "comentários" para relatar algo sobre esta foto, histórias, fatos e curiosidades. Assim como casos, fatos e dados históricos referentes a nossa cidade e região.
Próxima imagem: Casa da fazenda Caxambu.
Imagem anterior: Mata virgem na fazenda Caxambu, Minas.

Pamplona e os membros de sua expedição.

Imagem
Em 1769 Pamplona fez sua segunda expedição ao Sertão de Minas sob as ordens do Conde de Valadares, e já com o título de Mestre de Campo e Regente dos distritos de Pium-í, Bambuí, Campo Grande e Picada de Goiás. Seu objetivo era principalmente dar combate a índios e negros quilombolas¹ e povoar a região. Para isso distribuiu mais de cem sesmarias na área e deixou inúmeros documentos relatando toda a rota da expedição além de uma série de mapas feitos durante a viagem dando detalhes da área e dos quilombos encontrados.Durante esta expedição Pamplona estabeleceu várias capelas: a de São Francisco de Sales, a de N. Senhora da Conceição, a de Santa Margarida de Cortona, a dos Santos Mártires, e outras.² Este tipo de edificação era vantajoso porque a partir dele o bispado de Mariana podia tomar posse espiritual da região e conseqüentemente, cobrar os dízimos³. Entremos na expedição. Era o dia 8 de agosto de 1769. A Fazenda do Capote estava repleta de homens tão aventureiros quanto seu própr…

A fazenda Tijuco Preto de Três Pontas, MG.

Imagem
Tijuco Preto é uma fazendasituada à margem esquerda do Ribeirão das Araras, a Oeste de Três Pontas. Seu antigo proprietário era João Dias de Carvalho¹, por alcunha João Mulato. Hoje a propriedade pertence aos herdeiros.Artigo de Paulo Costa CamposPróxima matéria: Joaquim da Silva Tavares e as sesmarias.
Matéria Anterior: O republicano Barão da Boa Esperança.1. Algumas citações do link postado para João Dias de Carvalho poderá não corresponder a pessoa que foi irmão de dona Andressa. A informação postada pelo historiador e genealogista Paulo Costa Campos tem o intuito e caráter de se mostrar a pontinha de um dos fios de um imenso novelo que ainda não foi desenrolado. É dentro esta visão que o nome deverá ser olhado. O Projeto Partilha não traçou a linha histórica para situar o João Dias de Carvalho, proprietário da fazenda Tijuco Preto, na genealogia e história da matriarca Andressa Dias de Carvalho. Por ora deverá ser visto como um homônimo do irmão desta matriarca.

No meio da minha praça, existe uma bela igreja.

Imagem
No meio da minha cidade,
Existe uma bela praça,

Que me traz sempre à lembrança
O meu tempo de criança.Mas a praça, hoje, é outra!
Está muito diferente!
E muito mais atraente!Oh! Praça cheia de graça!
Oh! Praça cheia de vida!
Oh! Praça cheia de árvores!
Oh! Praça cheia de sol!
Oh! Praça cheia de flores!
Oh! Praça cheia de amores!No meio da minha praça,
Existe uma bela igreja
Que, aos domingos, nos acolhe
Para a ceia benfazeja.Que igreja cheia de encanto!
Que igreja cheia de santo!
Que igreja cheia de anjos!
Que igreja
cheia de luz!
Que igreja cheia de flores!
Que igreja cheia de amor!
Que igreja que nos seduz!
Na torre da minha igreja,
Mora um mochoincoerente,
Que dorme durante o dia
E, durante a noite, chia.Oh! Que mocho renitente!
Oh! Que mocho impertinente
Que assusta
toda a gente!
Quando, à noite, ele chia,
Até o cabelo arrepia!Trecho da obra:
Encontros e desencontros
de Maria Antonietta de RezendeProjeto Partilha - Leonor RizziPróximo Texto: A tua culpa hás de levar contigo!
Texto Anterior: O beija-flor e a r…

Os "De Souza Lima" pedem fotos e dados.

Imagem
Uma partilha que visa divulgar uma apelo: Trata-se da genealogia da Família Souza Lima, que nos interessa particularmente. No site da Família Souza Lima está manifesto o pedido:

Aos leitores, fica o apelo: qualquer informação (fotos, certidões, inventários ou histórias) será de extrema importância para esclarecermos um enigma que buscamos resolver, quanto aos ancestrais de Ignácio de Souza Lima, casado por volta de 1875 com Ignácia Gabriella Junqueira.Visite osite e tendo maiores informações colabore. Fica aí a multiplicação da informação. Gratidão pela oportunidade.Projeto Partilha - Leonor RizziPróxima matéria: Nardy Filho e os sesmeiros ituanos.
Artigo Anterior: Carmo da Cachoeira, sua história e seu povo.

O semeiro Manoel Ferreira Guimarães.

Imagem
Documento encomendado pelo Projeto Partilha.
Transcrição de Edriana Aparecida Nolasco
Tipo de documento - Sesmaria.
Ano - 1775 Caixa - 2
Local - São João del Rei.Fl. 01Auto de Sesmaria
Data - 26 de agosto de 1775.
Local - Sítio das duas Barras Freguesia de Santana das Lavras do Funil do Termo da Vila de São João del Rei. Minas e Comarca do Rio das Mortes em casas de morada do sesmeiro Manoel Ferreira Guimarães.Fl. 05Carta de Sesmaria
D. José Luís de Menezes Abranches

(...) apresentou por sua Petição Manoel Ferreira Guimarães morador no Sítio das Duas Barras. Freguesia das Carrancas Comarca do Rio das Mortes que houve por Título de compra o dito sítio porém como não o pode possuir por legítimo Título pedindo-lhe conceder por Sesmaria meia légua de terra em quadra de matos na dita paragem principiando a sua medição de terras do Reverendo Carlos Ribeiro da Fonseca defronte do Morro do Chapéu correndo este para o norte a partir com terras de Luís Correia Lourenço fazendo Pião (...) ficando para l…

Um estudo em busca dos pioneiros mineiros.

Imagem
Documento encomendado pelo Projeto Partilha.
Transcrição de José Geraldo Begname.
Um registro, uma chave. Consta do relatório de n.3, 01/2006, enviado a nós enviado pelo pesquisador, professor e historiador, José Geraldo Begname, o seguinte dado:

Assunto - Capela
Localidade - Conceição da Barra de Minas
Referência - Livro de Provisão 1764-1765, fls.171. O dados chegaram a Carmo da Cachoeira, Minas Gerais por solicitação do Projeto Partilha. O assunto diz respeito a pesquisas no Arquivo Eclesiástico da Arquidiocese de Mariana (AEAM).

Para nós cachoeirenses, o acesso a Conceição da Barra de Minas se faz a partir da Rodovia Fernão Dias em seu sentido Belo Horizonte. Uma das alternativas é a entrada na altura da rodovia no vizinho Município de Nepomuceno. Outra, é através de Lavras, seguindo até Itutinga, Camargos, Nazareno, chegando a Conceição da Barra de Minas.Nosso referencial de estudo tem sido o século XVIII, época em que aqui viveu Manoel Antônio Rates e sua família. Rates/Moraes é nosso…

Aparecida Gomes do Nascimento Thomazelli.

Imagem
Autobiografia:Natural de Igarapava, Supervisora de Ensino, casada em Franca em 04 de março de 1943, com Oscar Thomazelli, Bacharel em Ciências Contábeis, ex-assessor administrativo da reitoria da Universidade Mackenzie, onde é professor e ex-coordenador do Projeto Rondon, natural de Barretos, filho legítimo de Mariano Thomazelli, natural de "Santo Donato", e sua mulher, dona Angélica Botacini Thomazelli; neta materna de Nicola Tomazelli, Trombettière Comunel Di Carinola; Distrito Militar de Gaeta, Itália, del Regio Esercito Italiano, filho legítimo de Antonio Tomazelli e de dona Antônia Nicolorpio, e de d. Ângela Santoro di Giuseppe, filha legítima de Giuseppe Santoro e de dona Mariana de Lorenzo, filha legítima de Leone Lorenzo e de dona Giosni Santoro; n.m. de José Botacini e de dona Bárbara Bronzatti Botacini, filha legítima de Sebastião Bronzatti e de dona Catharina Silvestre, natural de Pádua, Itália. Matéria baseada na obra:
As famílias de nossa família (mineiros e paul…