Correspondência recebida:


de: Projeto Partilha
Venda realizada em 15/04/1919. Espólio de Francisca Custódia de Souza, mãe de Levy Veiga Costa, morador na fazenda Couro do Cervo "deste districto de Carmo da Cachoeira", "começando na Barra do córrego do Sobradinho até o vallo de divisa com Idalina da Costa Reis e herdeiros (...) Miguel Abrahão, e pelo espigão acima até as divisas de André Avelino de Figueiredo (...) divisas com Adolpho Capello (...) Eduardo Alves Junqueira (...) José Augusto Veiga e Augusto Veiga. Assianm como testemunhas: Othoniel Baptista da Cunha e Joaquim Lourenço da Silva.

de: Alma

TS Bovaris capta pétalas de luz emanadas do infinito, num instante de bençãos. Lançadas em profusão e da profundidade do Cosmos pelo Criador de todas as coisas ao planeta, visa tão sómente amenizar as dores e sofrimentos daqueles seres orantes. Ele, TS Bovaris consegue, ao colher os frutos e da colheita partilhar através de palavras. O envio a nós internautas e leitores assíduos desta página, é a forma por ele encontrada de multiplicar as pétalas de luz. Por vir do Cosmos tem energia divina, e por partilhar fraternalmente é mantida na lei do amor puro e desinteressado. Para mim, é isto aí, não sei se soube dar interpretação àquilo que meu coração entende como correto. Fica, no entanto, registrado meu depoimento e incentivo aos organizadores deste blog, de leitura diária obrigatória.

de: família carioca

Como leitor gostaria de agradecer ao organizador deste blog e a Igreja, impulsionadora da cultura local. Uma rara oportunidade que temos de colaborar com página de tão alto nível. Entramos diariamente com imenso prazer neste veiculo de divulgação, e imediatamente buscamos este endereço. Um refrigério para a alma.

de: José Antonio Gonçalves

O destino das andorinhas.

Nem sei para onde vão as andorinhas
e eu nego-me a segui-las quando me convindam
para seu voo nas noites de luar
ou nas montanhas de primavera.

Aproveitando a poesia de José Antônio, dou-lhes uma dica:

Conheçam a obra de genealogia de Adélia Maria Woellner, "Para onde vão as andorinhas".

de: colaborador voluntário
Carlota Maria Spirito Santo, que poderá a ser Carlota Maria do Espírito Santo, casada com Eugênio Adelino de Souza vende a Eduardo Alves de Gouvêa terras no lugar denominado Olaria, terras em comum com Gabriel dos Reis Silva, Manuel dos Reis Silva; dona Rita Tictalina de Souza; Maria Mulata e família. Testemunhas: Tiburcio de Barros Silva e João Baptista da Fonseca.

Comentários

projeto partilha disse…
"Em 11/08/1857, MARCIANO JOSÉ DA COSTA, no distrito da Boa Vista, Freguezia e Termo da Villa de Lavras, Comarca do Rio Verde, em casa de morada de Gabriel Flávio da Costa, onde foi vindo o cidadão Antonio Severiano de Gouvêa, suplente do subdelegado, comigo escrivam interino Manoel Theodoro Netto (...)". Diz Marciano José da Costa que "tendo comprado huma parte de terras e benfeitorias citas no lugar denominado VARGEM DO RIO DO PEIXE, fazenda que se acha em (ilegível) com dona Anna Cândida da Costa com maior parte a Gabriel José Junqueira, José Mizael de Andrade, Ignácio Lopes, Francisco Lopes de Souza, sócio este nas benfeitorias da sua fazenda (...). Apareceu Francisco Ignácio, Francisco de Assis de Souza, José Ignácio de Souza Sobrinho e José Pimenta (...). Testemunhas : Joaquim Francisco ou Flausino, Afonço de Tal e o Capitão João da Costa Silva. Oficial de Justiça deste Juízo, José Antonio Landim. Local: Fazenda do Grotão, 12 de agosto de 1857. Cumpra-se.
projeto partilha disse…
"Fazenda do Rio do Peixe, 7 de junho de 1869. Ilmo. Snr. Tenente Cor. José Fernandes Avelino.
Aos vinte e seis dias fugio hum escravo meo por nome Joze Antonio. Ontem achou-se ele morto e já bastante disfeito prabaixo da tapera da Vargem julgo pertencer a Freguesia da Cachoeira. Como me consta que V. S. he o subdelegado em exercício por isso pesso e rogo o favor de vir até esta sua caza para poder com a justiça conforme manda e no mais aqui estou as suas ordens por ser (ilegível". Assina MARCIANO JOSÉ DA COSTA.
projeto partilha disse…
Em 8/5/1869 era "Inspetor do segundo quarteirão na Freguesia do Carmo da Caxoeira, Districto de Três Pontas, Comarca do Sapucahy, JOAQUIM PEDRO DA SILVA, Oficial de Justiça José Felizardo de Assis". José Celestino Terra, estando com testemunha em uma demanda é assim descrito: José Celestino Terra, natural da Freguesia de Lavras e morador no destricto de Cachoeira, 49 anos, casado diz: "sabe por ouvir dizer que na Fazenda (ilegível) essa dizer (ilegível) de escravos constantes da parte official do Inspector mas que era por causa de negociar sem ordem de seus senhores". Testemunha: Alexandrina Maria da Crus, 28 anos, mulher de Gabriel Rodrigues da Silva, Joaquim da Costa Ramos e Thomé Monteiro da Costa

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.