Casamento em Aparecida do Norte - os noivos.


Ajude-nos a contar a história de Carmo da Cachoeira. Aproveite o espaço "comentários" para relatar algo sobre esta foto, histórias, fatos e curiosidades. Assim como casos, fatos e dados históricos referentes a nossa cidade e região.

Comentários

Jocelia A. de Oliveira B. disse…
Para festejar neste casamento, é só clicar ao lado, na DIVINAL. Fale com a Divinal, é muito legal.
a turma do barulho. disse…
Divinal, ora bolas. A presença da emissora na cidade foi um presentão.
Jarbas disse…
opção prá ninguém botar defeito rrrrssssss
Junior disse…
A Divinal está abafando, disputo o rádio com minha família pra ficar ligadão.
Boris disse…
Como será que era na época desse casamento sem a Divinal, não?
Projeto Partilha disse…
O Projeto Partilha sente orgulho de ter por perto a DIVINAL FM. Realmente, conforme diz a TURMA DO BARULHO, foi um "PRESENTÃO" para Carmo da Cachoeira.
leonor disse…
Uma informação e um depoimento.
Nos fins de tarde das quartas-feiras um grupo de pessoas devotas de Mãe Rainha, tem encontro marcado em seu Santuário na cidade para rezar o terço. No último encontro, um integrante do grupo divulgou para os demais, o horário reservado pela rádio DIVINAL para as transmissões programa "experiência de Deus", com Pe. Reginaldo Manzotti. Houve interesse geral e muitos comentários positivos sobre este meio de comunicação local.
uma devota de Mãe Rainha disse…
Eu escutei de uma pessoa que esteve no encontro que falou aí que a Terezinha disse que estava triste, porque quando começou a panha ela não pode mais ouvir o programa do Pe. Reginaldo e que Dona Maria falou que ia passar em outros horários. Já começou?
Projeto partilha disse…
Num papel raríssimo, com marca d´água e carimbo prensado em relevo, onde se lê: "FAZENDA SAQUAREMA" e o nome de José Fernandes Avelino, segue-se dados, do ano de 1849 de um, "abaixo assignado credores de Manoel Januário Pinheiro".O grupo requer para que sejam apreendidos e depositados os bens do referido Manoel, desde que, além dos abaixo assinados José Fernandes Avelino; José Celestino Terra e Jerônymo Ferreira Pinto Vieira, residentes no Arraial do Carmo da Cachoeira, Comarca do Rio Verde, outras pessoas que seguem em outra relação das dívidas. Assinam documento, o segundo suplente da Subdelegacia Antonio Severiano de Gouveia e as testemunhas: José Felizardo de Assis e Luís Antonio de Carvalho.
Relação das dívidas de Manoel Januário Pinheiro:
Francisco, escravo de Manoel da Costa Silva 7$620;
João da Matta Barbosa 1$300;
Antonio Valentim d´Aguiar 3$140;
Justino, camarada de José da Costa
3$280;
José Cardoso da Silva 12$220;
Leopoldina, da defunta Iria1$440;
Zefferino José de Carvalho 1$440 José Ferreira 20$340;
Joaquim Gonçalves Pimentel 8$320;
Joaquim Mariano 4$820;
Ventura, escravo de Luís de Paula
3$800;
Geraldo, escravo de Joaquim José Pereira;
José Valério;
Fermiano Claro dos Santos;

Maximiano, da Biana 1$800;
Joaquim - genro do senhor Cotta;
José Carvalho;
Manoel Mestre 2$700;
João da Silva ou Silvano)?;
Aureliano José Mendes;
Manoel Vicente;
José Luís Martins;
Francisco da Costa Ramos;
José Felippe Nasciro, agregado da Chamusca;
Antonio Valentim Aguiar - Cardozo;
Maxiana Valentina;
Thomé Pinto Ribeiro;
José Albino;
Francisco de Paula Chagas; Luís de Paula Vasconcellos;
Firmino Viana; Francelino Furtado;
Antonio da Costa Silva.
CREDORES DESTE INVENTÁRIO: Tristão Bernardes Pinto; Florencio Alves Baptista; José Celestino Terra; José Fernandes Avelino; João Alves de Gouvêa; Antonio Rodrigues Dias; Jerônymo Ferreira Pinto Vieira; Antonio Dias Pereira de Oliveira; Manoel Antonio Teixeira. DÍVIDA de Manoel Francisco Xavier Sobrinho; José Cardoso da Silva.
TRÊS CORAÇÕES, 30/05/1849.

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.

A Família Campos no Sul de Minas Gerais.