Pular para o conteúdo principal

A cachoeirense Jacinta Rezende Naves.


Ajude-nos a contar a história de Carmo da Cachoeira. Aproveite o espaço "comentários" para relatar algo sobre esta foto, histórias, fatos e curiosidades. Assim como casos, fatos e dados históricos referentes a nossa cidade e região.

Próxima imagem: O cachoeirense Evaristo Brasiliense Naves.
Imagem anterior: A Photographia Allemã dos dois irmãos Passig.

Comentários

Anônimo disse…
Continuação. Batizados registrados na Freguesia do Carmo da Cachoeira, Minas Gerais, manuscritos pelo Projeto Partilha. Ano 1874.
Marciana, na Ermida dos Terras, filha legítima de Francisco Daniel da Costa e Maria Carolina de Gouvêa. Padrinhos: Gabriel Flávio da Costa e Joana Maria de Jesus;
José, filho natural de Ana Rita. Padrinhos: Francisco Daniel da Costa e Maria Carolina de Gouvêa;
Elídia, na Capela de São Bento do Campo Bello, filho legítimo de Joaquim Francisco de Souza e Maria Teodora de Jesus. Padrinhos: André Fernandes dos Reis e Cândida Emília Teixeira;
Felisbina, filha legítima de Elias Francisco Xavier e Jesuína Maria de Jesus. Padrinhos: Urbano dos Reis e Silva e Felícia Generosa dos Reis;
Maria, filha natural de Izabel Maria de Jesus. Padrinhos: João Ludgero Bispo e Mariana Jesuína do Nascimento;
Filomena, filha legítima de Miguel Evangelista e Ana Maria de Jesus. Padrinhos: Joaquim Severo Teixeira e Joaquina Francisca de Jesus;
Delmira, filha legítima de Casimiro José de Oliveira e Maria Teodora (Teodosa?) de Jesus. Padrinhos: Jerônimo Ferreira Pinto Vieira e Felícia Cândida de Jesus;
Rafael, filho legítimo de Joaquim Marques Arantes e Mariana Matildes de Jesus. Padrinhos: Tomé Monteiro da Costa e Maria Jacinta de Jesus.
(continua)
Anônimo disse…
Continuação do comentário anterior:
Fidelis, filho legítimo de Francisco Gomes das Chagas e Ana Generosa de Jesus. Padrinhos: André Dias dos Santos e Ana Silvéria do Nascimento;
Mariana, filha legítima de Quintiliano Francisco Xavier e Ana de Rezende. Padrinhos: Joaquim Pinto da Costa e Ana Francisca da Costa;
Batista, filha legítima de João Floriano de Toledo e Maria Umbelina do Nascimento. Padrinhos: José Celestino Terra e Cândida Emília Teixeira;
Filomena, filha natural de Maria Flávia de Jesus. Padrinhos: Francisco de Paula Cândido e Marfisa Inácia de Souza;
Cândida, filha legítima de José Antonio Lucas Santiago e Ana Gabriela de Paula. Padrinhos: Custódio Vilela Palmeira e Jacinta Ponciana de Rezende;
Eduardo, filho natural de Ana Luisa da Cruz. Padrinhos: João Nestle e Maria Rita de Jesus;
José, filho legítimo de Antônio Inácio Guimarães e Camila Maria de Jesus. Padrinhos: José R. Lima e Maria Jacinta de Jesus.

Batizados registrados na Freguesia do Carmo da Cachoeira, Minas Gerais e manuscritos pelo Projeto Partilha. ano de 1875.
Joaquim, filho legítimo de Bernardo Teotônio da Silva e Ana Francisca de Jesus. Padrinhos: Joaquim Fernandes dos Reis e Francelina Ricardina;
Francelina, na Igreja Matriz, filha legítima de Joaquim Fernandes dos Reis e de Mariana Cândida de Jesus. Padrinhos: Antonio Mariano dos Reis e Francelina Ricardina dos Reis;
José, na Igreja Matriz, filho legítimo de Francisco de Sales Bispo e de Jacinta Maria de Jesus. Padrinhos: José Balbino da Silva e Ana Olinda de Jesus;
Mariana, na Igreja Matriz, filha natural de Bárbara de Jesus. Padrinhos: Belarmino José Alves e Ana Francisca do Nascimento;
América, filha legítima de Antonio Dias Pereira de Oliveira e Teodolina Eulália de Carvalho. Padrinhos: Domingos Alves e (ilegível);
Maria, na Igreja Matriz, filha legítima de João Cândido da Costa e Maria Joaquina de Jesus. Padrinhos: Francisco Antonio Ferreira e Balduína Maria de Jesus;
Tomás, filho legítimo de Joaquim Pinto da Costa e Francisca Cândida da Silva. Padrinhos: João de Rezende Branquinho e Mariana Vilela da Silva;
Maria, filha legítima de Theodora Antonio Naves e Jacinta Leopoldina de Rezende. Padrinhos: Maximiano Severo da Silva e Ana Cândida de Rezende;
Cassimiro, filho legítimo de Jacinto e Eduarda. Padrinhos: José Antonio dos Reis e Ana Delminda de Gouvêa;
Emília, filha natural de Alexandrina Salomé. Padrinhos: Manoel Ponciano Justiniano e Teodora Maria de Jesus.
(continua)
Anônimo disse…
Aos primeiro dia do mês de abril do ano de hum mil oitocentos e setenta e cinco, na Ermida da Fazenda da Lagoinha, batiza-se solenemente Ermelina ou Arlinda, filha legítima de LUCIANO PEREIRA PENHA e dona Mariana Leopoldina Teixeira. Foram padrinhos: Manoel Antonio Teixeira e Purcina Deocleciana das Dores. Por constar mandei lavrar este termo.

LUCIANO PEREIRA PENHA, nasceu em 01/FEV/1847, filho de José Joaquim Pereira e de dona Purcina Deocleciana das Dores.

Cf. PROJETO COMPARTILHAR. João Alves Campos e Maria Leme da Silva.
Cf. PROJETO COMPARTILHAR. Domingos Antonio Pereira.
Anônimo disse…
Quem lia no Brasil Colonial?

Aqui, na Freguesia do Carmo da Cachoeira, no Sul de Minas Gerais, alguns, entre eles, o ilustre professor JOÃO TOMÁS DE AQUINO VILELA, casado com AMÉLIA AUGUSTA VILELA DA SILVA. Encontramos, ao levantar dados vindos através de inventários, citações informando sua presença no Município de Luminárias. Vamos nos lembrar a questão dos antigos limites, para não incorrer em erros. JOÃO TOMÁS DE AQUINO VILELA, tem sua descendência em CARMO DA CACHOEIRA, Minas Gerais. Um de seus representantes é JORGE FERNANDO VILELA.

Um pouco de conhecimento: ver o trabalho realizado por Márcia Abreu, do Instituto de Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).
Aqui, em Carmo da Cachoeira, Minas Gerais, na Fazenda da Lage, um letrado, cuja biblioteca superaria, em número, a de muitos, presentes em inventários da antiga Província do Rio de Janeiro. João Tomás de Aquino Vilela, casado com dona Amélia Augusta Vilela da Silva foi estudante do FAMOSO CARAÇA, em Minas Gerais.
Anônimo disse…
CARMO DA CACHOEIRA, POR UM BRASIL MELHOR.

"NOVOS TEMPOS NECESSITAM DE NOVOS HOMENS, NOVOS HOMENS CONSTROEM NOVOS TEMPOS".

O MOVIMENTO FÉ E CIDADANIA, entendendo que só o amor e a paciência, e não a força, constroem, arregaçou as mangas e foi a campo.Contatou os candidatos aos cargos eletivos que irão formar a administração 2009 a 2012 e os representantes do povo na Câmara Municipal. Vivendo ares de um novo tempo, mais interativo, todos os candidatos a prefeito confirmaram sua presença. Fizeram sua parte, e estão preparados para responder as perguntas que vierem dos entrevistadores. Cabe, no entanto, os cidadãos eleitores, fazerem a sua. Isentos de preconceitos, ouvir as propostas e ponderar sobre elas. A massa que é formada de cada um de nós, que somos eleitores, necessita conhecer, a fim de decidir conscientemente, e longe de emotividades e paixões incontidas. Cada candidato, democraticamente fará suas colocações e nós, cachoeirenses, iremos refletir por nós mesmos. Temos que exercitar os dons Divinos da Inteligência e da vontade Livre. Temos que nos sentir seres amáveis e reflexivos. Seres pensantes. Ninguém precisa pensar por nós, já que somos dotados desta capacidade, dotados dela pela própria natureza - a de pertencer a Raça Humana.
Não só pela qualidade de seres pensante e livres, mas também porque somos contribuintes e pagamos os salários de nossos representantes. Para que não fiquemos limitados em nossos conhecimentos, o Projeto Partilha vai lembrá-los do compromisso que temos em realizar:o pagamento no final do mês de alguns representantes. Em Carmo da Cachoeira, algumas de nossas obrigações, em níveis Municipais são: pagar, prefeito, vice-prefeito, secretários de governo e vereadores. Portanto, é bom que se conheça esses valores. A Resolução n.02/2008 estabelece um ganho de R$1.111,25 para cada vereador e R$1.234,72 para o presidente da Câmara Municipal. É o correspondente a folha de pagamento do mês de SET/2008. A Resolução n.4, estabelece para o ano de 2009 a 2012 a remuneração de R$1.900,00 para o cargo de vereador, e R$2.400,00, para o da presidência da Câmara.
Outros encargos que temos como contribuinte: pagar o prefeito, cujo salário mensal é de R$8.032,21; vice-prefeito, R$2.294,73 e secretários de governo, R$1.788,88.
Diante dos números aumenta a nossa responsabilidade na hora da escolha. Os representantes são bem pagos e terão que mostrar sua competências na apresentação de PROJETOS QUE VISEM O BEM COMUM, como garante nossa CARTA MAGNA.
Nossos parabéns a cada candidato pela coragem de implantar na cidade uma nova dinâmica no processo eleitoral, sentados numa mesma mesa, concordaram em discorrer com
transparência e honestidade sobre suas propostas. Que a luz e a harmonia possa conduzir os trabalhos do dia 26/9/2008, às 19h30min. no São Paroquial, Carmo da Cachoeira, Minas Gerais.
Anônimo disse…
Continuação. Batizados realizados na Freguesia do Carmo da Cachoeira, Minas Gerais. Ano: 1875.
Justina, na casa do professor Francisco de Paula Cândido, filho natural de Sabina Agostinha de Jesus. Padrinhos: João Nestle e Teodora Umbelina de Jesus;
José, filha legítima de José Gonsalves da Silva (Gonçalves da Silva) e Cândida Eugênia de Souza. Padrinhos: Gabriel Flávio da Costa Júnior e Ana Delminda de Oliveira;
Manoel, na Ermida da fazenda da Mata, filho legítimo de Urbano dos Reis Silva e Felícia Generosa dos Reis. Padrinhos: Ana Generosa de Meirelles e tomou como protetor Nosso Senhor dos Passos;
Basilicia, na Igreja Matriz, filha legítima de João Batista Ferreira e Joaquina Maria de Jesus. Padrinhos: Aureliano Junqueira de Andrade e Cândida Nicésia de Andrade;
José, filho legítimo de Antonio Joaquim da Encarnação Júnior e de Ana Francisca da Silva. Padrinhos: Domiciano José Faustino e Maria Simplicia de Sousa;
Pio, filho legítimo de João Francisco do Nascimento e de Maria Catarina de Jesus. Padrinhos: Antonio Justiniano dos Reis e Ana Cândida dos Reis;
Antonio, filho legítimo de Joaquim de Resende Branquinho e Ana Cândida de Andrade.
(continua)
Anônimo disse…
Continuação. Batizados registrados na Freguesia do Carmo da Cachoeira, Minas Gerais. Ano: 1875.
Maria, na Igreja Matriz, filha legítima de João Antonio Pereira e de dona Firmina de Jesus. Padrinhos: João Lourenço Teixeira e Maria (ilegível) de Jesus;
Francisco, na Igreja Matriz, filha legítima de José Jacinto do Nascimento e Mariana Leopoldina de Jesus. Padrinhos: Francisco Antonio da Silva e Jacinta Cândida de Jesus;
Olímpio, na Capela de Luminárias, filho legítimo de Manoel Ferreira Martins e Maria Carolina de Mello. Padrinhos: Antonio Ferreira Martins e Ana;
Arlindo, na Igreja Matriz, filha legítima de Antonio Francisco de Assis e Ana Vitória de Brito. Padrinhos: João Antonio Pinto da Costa e Maria Vicência de Brito;
José, na Igreja Matriz, filho legítimo de José Domingos dos Passos e Mariana Antonia de Jesus. Padrinhos: Joaquim Francisco de Sousa e Maria Antonia de Jesus;Prudência, na Igreja Matriz, filha legítima de José Francisco Pimenta e Maria Romana de Jesus. Padrinhos: Manoel Antonio dos Reis e Ana Cândida Branquinho;
Maria, na Ermida de Severino Ribeiro de Rezende, filho legítimo de Joaquim Pedro de Rezende e Mariana Leopoldina de Rezende. Padrinhos: Manoel Cândido de Figueiredo e Cândida Nicésia de Rezende;
João, filho natural de Mariana Leopoldina de Jesus. Padrinhos: Joaquim Alexandre de Deus e Carolina Cândida de Jesus;
João, na Igreja Matriz, filha legítimo de João Feliciano de Gouvêa e Amélia Maria de Jesus. Padrinhos: Francisco de Paula Cândido e Camila Maria de Jesus;
Ana, no oratório de Severino Ribeiro de Rezende, filho legítimo de Domingos André de Souza e Ana Olinda de Jesus. Padrinhos: Francisco Ferreira da Silva e Mariana Clara de Souza;
Manoel, filho legítimo de João Antonio Naves e Inácia Constança de Resende. Padrinhos: João Vilela de Resende e Cândida Nicésia de Rezende.
(continua)
Anônimo disse…
Dona Inácia Leopoldina da Costa, da Fazenda das Abelhas, em Carmo da Cachoeira, Minas Gerais e casada com Severino Ribeiro de Rezende, falecida em 1862, é mãe de dona Ignácia Constância de Rezende, casada com João Antonio Naves.
Cf.:PROJETO COMPARTILHAR.Inv. arquivado, CEMEC. 21 escravos.
Anônimo disse…
Últimos registros de batizados do ano de 1875, na Freguesia do Carmo da Cachoeira, Minas Gerais.
Antonio, na Igreja Matriz, filho legítimo de Joaquim Alexandre dos Santos e Carolina Cândida de Jesus. Padrinhos: Antonio Dias Pereira de Oliveira e Felícia Generosa dos Reis;
Ana, filha legítima de Martinho Diogo de Oliveira e Ana Severina da Silva. Padrinhos: Francisco Daniel de Costa e Maria Carolina de Gouvêa;
Maria, na Igreja Matriz, filha legítima de José Campos do Nascimento e de Joaquina Antonia do Nascimento. Padrinhos: João Campos do Nascimento e Francelina Esméria do Nascimento;
Joaquim, filho legítimo de João Ludgero Bispo e Vicência Maria de Jesus. Padrinhos: José Jerônimo do Nascimento e Cândida Maria de Jesus;
Severina, na Igreja Matriz, filha legítima de José Francisco Caldeira e Mariana Francelina do Carmo. Padrinhos: Martinho Diogo de Oliveira e Ana Severina da Silva;
Ana, na Ermida dos Terras, filha legítima de Cândido José Garcia e Elisa Cândida de Jesus. Padrinhos: José Marciano da Costa e Maria Baldoína da Costa;
Eudóxia, na Igreja Matriz, filha natural de Marciana Antonia de Carvalho. Padrinhos: Francisco de Paula Cândido e Ana Lúcia de Andrade;
Mariana, na Ermida da Fazenda Chamusca, filha legítima de João Alves de Gouvêa e Mariana Clara de Gouvêa. Padrinhos: José Augusto do Amaral e Joana Maria de Jesus;
Alvina, na Igreja Matriz, filha legítima de José Pedro de Alcântara e Maria Porcina de Jesus. Padrinhos: Antonio Dias Pereira de Oliveira e Ana Luisa de Carvalho;
Guilhermina, na Ermida da Fazenda dos Terras, filha legítima de Estevão Ribeiro de Rezende Sobrinho e Mariana Vitalina dos Reis. Padrinhos: Justiniano Monteiro de Rezende e Felícia Constança de Figueiredo;
Porcina, na Igreja Matriz, filha legítima de Antonio José Faustino e Ana Apolinária de Jesus. Padrinhos: Joaquim Leopoldino e Maria Luiza do Nascimento;
José, na Igreja Matriz, filho natural de Domingos Alves Teixeira e Ana Alexandrina Pinto;
João, na Igreja Matriz, filho legítimo de Francisco Felipe Diogo e Maria Ferreira de Jesus. Padrinhos: Manoel dos Reis Silva e Jovina Vitalina de Rezende;
Francisca, na Igreja Matriz, filha legítima de João Flausino da Silva e Isabel Cândida do Nascimento. Padrinhos: Cândido Ribeiro dos Reis e Maria Jacinta de Rezende;
Rosalina, no Oratório de Antonio dos Reis Sousa, filho legítimo de Marciano Florêncio Pereira e Maria Paulina dos Reis. Padrinhos: José Fernandes Avelino e Maria Cândida Branquinho.

Batizados. Ano, 1876.
Marcolina, na Igreja Matriz, filha legítima de Marcolino Ferreira Rosa e Maria Antonia de Jesus. Padrinhos: Joaquim de Nonção das Neves e Ana Cecília de Jesus;
Cândido, filho legítimo de Germano Gomes da Silva e Maria Cândida de Jesus. Padrinhos: Mariana Cândida Branquinho e José Antonio dos Reis;
Elvira, filha legítima de Francisco de Paula Silva e Ana Antonia Joaquina. Padrinhos: Antonio Ferreira de Aquino e Maria Cândida de Souza Junqueira;
Maria, na Igreja Matriz, filha legítima de Manoel Antonio da Silva e Cândida Lodonia (?) Machado. Padrinhos: Manoel da Natividade Machado e Feliciana Antonia de Jesus;
Geraldino, na Igreja Matriz, filho legítimo de Paulino Américo de Souza e Ana Tomázia do Nascimento (Tomásia). Padrinhos: José Rodrigues Cláudio e Maria Inácia de Souza.
(continua)
Nossa legal demais esse debate aí hein? Posso enviar pergunta pelo blog pois não estarei na cidade dia 26!? Espero que o debate seja permeado por respeito e por sujeitos pensantes e livres como bem citado por projeto partilha... Que o debate seja produtivo com idéias em torno de propostas por e para Carmo da Cachoeira!

Postagens mais visitadas deste blog

Tabela Cronológica 10 - Carmo da Cachoeira

Tabela 10 - de 1800 até o Reino Unido - 1815 - Elevação do Brasil a Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves - 1815 ü 30/Jan – capitão Manuel de Jesus Pereira foi nomeado comandante da Cia. de Ordenanças da ermida de Campo Lindo; e ü instalada a vila de Jacuí . 1816 1816-1826 – Reinado de Dom João VI – após a Independência em 1822, D. João VI assumiu a qualidade e dignidade de imperador titular do Brasil de jure , abdicando simultaneamente dessa coroa para seu filho Dom Pedro I . ü Miguel Antônio Rates disse que pretendia se mudar para a paragem do Mandu . 1817 17/Dez – Antônio Dias de Gouveia deixou viúva Ana Teresa de Jesus . A família foi convocada por peritos para a divisão dos bens, feita e assinada na paragem da Ponte Falsa . 1818 ü Fazendeiros sul-mineiros requereram a licença para implementação da “ Estrada do Picu ”, atravessando a serra da Mantiqueira e encontrando-se com a que vinha da Província de São Paulo pelo vale do Paraíba em direção ao Rio de Janeiro, na alt

As três ilhoas de José Guimarães

Fazenda do Paraíso de Francisco Garcia de Figueiredo Francisco Garcia de Figueiredo é citado como um dos condôminos / herdeiros da tradicional família formada por Manuel Gonçalves Corrêa (o Burgão) e Maria Nunes. Linhagistas conspícuos, como Ary Florenzano, Mons. José Patrocínio Lefort, José Guimarães, Amélio Garcia de Miranda afirmam que as Famílias Figueiredo, Vilela, Andrade Reis, Junqueira existentes nesta região tem a sua ascendência mais remota neste casal, naturais da Freguesia de Nossa Senhora das Angústias, Vila de Horta, Ilha do Fayal, Arquipélago dos Açores, Bispado de Angra. Deixaram três filhos que, para o Brasil, por volta de 1723, imigraram. Eram as três célebres ILHOAS. Júlia Maria da Caridade era uma delas, nascida em 8.2.1707 e que foi casada com Diogo Garcia. Diogo Garcia deixou solene testamento assinado em 23.3.1762. Diz ele, entre tantas outras ordenações: E para darem empreendimento a tudo aqui declarado, torno a pedir a minha mulher Julia Maria da Caridade e mai

A Família Campos no Sul de Minas Gerais.

P edro Romeiro de Campos é o ancestral da família Campos do Sul de Minas , especialmente de Três Pontas . Não consegui estabelecer ligação com os Campos de Pitangui , descendentes de Joaquina do Pompéu . P edro Romeiro de Campos foi Sesmeiro nas Cabeceiras do Córrego Quebra - Canoas ¹ . Residia em Barra Longa e casou-se com Luiza de Souza Castro ² que era bisneta de Salvador Fernandes Furtado de Mendonça . Filhos do casal: - Ana Pulqueria da Siqueira casado com José Dias de Souza; - Cônego Francisco da Silva Campos , ordenado em São Paulo , a 18.12. 1778 , foi um catequizador dos índios da Zona da Mata ; - Pe. José da Silva Campos, batatizado em Barra Longa a 04.09. 1759 ; - João Romeiro Furtado de Mendonça; - Joaquim da Silva Campos , Cirurgião-Mor casado com Rosa Maria de Jesus, filha de Francisco Gonçalves Landim e Paula dos Anjos Filhos, segundo informações de familiares: - Ana Rosa Silveria de Jesus e Campos , primeira esposa de Antônio José Rabelo Silva Pereira , este nascido

Foto de família: os Vilela de Carmo da Cachoeira-MG.

A jude-nos a contar a história de Carmo da Cachoeira. Aproveite o espaço " comentários " para relatar algo sobre esta foto, histórias, fatos e curiosidades. Assim como casos, fatos e dados históricos referentes a nossa cidade e região. E sta foto foi nos enviada p or Rogério Vilela. Da esquerda para a direita: Custódio Vilela Palmeira, Ercília Dias de Oliveira, Fernando de Oliviera Vilela, Adozina Costa (Dozica), Jafoino de Azevedo e José de Oliveira Vilela (Zé Custódio). Imagem anterior: Sinopse Estatística de Carmo da Cachoeira - 1948

Hino do Centenário de Carmo da Cachoeira

letra: Haroldo Ambrósio Caldeira música: Álvaro Arcanjo Athaíde interpretação: Glória Caldeira teclado: Teresa Maciel do Nascimento estúdio de som: João Paulo Alves Costa - DjeCia edição de vídeo: Rícard Wagner Rizzi Letra do Hino do Centenário Cem anos de existência bem vivido Cantemos este hino de alegria Saudando essa data memorável do nosso centenário nesse dia. Cachoeira, Carmo da Cachoeira, Berço de um povo acolhedor Ergue hoje um pavilhão Rendendo Graças ao Senhor.

Antiga foto da cidade de Carmo da Cachoeira.

A jude-nos a contar a história de Carmo da Cachoeira. Aproveite o espaço " comentários " para relatar algo sobre esta foto, histórias, fatos e curiosidades. Assim como casos, fatos e dados históricos referentes a nossa cidade e região. Foto: Paulo Naves dos Reis Próxima imagem: Imagem da mata da fazenda Caxambu em Minas. Imagem anterior: Um pouco sobre a região do distrito de Palmital.

Biografia de Maria Antonietta de Rezende

Tendo como berço Carmo da Cachoeira, Maria Antonietta Rezende , nasceu a 9 de outubro de 1934 no seio de uma das mais tradicionais famílias do município – a Família Rezende . A professora Maria Antonietta deixou seu legado, o “modelo de compromisso e envolvimento com a terra em que nasceu” . Trabalhou consciências, procurando desenvolvê-las, elevá-las. Fazia isto com seus alunos, com os componentes dos grupos musicais que coordenava, com as crianças ligadas à Igreja, enfim, com toda população. Foi um exemplo vivo de “compromisso com a tradição” e um elo da longa corrente que chegou até nós neste ano comemorativo. Fez sua parte. Nós fazemos a nossa – manter a tradição. No dia-a-dia deixou o exemplo de vida e através de publicações, sua visão de mundo. Editou “Evocações daqui e de além” , “Encontro e desencontros” e “Coletânea de hinos litúrgicos” . Dedicou sua vida ao estudo, à educação e à sua Igreja, como catequista, cantora e liturgista. Patrick A. Carvalho, ao prefaciar sua obra “

A família do Pe. Manoel Francisco Maciel em Minas.

A jude-nos a contar a história de Carmo da Cachoeira. Aproveite o espaço " comentários " para relatar algo sobre esta foto, histórias, fatos e curiosidades. Assim como casos, fatos e dados históricos referentes a nossa cidade e região. Próxima imagem: Sete de Setembro em Carmo da Cachoeira em 1977. Imagem anterior: Uma antiga família de Carmo da Cachoeira.

Corpus Christi em Carmo da Cachoeira 2022

 A Comunidade São Pedro de Rates na Solenidade de Corpus Chisti Celebrando Corpus Christi a Comunidade São Pedro de Rates participou da confecção dos tapetes coloridos nas ruas de Carmo da Cachoeira para a passagem de Jesus Eucarístico pela procissão de Corpus Christi juntamente com toda a Paróquia Nossa Senhora do Carmo. Figuras da Sagrada Eucaristia, Divino Espírito Santo, do Cálice da Ceia e demais motivos eucarísticos embelezam as vias graças aos voluntários das diversas comunidades urbanas e rurais da Paróquia Nossa Senhora do Carmo na Diocese da Campanha em Minas Gerais. Celebrando a festa de Jesus presente na Eucaristia, sobretudo fazendo memória à Quinta-Feira Santa e o início da Eucaristia, no Pão e no Vinho, este dia nos remete uma verdadeira gratidão que nós cristãos devemos ter pelo grande mistério da morte e ressurreição de Cristo, Nosso Senhor. Ao desenhar símbolos religiosos nas ruas cachoeirenses, o povo se une em torno da arte e fé.  Simbolicamente retira a intermediaç

Rostos na multidão na antiga Carmo da Cachoeira

Se você deseja compreender completamente a história (...), analise cuidadosamente os retratos. Há sempre no rosto das pessoas alguma coisa de história da sua época a ser lida, se soubermos como ler. — Giovanni Morelli Cônego Manoel Francisco Maciel presente a cerimônia ao lado da Igreja da Matriz