Casa na "Chácara" onde residia o agente do Correio.


Ajude-nos a contar a história de Carmo da Cachoeira. Aproveite o espaço "comentários" para relatar algo sobre esta foto, histórias, fatos e curiosidades. Assim como casos, fatos e dados históricos referentes a nossa cidade e região.

Próxima imagem: Placa do portal de entrada da E.E. Prof. Wanderley.
Imagem anterior: Em uma pequena cidade um cavaleiro chama a atenção.

Veja outras ilustrações do artista Maurício José Nascimento .

Comentários

projeto partilha disse…
O prédio onde funcionou o Correio em Carmo da Cachoeira, Minas Gerais, situava-se na "CHÁCARA", em terras onde residia o Sr. Álvaro - Agente do Correio na época. Antes dele, o Agente que aparece em documentos é JOÃO NESTLE (sem acento). Não conseguimos resgatar a informação de onde se fazia o ponto de distribuição a sua época. O Sr. Álvaro é da Família "Dias Pereira de Oliveira".
projeto partilha disse…
A colocação que o Projeto Partilha faz, quanto aos agentes do Correio e de sua sede, são a partir dos dados documentais. O Sr. José Mariano desenvolveu seu trabalho como voluntário e, segundo o professor Wanderley, não foi devidamente reconhecido. Na época em que transportava as correspondências, o ponto ficava próximo a Casa Paroquial. Não é no mesmo local da representação feita por Maurício José Nascimento. Esta representação foi um resgate, a partir de depoimentos de tradicionais famílias cachoeirenses.
Ao professor Wanderley nosso reconhecimento. Sem suas observações o senhor José Mariano seria mais um anônimo em nossa sociedade, pela ausência de seu nome em documentos. Nossa gratidão ao professor e ao senhor José Mariano.
projeto partilha disse…
Existe um trabalho em óleo sobre tela exposto na "SALA Pe. ZEQUINHA", representando este antigo Correio. Está no interior da Igreja Matriz de Carmo da Cachoeira. Foi um dos trabalhos recebidos em doação pela Paróquia, por ocasião de seu Sesquicentenário. Os outros que fazem parte da galeria de quadros lá expostos são: "A Pça do Carmo - Século XIX"; "Igreja Santo Antonio - Estação"; "A casa DOS RATES, século XVIII" e a "Igreja do Senhor dos Passos".
projeto partilha disse…
Tipo de documentos: Manuscritos a partir do livro de registros de batizados. Local: Freguesia do Carmo da Cachoeira, Minas Gerais. Ano: 1870.
Martiniano, pardo, na Ermida de Antonio Severiano de Gouvêa, filho legítimo de Cezário Manoel do Espírito Santo e Marianna Rodrigues de Jesus. Padrinhos: Francisco Daniel da Costa e dona Maria Carolina de Gouvêa;
Joanna, branca, na Ermida de Antonio Severiano de Gouvêa, filha legítima de Antonio Severiano de Gouvêa e dona Joanna Maria de Jesus. Padrinhos: Dr. José Constâncio de Oliveira e Silva e dona Maria Carolina de Gouvêa;
Joaquim, pardo, na Igreja Matriz, filho legítimo de Antonio Caetano das Chagas e Galdina Maria de Jesus. Padrinhos: Marcolino Francisco de Oliveira e Maria Francisca de Jesus;
Gustavo, branco, na Freguesia de São Thomé das Lettras, filho legítimo de José Paulino Mafra e dona Anna Francisca Ignácia de Jesus. Padrinhos: Ignácio Lopes Guimarães e dona Geracina Balduína de Souza;
Antonio, branco, na Ermida do Capitão Antonio Joaquim Alves, filho legítimo de João Alves de Gouvêa e dona Marianna Clara de Gouvêa. Padrinhos: Antonio Severiano de Gouvêa e dona Maria Carolina de Gouvêa;
Feliciano, crioulo, na Ermida da Chamusca, filho legítimo de Fidellis e Anna. Padrinhos: Jerônimo e Rita;
Felizarda, na Fazenda do Rancho, crioula, filha natural de Júlia. Padrinhos: Benedito e Venância;
Joaquim, branco, na Igreja Matriz, filho legítimo de Joaquim Pedro da Silva e Josina Vitalina de Rezende. Padrinhos: José Fernandes Avelino e dona Maria Clara Umbelina;
Vicência, parda, na Igreja Matriz, filha legítima de Francisco e Praxedes. Padrinhos: Francisco Ferreira Rosa e Rosa.
(continua)
projeto partilha disse…
Para identificação pela atual geração, a "CHÁCARA", é o local de residência que foi do preservacionista, JOSÉ DA COSTA AVELLAR, e hoje, de sua mulher - A Enedina e de suas filhas com suas respectivas famílias. É uma CHÁCARA agradabilíssima. Logo a entrada, à esquerda, o selo deixado pelo preservacionista - UM BELÍSSIMO BOSQUE. A entrada hoje, fica numa travessa da Rua Pe. Godinho, e não mais na Rua Presidente Antonio Carlos, onde se inica a Rua Padre Godinho. A entrada da referida CHÁCARA, na ocasião, se fazia através de uma porteira, na esquina da Rua Pe. Godinho com a Rua Pres. Antonio Carlos. A CHÁCARA, abrangia uma área muito maior, chegando até o quarteirão de cima, onde hoje fica a denominada Rua Artur Tiburcio. Esta rua, na ocasião, de terra, era forte em comércio, desde que era ponto de passagem e dava acesso ao CORREDOR DO NENZICO, hoje Rua Mizael Dias de Gouveia. Através desta via, chegava-se a Três Corações, Três Pontas e outras localidades. Aí, acima do "Ninos Bar", e na mesma calçada, a AGÊNCIA DO CORREIO representada por Maurício José Nascimento.
projeto partilha disse…
Continuação. Batizados. Ano de 1870
Umbelina, crioula, Ermida de Domingos Marcelino dos Reis, filho legítimo de Roque de Nação e Isabel. Padrinhos: Luís da Silva Campos e dona Innocência Carolina dos Reis;
Antonio, crioulo, filho legítimo de José e Monica, na Ermida de Severino Ribeiro de Rezende. Padrinhos: Joaquim Pedro de Rezende e dona Anna Celestina de Rezende;
Octavianno, branco, na Freguesia de São Thomé das Lettras, filho legítimo de Francisco de Assis e Souza e dona Constância Thereza de Jesus. Padrinhos: Bernardino Nogueira Neto e dona Maria Cassiana da Costa;
Emídia, crioula, na Capella de São Bento do Campo Bello, filha legítima de Manoel Afficano e Prudencianna. Padrinhos: Luciana e Victória;
Maria, crioula, na Capella do Campo Bello, filha legítima de José Plácido e Aniceta Maria de Jesus. Padrinhos: Dominicianno Ferreira de Oliveira e Anna Deolinda de Jesus;
Francisco, branco, na Capella de São Bento, filho legítimo de Francisco Ignácio de Mello e dona Anna Ubaldina de Jesus. Padrinhos: Manoel Ferreira Martins e dona Maria Carolina de Mello;
Firmino, crioulo, na Capella de São Bento do Campo Bello, filho legítimo de Thomás Affricano e Prudencianna . Padrinhos: Ignácio e Izabel;
Galdina, crioula, na Capella de São Bento do Campo Bello, filho legítimo de Manoel e Maximianna. Padrinhos: Manoel e Maria Clara de Jesus;
Maria, crioula, na Capella de São Bento do Campo Bello, filha natural de Francisca. Padrinhos: Sebastião e Aniceta;
Maria, crioula, na Capella de São Bento do Campo Bello, filha natural de Carolina de Jesus. Padrinhos: Domingos Lopes Guimarães e Emerencianna Maria de Jesus;
Antonio, branco, na Capella de São Bento do Campo Bello, filho natural de Marianna Francisca de Jesus. Padrinhos: Antonio Alves de Siqueira e Maria Flausina de Jesus;
Francisco, branco, na Ermida de Gabriel Flávio da Costa, filha legítima de Francisco Tristão do Espírito Santo e Ignácia Clementina de Souza. Padrinhos: Gabriel Flávio da Costa Júnior e dona Marianna Ignácia de Souza;
Umbelina, crioula, na Ermida de ;
Gabriel Flávio da Costa, filho legítimo de Antonio e Narciza. Padrinhos: Antonio Jacome da Cruz e Marianna de Souza;
Theodora, crioula, na Ermida de Gabriel Flávio da Costa, filha legítima de José Affricano e Adrianna. Padrinhos: Antonio de Nação e Marianna;
Romana, crioula, na Ermida do Taquaral, filha legítima de Francisco e Dorothéa. Padrinhos: Joaquim de Nação e Esméria;
Bazelicia, branca, na Igreja Matriz, filha legítima de Manoel Antonio dos Reis e Anna Cândida Branquinho. Padrinhos: Antonio Justiniano dos Reis e dona Marianna Cândida Branquinho.
(continua)

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.

A Família Campos no Sul de Minas Gerais.