O primeiro ginásio.


Clique aqui ou na tarja a cima e veja a ilustração do primeiro ginásio de Carmo da Cachoeira.

Cidadão nascidos por volta de 1920 e vivos ainda hoje, descrevem com carinho os momentos felizes vividos nesta escola. Uns como alunos outros como colaboradores. O endereço hoje é a rua Domingos Ribeiro de Rezende e corresponde aos números 704 e 714. Prédio grande e confortável, de propriedade da Família Santana, era um ponto de cultura na florescente Carmo da Cachoeira do início do século XX. As escolas de primeiras letras funcionavam em outros locais e eram separados por turmas masculinas e femininas.O relatório do IBGE, apresenta como havendo em Carmo da Boa Vista, em 03 de março de 1907, com uma Escola Pública, com a presença de dois “normalistas”, Pedro Juvêncio de Souza, com turma de cinqüenta e cinco aluno e Anna Evangelista Ximenes, com Turma de quarenta e seis alunas.

Comentários

Projeto Partilha@ disse…
Errata. Tipo de erro: Referencial. A Casa mostrada no trabalho não corresponde a do antigo Ginásio. Houve um equivoco. Esta, recém destruida pela demolição, e cujo espaço vazio está na Praça Nossa Senhora do Carmo, neste ano de 2008, pertenceu a FAMILIA VEIGA LIMA. Ela não era situada a Rua Domingos Ribeiro de Rezende, e sim na Praça, Rua paralela a do antigo Ginásio. Enviaremos o referencial correto para que TS Bovaris proceda as devidas correçoes.
Leny Heverson disse…
Que , bom que vocês perceberam o erro !
Projeto Partilha disse…
Ao clicar em "tarja", ou "clique aqui", veremos a casa onde funcionou o primeiro Ginásio de Carmo da Cachoeira. A propriedade pertencia a Família Santana e teve como moradora, antes do funcionamento do Antigo Ginásio, a filha de José Batista Santana(Baptista), filho de João José de Sant´Ana e de dona Francisca Batista da Fonseca(João José nasceu em São Thomé das Letras). José Batista era casado com dona Maria Secunda Ribeiro. Dona CONCEIÇÃO SANTANA foi mãe do arranjador e compositor ALMIR CHEDIAK - Rio de Janeiro.(in memoriam).
Projeto Partilha@ disse…
Oi, professora Leny Heverson. O Projeto Partilha fica grato pela sua participação e convida a senhora, seus alunos e sua Escola a fazer parte deste grupo que, enquanto busca suas origens, marca presença na história que está sendo escrita hoje. Assim o futuro saberá quais foram os protagonistas da história de Carmo da Cachoeira neste ano de 2008. Voces não vão ficar fora, ou vão?
Yasmin disse…
Epa, não vou perder a oportunidade. Sei porque li que Almir Chediack foi autor de dois livros na área de música: "Dicionário de Acordes Cifrados" e "Harmonia & Improvisação". Dei show de sabedoria. Gostaram?
Jeff disse…
Se a Yasmin colou, vou colar também. A cópia fica assim, se errar corre por minha conta: Almir Chediak tinha sangue mineiro. Sua mãe, CONCEIÇÃO SANTANA CHEDIAK, nasceu em CARMO DA CACHOEIRA, onde Almir viveu boas parte de sua infância. Morou aí dos oito aos 13 anos. Pois bem, agora conheço a casa onde ele viveu esses anos. Só estou palpitando porque sou ligado a música e participo de uma banda.

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.

A Família Campos no Sul de Minas Gerais.

Palanques e trincheiras na defesa dos quilombos.