Antiga imagem mineira e seu significado.

Charitas, quer dizer Caridade. Nosso referencial mais recente quanto ao uso do termo está na Carta Encíclica de Bento XVI, com os termos latino, "Deus Charitas Est". A primeira parte da Encíclica se refere a Unidade do Amor na Criação e na História da Salvação. Jesus é o amor encarnado de Deus.

A segunda parte refere-se a Prática do Amor pela Igreja, a "Comunidade do Amor". A Igreja é a família de Deus no mundo. Nesta família, nesta comunidade todos estão inclusos, ninguém fica de fora. A Comunidade deverá refletir o Amor, a Caridade e a Justiça. Sublimes dons que não se permitem manifestar-se isoladamente. Permeiam-se e se interpõe dando a ação do cristão o doce tom da pacificidade. Esta família não deve servir a partidos políticos, nem fazer proselitismo . Tampouco deverá servir a ideologias. Deus é Caridade/Amor, a exemplo de Maria, Mãe do Senhor e espelho de Santidade. A exemplo também de Madre Teresa de Calcutá.

São Francisco Xavier faleceu com 46 anos. Nasceu na Espanha em 1506. A primeira biografia de São Francisco Xavier a ser publicada em 1596, traz a gravura por Theodor Galle. Difunde a imagem dele com o rosto afilado e com o olhar dirigido para o céu, cabelo e barbas negras. O Pe. Manuel Teixeira, primeiro biógrafo de São Francisco, em Vida del Bieanventurado Padre Francisco Xavier Religioso de la Comapañia de Jesús¹.

O Epíteto mais famoso: "São Francisco Xavier - o Apóstolo do Oriente". É tido também como sendo o Patrono Universal das Missões.

Na obra São Francisco Xavier e o Oriente Português, autoria de Antônio de Mattos Sobral Cid², é citado como tendo sido o Instrumento de Fé e de Expansão política, a serviço das cruzes de Cristo que D. João III queria estender para o Oriente. As primeiras gravuras mostram-no com batina de padre (sotaina) e o manto.

Charitas é Caridade. Na fé, com esperança e Caridade oremos:

Prece de Cáritas

Deus, nosso Pai, que sois todo poder e bondade, dai força àquele que passa pela provação; dai luz àquele que procura a verdade, ponde no coração do homem a compaixão e a caridade. Deus, dai ao viajor a estrela guia; ao aflito a consolação; ao doente o repouso. Pai, dai ao culpado o arrependimento, ao espírito a verdade, a criança o guia, ao órfão o pai. Senhor, que a vossa bondade se estenda sobre tudo que Criastes. Piedade Senhor, para aqueles que sofrem. Que a Vossa bondade permita aos espíritos consoladores derramarem por toda parte a paz, a esperança e a fé. Deus, um raio, uma faísca do Vosso amor poder abrasar a terra. Deixai-nos beber nas fontes dessa bondade fecunda e infinita e todas as lágrimas secarão, todas as dores acalmar-se-ão. Um só coração, um só pensamento subirá até Vós como um grito de reconhecimento e amor. Como Moisés sobre a montanha, nós Vos esperamos com os braços abertos, oh! Poder... oh! Bondade... oh! Beleza... oh!Perfeição, e queremos de alguma sorte alcançar a Vossa misericórdia. Deus, daí-nos a CARIDADE PURA; dai-nos a FÉ e a razão; dai-nos a simplicidade que fará de nossas almas, o espelho onde deve refletir a Vossa Santa e Misericordiosa imagem.

Cáritas, 25 de dezembro de 1873.

Próxima imagem: Aniversariantes da Comunidade dos Guardiões.
Imagem anterior: Jesus Crucificado em oratório sul-mineiro.

1. ed. Román GAVINÃ SJ. Bilbao. Editorial "El so de las Misiones", 1952. 177.
2. I Volume. Separata do "Instituto de Coimbra". Biblioteca Nacional de Portugal.

Comentários

projeto partilha disse…
Aprenda a valorizar as coisas espirituais, em vez das materiais.
Elas duram mais, custam menos, propiciam muito.

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.