Como os missionários católicos devem se portar.


O Projeto Diocesano das Santas Missões Populares chegou na etapa das Visitas Missionárias. Várias paróquias já estão vivendo este momento mais forte e mais intenso das Santas Missões Populares. É tempo de escutar os apelos de Deus, despertando para a conversão. Acima de tudo a Semana Missionária é um retiro espiritual popular, aberto a todos. Cada pessoa organiza o seu tempo disponível para participar intensamente desta semana.

A semana Missionária exige a disponibilidade especial dos discípulos missionários. Por isto foram feitos retiros preparatórios em nível diocesano e paroquial. Agora é hora de ir, de casa em casa anunciando Jesus. Quem faz as visitas aos domicílios devem estar preparados. Estar preparado significa ter conhecimentos básicos de como proceder, evitando assim, atitudes que podem prejudicar o trabalho missionário. Vejamos abaixo alguns procedimentos que devem ser evitados:

• Assuntos que podem causar mal estar: evitar tocar em assuntos delicados como os relacionados à intimidade de pessoa, ou de alguém da família; assuntos sobre política partidária, etc. Não falar mal da vida alheia nem sobre problemas relacionados à paróquia, ao padre ou a algum irmão da pastoral ou da comunidade. Quando visitar um doente, não perguntar detalhes sobre a doença.
• Falar em demasia ou em tom elevado de voz: faz parte da boa educação falar em voz baixa, com tom moderado, a não ser que a pessoa tenha problema de audição. Não gritar nem dar gargalhadas desnecessárias. Ser discreto no falar e no agir para não causar má impressão à pessoa visitada.
• Demora durante a visita: A pessoa visitada tem mais o que fazer. Procurar ser objetivo, sem ser técnico demais. Se na família pessoas doentes, procurar não ser um incômodo. Há exceções. Haverá casos em que será preciso demorar um pouco mais, mas isso não é regra. O recomendado é calcular um tempo que seja adequado.
• Intimidade forçada: se o agente encontra a pessoa pela primeira vez, não deve ter atitudes de intimidade. Brincadeiras e outras atitudes semelhantes não são recomendadas no primeiro contato. Elas podem deixar as pessoas constrangidas. Agir com naturalidade, mas se o agente for uma pessoa muito extrovertida, deve tentar ser comedido nos seus atos e palavras.
• Visita nas horas das refeições: é indelicado visitar uma pessoa no horário das refeições, exceto se ela fez o convite antecipadamente. Caso isso venha a ocorrer, o agente pode pedir desculpas e marcar outro horário para a visita.
• Vestir-se de modo extravagante: ao fazer visitas missionárias, vestir-se com sobriedade, sem exageros. A imagem do visitante fala mais que suas palavras. Para os homens: não usar camisas de time de futebol, de partidos políticos, com frases obscenas ou de duplo sentido; nem camisas muito abertas ou camisetas cavadas, nem bermudas. Para mulheres: evitar roupas muito decotadas ou curtas e acessórias e maquiagem em exagero.
• Rir das pessoas: rir das pessoas é algo desagradável, mesmo que elas tenham feito algo engraçado. Quem visita poderá encontrar situações que despertem o riso. É preciso conter-se se for algo que venha a desmerecer as pessoas, ou constrangê-las. Rir com as pessoas, mas nunca das pessoas.
• Exageros nos momento de oração: ser comedido na oração. Não fazer orações de cura e libertação nem falar em línguas ou ter outras atitudes que não convém nessa ocasião, pois elas podem assustar as pessoas.

Essas são algumas atitudes e serem evitadas. Outras poderão ser detectadas durantes as visitas, ou na ocasião da avaliação que os agentes de pastoral devem fazer.

texto foi publicado em Voz Diocesana, edição 1406- ano 65 - Diocese da Campanha (Minas Gerais) - Agosto de 2012.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.

A Família Campos no Sul de Minas Gerais.