Cena de genuína fé em Carmo da Cachoeira.

Terno de Congada de São Benedito - Mestre Dae, através deste grupo queremos prestar homenagem aos nossos antepassados, antigos moradores do Quilombo Gondu. Que a luz permaneça guiando o caminho de cada consciência que, a seu tempo, realizou a dura experiência e aprendizado de valores perenes como, por exemplo, o da humildade e submissão aos desígnos divinos. Descansem em Paz.

Grupo de Congada de Oliveira, Minas Gerais em visita a Carmo da Cachoeira.
Foto: Maria do Carmo - Arte: TS Bovaris

Próxima imagem: Cavaleiros na Fazenda do Morro Grande, Minas.
Imagem anterior: Detalhe de capela rural sul-mineira de 1919.

Comentários

projeto partilha disse…
O Capitão Joaquim Bernardes da Costa era pessoa bem informada sobre os espaços geográficos e territoriais do Brasil Colonia, e foco de seu interesse. Esses conhecimentos, entre outros, devem ter cooperado na escolha e opção do novo local a desbravar. Entendeu ser nas terras de Poços de Caldas, lugar ideal e que viria atender suas necessidades - lugar propício onde poderia manifestar seus ideais e/ou desenvolver atividades econômicas.
Leia no Fascículo Segundo, Ano I, Revista do Arquivo Público Mineiro, referência a um ofício datado de 6 de setembro de 1786, dirigido ao ministro Martinho de Mello e Castro pelo Governador Luiz da Cunha Menezes com a informação de que as águas termais de Poços de Caldas eram conhecidas e utilizadas pelos índios CATAGUAZES muito anteriormente à chegada dos portugueses.

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.