Pular para o conteúdo principal

Terras de São Pedro de Rates em Minas Gerais.


Um pedacinho de chão, extremamente amado por muitos.

A primeira década do século XXI caminha para festejar o seu final, e temos observado, em Carmo da Cachoeira, a tendência do homem na busca de suas realizações pessoais, com forte interesse nas coisas do dia-a-dia e, em problemas circunstanciais.

Estes dão ibope: na mídia, nas esquinas, nos bares, na praça.

A tradição, inquestionavelmente, depositária da herança humana ficou para traz e passou a pertencer ao passado. O mundo transforma-se ao ritimo de muitas mensagens e pouco conhecimento, num misto de informação e tecnologia sem alma, sem raiz.

Antenas de comunicação externa estão fazendo parte dos telhados de casas e casebres das zonas rural e urbana. Poucos são os que falam embevecidos de sua terra natal, esquecidos que são parte daquele "pedacinho de chão" que lhe serviu de berço e foi protagonista de sua história.

Pessoas que ocupavam este "pedacinho de chão" com carinho, dedicação, doçura e compreensão. Estes, emanam Luz à todos os seus parentes, amigos e vizinhos. Estes, transmitem os valores de vida interior que não poderiam ser apagados ou esquecidos.

A humanidade induz e mostra a desavisados, caminhos revestidos de brilho e beleza irreais e pouco duradouros.

As Terras de São Pedro de Rates, na cidade de Carmo da Cachoeira surge como um um farol, que deve trazer de volta a segurança aqueles desavisados que a humanidade induziu ao brilho e não a Luz.

Valores de vida interior e preservados pela tradição foram vivenciados e serão sempre fomentados aqui nas Terras de São Pedro de Rates.

A arte do ilustrador Maurício José Nascimento, mostra aquilo que nosso coração vê, no centro da do município de Carmo da Cachoeira, um recanto bucólico de paz e reflexão.

Ilustração: José Maurício Nascimento- 2010

Próxima imagem:
Imagem anterior: Coral da Comunidade São Pedro de Rates.

Comentários

projeto partilha disse…
Um recadinho para TS Bovaris. O Guia Comercial e Publicitário de Carmo da Cachoeira, Minas Gerais envia-lhe as dimensões para publicação da imagem em sua capa, a ser editada no próximo mês: horizontal: 13,7cm
vertical: 9,8cm
projeto partilha disse…
As duas árvores, que se vê à esquerda de quem olha, são Ipês nativos. Eles já foram mostrados nessas páginas, focalizadas, em sua época de floração, pelas lentes e câmara do retratista Evando Pazini. As flores são amarelas. A árvore que aparece a direita, é uma goiabeira, também nativa.
projeto partilha disse…
Encerramento do Cerco de Jericó.

No cronograma de atividades religiosas para a Comunidade Paroquial São Pedro de Rates consta: dia 20 de março, Via-Sacra. Na Capelinha de São Pedro de Rates, a Primeira Estação - Jesus é condenado à morte.
A Igreja Matriz de Nossa Senhora do Carmo celebrou, no sábado 20, Missa às 17:00 hs, com encerramento do Cerco de Jericó. Ao final inicia-se a procissão com destino ao Cruzeiro, instalado no alto do morro. Neste local houve a queima dos pedidos deixados durante o Cerco. A subida do Morro relembra o sofrimento de Jesus e seu Calvário. São 15 Estações. A reflexão realizada aos pés do morro e, portanto, junto a Capelinha que se vê na imagem do dia de hoje foi a seguinte: Vivemos em uma economia de mercado que coloca o aspecto financeiro acima de todos os demais e transforma tudo em mercadoria, que valoriza as pessoas pelo seu padrão de consumo, que cria vícios de acumulo do supérfluo como forma de alguém se sentir importante.
O pedido que é feito nesta primeira Estação pelos fiéis diz: Ó Jesus, vós que nos destes o exemplo de amor aos pequenos e humilhados deste mundo, ensina-nos a olhar para cada ser humano como a mais bela e mais importante obra da criação de Deus.
A cerimônia, presidida pelo Pároco, Pe. André é vivenciada pelos fiéis. Crianças, jovens, adultos e velhos sobem o morro em atitude de respeito e devoção. A imagem do ritual primou pela ordem e pela harmonia. Certamente, essas imagens fixaram-se na mente coletiva numa conexão com a substância eterna presente no lado imaterial da vida. Mistérios da Cruz. Da Cruz de Jesus Cristo e, através da qual o mundo foi remido. Por isso, nós vos adoramos, Senhor Jesus Cristo, e vos bendizemos.
projeto partilha disse…
Momentos de Fé, devoção, recolhimento e oração junto as Terras de São Pedro de Rates. Faz parte, também, do calendário da Comunidade Paroquial São Pedro de Rates nova Procissão com itinerário de subida do Morro do Cruzeiro. Será às 6:00 hs da Sexta-feira Santa, dia 02 de abril. Jesus sobe o Morro e chega ao seu Calvário. A primeira estação será vivida junto a Igrejinha de São Pedro de Rates, Carmo da Cachoeira, Minas Gerais.
projeto partilha disse…
No ano de 2009, precisamente, no dia 13 de maio, o espaço chamado "Terras de São Pedro de Rates" lembrou e comemorou com Missa, às 19hs., nas intenções de Nossa Senhora de Fátima e da libertação dos escravos. Fazia parte das comemorações benção da imagem de Nossa Senhora de Fátima, recém instalada em local de propriedade e residência da Família Evando Pazini - Leonara Andrade, seus filhos e a mãe de Evando, com seu imóvel junto ao mesmo local. A família pertence a Comunidade Paroquial São Pedro de Rates e a cerimônia de benção da singela imagem, presente nos jardins da casa, ocorreu como parte das comemorações do dia, às 18:00hs. Esteve presente as cerimonias, o presidente das celebrações, o Pároco, Pe. André Luiz da Cruz, cachoeirense em geral, além de representantes luminarenses, nas pessoas dos pais de Leonara Andrade - Leônidas Augusto de Oliveira Andrade e sua esposa, Maria Aparecida de Jesus ou seja, Maria Aparecida de Andrade, depois do casamento. O sobrenome "de Jesus", presente no nome de Maria Aparecida, segundo dados vindos através da tradição, refere-se a "Taveira".
Leônidas Augusto de Oliveira Andrade é filho de Waldemar Martins de Andrade, casado com Nilce de Oliveira Andrade, em 1943. Waldemar Martins de Andrade, filho de Leônidas Martins de Andrade e Mariana Luz de Andrade é natural de Luminárias, Minas Gerais e nasceu em 02/02/1914. São irmãos do ex-prefeito de Luminárias: Maraísa Andrade Machado; Paulo Fernando de Oliveira Andrade; Stela Regina de Oliveira Andrade; Celina Andrade Barbosa de Souza; Mariléia Andrade Machado; Waldemar Martins de Andrade Júnior; Reginaldo de Oliveira Andrade; Nilton de Oliveira Andrade (falecido).
Waldemar Martins de Andrade nasceu na Fazenda dos Monjolos - Luminárias, Minas Gerais, fazenda esta histórica. Segundo a tradição familiar a centenária fazenda foi visitada pelos cientistas austríacos Spix e von Martius.
projeto partilha disse…
Um recadinho para Thais Helena de Andrade. Em Família Junqueira - Sua História e Genealogia, p. 714, lê-se: 3-2 ten. Luís Antonio de Oliveira. Nasceu em Caldas - MG. Casou-se com sua prima, Francisca Cândida de Oliveira, também chamada por Francisca Cândida da Costa, filha de João Cândido da Costa e Maria Marfisa da Costa. Francisca Cândida nasceu em São Thomé das Letras e foi batizada em 30 de maio de 1836, na Matriz de Carrancas. No inventário de Luís Antônio de Oliveira diz que usou 8:000$000, para comprar terras na Fazenda do Campo Formoso, e outros 2:000$000 para comprar terras nas Fazendas Monjolos e Campo do Meio. Luís Antônio contraiu segundas núpcias em 1868, em Baependi-MG, com Felicidade Gomes Ribeiro da Luz, filha de Antônio Máximo Ribeiro da Luz e Mariana Brandina Gomes Ribeiro. Em 1879, Luís Antônio recebeu o título de Barão de Caldas e, em 1889, o título de Visconde de Caldas, segundo o Anuário Genealógico Brasileiro, p.106 - Ano I.

Segundo a Genealogia Paulistana, título TolPizas_1, p. 460/461/462, 6-6 Marianna Brandina Gomes Ribeiro, casada com Antônio Máximo Ribeiro da Luz, juiz de direito da Campanha, onde ele faleceu em 1889, foram pais, entre outros de Felicidade Gomes Ribeiro da Luz, a Viscondessa de Caldas. São citados 9 filhos do casal.

Observação: a primeira mulher que a senhora cita como Ana Isabel Rezende é citada na Genealogia Paulistana, como ANNA IZABEL TEIXEIRA.
projeto partilha disse…
São Pedro de Rates foi incluída na Santa Missa deste Domingos de Ramos, ano 2010.

A Comunidade Paroquial São Pedro de Rates recebeu uma grande benção neste dia. Foi incluída no roteiro da Santa Missa desde dia que marca a entrada de Jesus Cristo em Jerusalém. É final da Quaresma e início da Semana Santa. A missa começou na Comunidade Vovó Santana, Bairro do Bom Retiro, setor leste da Paróquia. Durante o Ato Penitencial, os fiéis são convidados a saírem em caminhada até a Matriz de Nossa Senhora do Carmo.
Lá, na Igrejinha, sob o orago da Mãe de Nossa Senhora, o celebrante, Pe. André Luiz da Cruz e os fiéis colocam-se a Serviço. Dizem: "Eis me aqui Senhor", vim para atender o vosso chamado, vim para louvar, agradecer, bendizer, adorar e estou inteiramente a seu dispor. Ao começar a celebração, o sacerdote inclina-se e beija o altar. Beijo endereçado ao Cristo, centro de nossa devoção. Após o Sinal da Cruz, " Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, onde cada fiel coloca sua vida e toda sua ação nas mãos da Santíssima Trindade, o sacerdote convida os presentes a realizarem o Ato Penitencial, caminhando pelas ruas da cidade. Enquanto, individualmente, cada um busca um contato com sua parte mais interna, Divina e, enquanto se reflete como está acontecendo sua vida em relação aos valores internos, o cortejo que, por ter se colocado nas mãos da Santíssima Trindade, move-se como Luz, iluminando o percurso por onde passava. É uma Luz caminhante distribuindo bençãos em seu trajeto.
Com gratidão em nossos corações pedimos a Deus Misericórdia:
Misericórdia, Senhor!
Misericórdia!
Misericórdia, Senhor.
Misericórdia.
projeto partilha disse…
Semana Santa - 2010 e a Comunidade São Pedro de Rates, setor norte da Paróquia Nossa Senhora do Carmo. Diocese da Campanha - Minas Gerais. Programação. Cf.: carmodacachoeira.blogspot.com
nsradocarmo@hotmais.com Tel.: (035) 3225-1244/32251640

Dia 28 DOMINGOS DE RAMOS (Gesto Concreto da Campanha da Fraternidade)
Neste Domingo, aclamamos Jesus como Messias que vem realizar as promessas dos´profetas e instaurar definitivamente o Reino de Deus.
8h30 - Bênção e procissão de Ramos na Igreja de Sant´Ana e Frei Galvão, no Bom Retiro (Igreja Vovó Santana).
Trajeto da Procissão de Ramos: Saindo Igreja Sant´Ana e Frei Galvão, Rua Joaquim Vilhena Reis, a esquerda Rua Purcina Campos Reis, a direita Rua Amintas de Oliveira Vilela, a esquerda Rua Presidente Antônio Carlos, a direita Rua Olimpio Virgulino de Souza, a esquerda Rua Domingos Ribeiro de Rezende ( AQUI, O Santuário Mãe Rainha e as TERRAS SÃO PEDRO DE RATES), a esquerda Rua Arthur Tibúrcio, Praça do Carmo
10h00 - Missa de Ramos, na Matriz.
13h00 - Confissão na Igreja de Nossa Senhora Aparecida, no Espraiado.
14h00 - Celebração na Igreja de Nossa Senhora Aparecida, no Espraiado.
14h00 - Bênção de Ramos e procissão na Comunidade do Pauso Alegre.
19h00 - Missa na Igreja Matriz

(continua)

Postagens mais visitadas deste blog

Tabela Cronológica 10 - Carmo da Cachoeira

Tabela 10 - de 1800 até o Reino Unido - 1815 - Elevação do Brasil a Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves - 1815 ü 30/Jan – capitão Manuel de Jesus Pereira foi nomeado comandante da Cia. de Ordenanças da ermida de Campo Lindo; e ü instalada a vila de Jacuí . 1816 1816-1826 – Reinado de Dom João VI – após a Independência em 1822, D. João VI assumiu a qualidade e dignidade de imperador titular do Brasil de jure , abdicando simultaneamente dessa coroa para seu filho Dom Pedro I . ü Miguel Antônio Rates disse que pretendia se mudar para a paragem do Mandu . 1817 17/Dez – Antônio Dias de Gouveia deixou viúva Ana Teresa de Jesus . A família foi convocada por peritos para a divisão dos bens, feita e assinada na paragem da Ponte Falsa . 1818 ü Fazendeiros sul-mineiros requereram a licença para implementação da “ Estrada do Picu ”, atravessando a serra da Mantiqueira e encontrando-se com a que vinha da Província de São Paulo pelo vale do Paraíba em direção ao Rio de Janeiro, na alt

As três ilhoas de José Guimarães

Fazenda do Paraíso de Francisco Garcia de Figueiredo Francisco Garcia de Figueiredo é citado como um dos condôminos / herdeiros da tradicional família formada por Manuel Gonçalves Corrêa (o Burgão) e Maria Nunes. Linhagistas conspícuos, como Ary Florenzano, Mons. José Patrocínio Lefort, José Guimarães, Amélio Garcia de Miranda afirmam que as Famílias Figueiredo, Vilela, Andrade Reis, Junqueira existentes nesta região tem a sua ascendência mais remota neste casal, naturais da Freguesia de Nossa Senhora das Angústias, Vila de Horta, Ilha do Fayal, Arquipélago dos Açores, Bispado de Angra. Deixaram três filhos que, para o Brasil, por volta de 1723, imigraram. Eram as três célebres ILHOAS. Júlia Maria da Caridade era uma delas, nascida em 8.2.1707 e que foi casada com Diogo Garcia. Diogo Garcia deixou solene testamento assinado em 23.3.1762. Diz ele, entre tantas outras ordenações: E para darem empreendimento a tudo aqui declarado, torno a pedir a minha mulher Julia Maria da Caridade e mai

A Família Campos no Sul de Minas Gerais.

P edro Romeiro de Campos é o ancestral da família Campos do Sul de Minas , especialmente de Três Pontas . Não consegui estabelecer ligação com os Campos de Pitangui , descendentes de Joaquina do Pompéu . P edro Romeiro de Campos foi Sesmeiro nas Cabeceiras do Córrego Quebra - Canoas ¹ . Residia em Barra Longa e casou-se com Luiza de Souza Castro ² que era bisneta de Salvador Fernandes Furtado de Mendonça . Filhos do casal: - Ana Pulqueria da Siqueira casado com José Dias de Souza; - Cônego Francisco da Silva Campos , ordenado em São Paulo , a 18.12. 1778 , foi um catequizador dos índios da Zona da Mata ; - Pe. José da Silva Campos, batatizado em Barra Longa a 04.09. 1759 ; - João Romeiro Furtado de Mendonça; - Joaquim da Silva Campos , Cirurgião-Mor casado com Rosa Maria de Jesus, filha de Francisco Gonçalves Landim e Paula dos Anjos Filhos, segundo informações de familiares: - Ana Rosa Silveria de Jesus e Campos , primeira esposa de Antônio José Rabelo Silva Pereira , este nascido

Antiga foto da cidade de Carmo da Cachoeira.

A jude-nos a contar a história de Carmo da Cachoeira. Aproveite o espaço " comentários " para relatar algo sobre esta foto, histórias, fatos e curiosidades. Assim como casos, fatos e dados históricos referentes a nossa cidade e região. Foto: Paulo Naves dos Reis Próxima imagem: Imagem da mata da fazenda Caxambu em Minas. Imagem anterior: Um pouco sobre a região do distrito de Palmital.

Biografia de Maria Antonietta de Rezende

Tendo como berço Carmo da Cachoeira, Maria Antonietta Rezende , nasceu a 9 de outubro de 1934 no seio de uma das mais tradicionais famílias do município – a Família Rezende . A professora Maria Antonietta deixou seu legado, o “modelo de compromisso e envolvimento com a terra em que nasceu” . Trabalhou consciências, procurando desenvolvê-las, elevá-las. Fazia isto com seus alunos, com os componentes dos grupos musicais que coordenava, com as crianças ligadas à Igreja, enfim, com toda população. Foi um exemplo vivo de “compromisso com a tradição” e um elo da longa corrente que chegou até nós neste ano comemorativo. Fez sua parte. Nós fazemos a nossa – manter a tradição. No dia-a-dia deixou o exemplo de vida e através de publicações, sua visão de mundo. Editou “Evocações daqui e de além” , “Encontro e desencontros” e “Coletânea de hinos litúrgicos” . Dedicou sua vida ao estudo, à educação e à sua Igreja, como catequista, cantora e liturgista. Patrick A. Carvalho, ao prefaciar sua obra “

Foto de família: os Vilela de Carmo da Cachoeira-MG.

A jude-nos a contar a história de Carmo da Cachoeira. Aproveite o espaço " comentários " para relatar algo sobre esta foto, histórias, fatos e curiosidades. Assim como casos, fatos e dados históricos referentes a nossa cidade e região. E sta foto foi nos enviada p or Rogério Vilela. Da esquerda para a direita: Custódio Vilela Palmeira, Ercília Dias de Oliveira, Fernando de Oliviera Vilela, Adozina Costa (Dozica), Jafoino de Azevedo e José de Oliveira Vilela (Zé Custódio). Imagem anterior: Sinopse Estatística de Carmo da Cachoeira - 1948

Hino do Centenário de Carmo da Cachoeira

letra: Haroldo Ambrósio Caldeira música: Álvaro Arcanjo Athaíde interpretação: Glória Caldeira teclado: Teresa Maciel do Nascimento estúdio de som: João Paulo Alves Costa - DjeCia edição de vídeo: Rícard Wagner Rizzi Letra do Hino do Centenário Cem anos de existência bem vivido Cantemos este hino de alegria Saudando essa data memorável do nosso centenário nesse dia. Cachoeira, Carmo da Cachoeira, Berço de um povo acolhedor Ergue hoje um pavilhão Rendendo Graças ao Senhor.

A família do Pe. Manoel Francisco Maciel em Minas.

A jude-nos a contar a história de Carmo da Cachoeira. Aproveite o espaço " comentários " para relatar algo sobre esta foto, histórias, fatos e curiosidades. Assim como casos, fatos e dados históricos referentes a nossa cidade e região. Próxima imagem: Sete de Setembro em Carmo da Cachoeira em 1977. Imagem anterior: Uma antiga família de Carmo da Cachoeira.

A pedra de moinho da fazenda Caxambu.

A jude-nos a contar a história de Carmo da Cachoeira. Aproveite o espaço " comentários " para relatar algo sobre esta foto, histórias, fatos e curiosidades. Assim como casos, fatos e dados históricos referentes a nossa cidade e região. Próxima imagem: Ary Silva da família Dias de Oliveira - Bueno. Imagem anterior: Nuvens sobre a tradicional fazenda Caxambu.

Corpus Christi em Carmo da Cachoeira 2022

 A Comunidade São Pedro de Rates na Solenidade de Corpus Chisti Celebrando Corpus Christi a Comunidade São Pedro de Rates participou da confecção dos tapetes coloridos nas ruas de Carmo da Cachoeira para a passagem de Jesus Eucarístico pela procissão de Corpus Christi juntamente com toda a Paróquia Nossa Senhora do Carmo. Figuras da Sagrada Eucaristia, Divino Espírito Santo, do Cálice da Ceia e demais motivos eucarísticos embelezam as vias graças aos voluntários das diversas comunidades urbanas e rurais da Paróquia Nossa Senhora do Carmo na Diocese da Campanha em Minas Gerais. Celebrando a festa de Jesus presente na Eucaristia, sobretudo fazendo memória à Quinta-Feira Santa e o início da Eucaristia, no Pão e no Vinho, este dia nos remete uma verdadeira gratidão que nós cristãos devemos ter pelo grande mistério da morte e ressurreição de Cristo, Nosso Senhor. Ao desenhar símbolos religiosos nas ruas cachoeirenses, o povo se une em torno da arte e fé.  Simbolicamente retira a intermediaç