Padre José Procópio Júnior em Carmo da Cachoeira

Imagem
Paróquia Nossa Senhora do Carmo sob nova guiança Editorial Sai Pe. Daniel Menezes, e assume como administrador paroquial da acolhedora cidade de Carmo da Cachoeira, em fevereiro de 2019, o Pe. José  Procópio Júnior.
"Não cabe à pedra escolher o lugar que deve ocupar no edifício. Assim também não cabe à nós criaturas ditar ao Criador o que deve acontecer em nossa vida, pois Deus é quem sabe e dispõe com sabedoria própria." − Dom Servílio Conti, IMC Como página que observa os acontecimentos neste pedaço de chão mineiro, limitado por montanhas e que, segundo o cachoeirense Padre Godinho, “todas são azuis”, registramos o remanejamento ocorrido entre padres ligados a Diocese da Campanha no ano de 2019. Entre as mudanças encontra-se a Paróquia Nossa Senhora do Carmo/Carmo da Cachoeira – MG.

Sai nosso querido Padre Daniel Menezes. Por ele continuamos a rezar e o devolvemos, entre lágrimas e a esperança de um dia tê-lo entre nós. Somos eternamente gratos e devedores. Entra, aureola…

Como era a vida dos primeiros Cristãos?



Com o passar do tempo, muitas mudanças vão acontecendo: mais conhecimento é produzido, novas coisas são inventadas e somos cercados de todos os lados por inúmeras informações que roubam nossa atenção e,às vezes, nos fazem desviar do caminho que somos chamados a seguir. Com tudo isso, uma crise de identidade pode instalar-se em nossa vida e comprometer a nossa salvação.

A pergunta que intitula este texto quer nos levar a conhecer mais a respeito dos primeiros cristãos, com a finalidade de recuperarmos nossa identidade e missão como discípulos de Jesus Cristo.

Na leitura da Palavra de Deus, no livro dos Atos dos Apóstolos, um versículo em especial chamou minha atenção e decidi iniciara reflexão a partir dele: “Perseverantes e bem unidos, frequentavam diariamente o templo, partiam o pão pelas casas e tomavam a refeição com alegria e simplicidade de coração.” (Atos 2, 46) Fiquei pensando nas Santas Missões Populares e identifiquei o quanto esse movimento traz em si a chama viva do Espírito Santo, que quer manter viva a identidade da nossa Igreja,possibilitando a todos manterem-se fiéis ao chamado que o próprio Cristo lhes fez.

A meditação dos Evangelhos feita nas diversas áreas de nossa comunidade, através dos círculos bíblicos, possibilitam o despertar de muitos missionários, verdadeiros discípulos tomados pelo Espírito Santo, capazes de espalhar na terra a semente do Reino de Deus.

Muitas pessoas que não tinham voz na comunidade estão despertando para a missão e redescobrindo suas vidas à luz dos santos Evangelhos. Esses novos cristãos agora estão na caminhada, sabem para onde estão caminhando e desejam ardentemente configurar suas vidas à vida de nosso Senhor Jesus Cristo para que, vivendo com Ele, possam também com Ele ressuscitar para a vida Eterna.

As reuniões de oração e as visitas nas casas enriquecem a nossa comunidade e contribuem para que a vida comunitária e o amor fraterno sejam cada vez mais uma realidade presente na vida dos cristãos de hoje em dia;para que todos nós, assim como os primeiros cristãos, possamos ser perseverantes e bem unidos; para que frequentemos as celebrações; para que aprendamos a repartir o pão com alegria e simplicidade de coração;enfim, para que todos nós possamos viver com irmãos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Antiga foto da fazenda da Serra de Carmo da Cachoeira.