Pular para o conteúdo principal

Saúde é o que Interessa!


Em Nazaré Jesus não fez milagre algum, apenas curou alguns doentes, impondo-lhes as mãos. E admirou-se com a falta de fé deles. Jesus percorria os povoados das redondezas, ensinando.

Jesus passou pelo mundo fazendo o bem. A sua missão foi de salvar o homem e o homem todo.

Como a Igreja é extensão de Jesus no mundo, ela sempre esteve preocupada com as pessoas, tanto física quanto espiritual. Haja visto a CF deste ano, quando o tema foi Fraternidade e Saúde. Você que me escuta: consegue ser um ombro amigo quando encontra pessoas desanimadas e pessimistas diante da vida?

Sabemos que o ser humano é um ser composto, por isso destrutível, sujeito às intempéries do tempo, a dores, a doenças, a situações de morte.

Corpo e alma é o ser humano. Por isso a Igreja trabalha a harmonização: o estado físico, psíquico e espiritual.

Deus inspirou os escritores sagrados e isso ficou claro na segunda carta de Paulo a Timóteo 3,16: “toda escritura é inspirada por Deus e é útil para ensinar, para repreender, para corrigir e para formar na justiça”.

Se assim é, e a escritura é matéria de fé por conter a Palavra de Deus, podemos acreditar no que diz São Tiago em sua carta no cap.5,vers.13 ss. "Alguém entre vós está triste? Reze! Alguém está alegre? Cante ! Alguém está enfermo? Chamem os sacerdotes da Igreja, e estes façam oração sobre ele, ungindo-o com óleo em nome do Senhor . A oração salvará o doente e o Senhor o restabelecerá."

O documento de Aparecida também tratou desse tema dizendo que a Igreja tem feito opção pela vida. Chamou os enfermos de “verdadeiras catedrais”. E diz que combater a enfermidade é buscar a harmonia física, psíquica, social e espiritual. 417 a 421.

Que a Pastoral da Saúde responde às grandes interrogações da vida, como é o sofrimento e a morte, à luz da morte e ressurreição do Senhor. 422 a 426.

O CELAM diz que “saúde é um processo harmonioso de bem estar físico, psíquico, social e espiritual. Não é apenas ausência de doença, mas é um processo que capacita o ser humano a cumprir uma missão que Deus lhe destinou, de acordo com a etapa e condição de vida em que se encontre."

O ser humano foi criado com liberdade, mas a doença não o respeita. Ela se impõe, não o deixando gozar do direito de ir e vir. Não faz discriminação. Saúde é condição essencial para o desenvolvimento pessoal e comunitário. É preciso articular saúde com alimentação, com educação, com trabalho, com remuneração, com promoção da mulher, da criança, da ecologia, do meio ambiente.

O Estado combate a mortalidade infantil e a mortalidade materna, mas existem outros fatores que devem ser combatidos a todo custo:
- respiração -infecções intestinais (diarréias);
- as complicações do parto: antes, durante e após; e
- gestação de curto prazo, baixo peso e infecções, as afecções perinatais.

Qual pastoral trabalha todas essas anormalidades, senão a PCRI?

Se o percentual da mortalidade infantil caiu no Brasil foi somente o governo federal, estadual e municipal que o fez? A PCRI tem muito mérito nesse caso.

Existem outras doenças que afligem a população adulta: são as sexualmente transmissíveis, em especial a AIDS e a sífilis. A hanseníase, a dengue, a influenza e a tuberculose.

Outros distúrbios se fazem presente na vida do povo: pressão alta, diabete, câncer, tabagismo, alcoolismo, sem falar das doenças da civilização: as cardiovasculares e a obesidade e os danos causados ao meio ambiente, que provocam prejuízos à saúde. Segundo a OMS, “as drogas matam duzentas mil pessoas por ano” e “a poluição do ar cerca de dois milhões anualmente.

Necessitamos de uma nova cultura, de uma nova civilização, de um novo modo de viver, o que requer um novo modelo de desenvolvimento econômico.

Para construir o novo é necessário abrir os horizontes, pois o atual não busca alternativa e ameaça o meio ambiente. O novo não surge de uma noite para o dia. Não é com uma varinha de condão que o mundo voltará a ter menos calor e mais água. É preciso conhecer-se a si próprio como dizia Sócrates: o filósofo da Grécia antiga. Eu preciso mudar o meu estilo de vida e aí sim, o mundo muda comigo.

Cuidemos do planeta com respeito, compreensão e amor, defendendo a vida em toda a sua diversidade e usá-la com racionalidade e sabedoria. O planeta precisa sofrer menos. Precisamos pensar diferente. E quando uma pessoa pensa melhor arrasta outras, e assim, o planeta terá condições de oferecer mais vida aos seus habitantes e todos terão mais saúde.

Algumas idéias devemos ressaltar:
- tomar dois litros de água por dia;
- evitar o sal. Ele é o vilão da hipertensão. Não pode passar de seis gr. por dia;
- ingerir sanduiche, batata frita, salgadinhos e comida industrializada é ingerir 20 gr de sal por dia. Três vezes mais o ideal;
- modificar o modo de alimentação comendo mais verduras e mais frutas;
- alho e cebola em abundância; e
-não guardar mágoas e rancor das pessoas. Viver bem com elas.

Comer 20% menos que costuma comer. Santo Afonso dizia: “é melhor sair da mesa com fome”. Morre mais gente com barriga cheia que com barriga vazia. Laranja todos os dias repõe a vitamina C e reduz alguns riscos.

Somos as únicas criaturas na face da terra capazes de mudar nossa biologia pelo que pensamos e sentimos." (Deepak Chopra)

Não acumular nervosismo. Mente e estômago tem ligação.
Inveja é perda de tempo. Deixe de odiar as pessoas. A vida é curta demais.
Renuncie a si mesmo. Procure perdoar.
Lembre-se de agradecer a Deus todas as manhãs. Afinal você está vivo.
Esteja de bem com Deus, com o próximo e consigo mesmo. Reze. Deus cura tudo.

Diácono Adilson José Cunha
08/07/2012

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tabela Cronológica 10 - Carmo da Cachoeira

Tabela 10 - de 1800 até o Reino Unido - 1815 - Elevação do Brasil a Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves - 1815 ü 30/Jan – capitão Manuel de Jesus Pereira foi nomeado comandante da Cia. de Ordenanças da ermida de Campo Lindo; e ü instalada a vila de Jacuí . 1816 1816-1826 – Reinado de Dom João VI – após a Independência em 1822, D. João VI assumiu a qualidade e dignidade de imperador titular do Brasil de jure , abdicando simultaneamente dessa coroa para seu filho Dom Pedro I . ü Miguel Antônio Rates disse que pretendia se mudar para a paragem do Mandu . 1817 17/Dez – Antônio Dias de Gouveia deixou viúva Ana Teresa de Jesus . A família foi convocada por peritos para a divisão dos bens, feita e assinada na paragem da Ponte Falsa . 1818 ü Fazendeiros sul-mineiros requereram a licença para implementação da “ Estrada do Picu ”, atravessando a serra da Mantiqueira e encontrando-se com a que vinha da Província de São Paulo pelo vale do Paraíba em direção ao Rio de Janeiro, na alt

As três ilhoas de José Guimarães

Fazenda do Paraíso de Francisco Garcia de Figueiredo Francisco Garcia de Figueiredo é citado como um dos condôminos / herdeiros da tradicional família formada por Manuel Gonçalves Corrêa (o Burgão) e Maria Nunes. Linhagistas conspícuos, como Ary Florenzano, Mons. José Patrocínio Lefort, José Guimarães, Amélio Garcia de Miranda afirmam que as Famílias Figueiredo, Vilela, Andrade Reis, Junqueira existentes nesta região tem a sua ascendência mais remota neste casal, naturais da Freguesia de Nossa Senhora das Angústias, Vila de Horta, Ilha do Fayal, Arquipélago dos Açores, Bispado de Angra. Deixaram três filhos que, para o Brasil, por volta de 1723, imigraram. Eram as três célebres ILHOAS. Júlia Maria da Caridade era uma delas, nascida em 8.2.1707 e que foi casada com Diogo Garcia. Diogo Garcia deixou solene testamento assinado em 23.3.1762. Diz ele, entre tantas outras ordenações: E para darem empreendimento a tudo aqui declarado, torno a pedir a minha mulher Julia Maria da Caridade e mai

A Família Campos no Sul de Minas Gerais.

P edro Romeiro de Campos é o ancestral da família Campos do Sul de Minas , especialmente de Três Pontas . Não consegui estabelecer ligação com os Campos de Pitangui , descendentes de Joaquina do Pompéu . P edro Romeiro de Campos foi Sesmeiro nas Cabeceiras do Córrego Quebra - Canoas ¹ . Residia em Barra Longa e casou-se com Luiza de Souza Castro ² que era bisneta de Salvador Fernandes Furtado de Mendonça . Filhos do casal: - Ana Pulqueria da Siqueira casado com José Dias de Souza; - Cônego Francisco da Silva Campos , ordenado em São Paulo , a 18.12. 1778 , foi um catequizador dos índios da Zona da Mata ; - Pe. José da Silva Campos, batatizado em Barra Longa a 04.09. 1759 ; - João Romeiro Furtado de Mendonça; - Joaquim da Silva Campos , Cirurgião-Mor casado com Rosa Maria de Jesus, filha de Francisco Gonçalves Landim e Paula dos Anjos Filhos, segundo informações de familiares: - Ana Rosa Silveria de Jesus e Campos , primeira esposa de Antônio José Rabelo Silva Pereira , este nascido

A família do Pe. Manoel Francisco Maciel em Minas.

A jude-nos a contar a história de Carmo da Cachoeira. Aproveite o espaço " comentários " para relatar algo sobre esta foto, histórias, fatos e curiosidades. Assim como casos, fatos e dados históricos referentes a nossa cidade e região. Próxima imagem: Sete de Setembro em Carmo da Cachoeira em 1977. Imagem anterior: Uma antiga família de Carmo da Cachoeira.

Um poema à Imaculada Conceição Aparecida.

Por esse dogma que tanto te enaltece, Por tua Santa e Imaculada Conceição, Nós te louvamos, ó Maria, nesta prece, Mulher bendita, as nações te chamarão! Salve, Rainha, ó Mãe da Misericórdia! Nossa esperança, nosso alento e vigor, A nossa Pátria, vem, liberta da discórdia, Da ignomínia, da injustiça e desamor! Tu família, aqui, hoje reunida, Encontra forças no seu lento caminhar. A ti recorre, Virgem Santa Aparecida, Nosso caminho vem, ó Mãe, iluminar! Somente tu foste escolhida e preparada Por Deus, o Pai, que com carinho te ornou, Para fazer do Filho Seu, digna morada! Pelo teu sim, a humanidade se salvou. Novo Milênio, com Maria festejamos, Agradecendo tantas graças ao Senhor. Com passos firmes, nova etapa iniciamos, Com muita fé, muita esperança e muito amor. Trecho da obra: Encontros e desencontros de Maria Antonietta de Rezende Projeto Partilha - Leonor Rizzi Próximo Texto: A túnica Inconsútil, um poema de fé. Texto Anterior: A prece da poeta e professora Maria Antonie

Foto de família: os Vilela de Carmo da Cachoeira-MG.

A jude-nos a contar a história de Carmo da Cachoeira. Aproveite o espaço " comentários " para relatar algo sobre esta foto, histórias, fatos e curiosidades. Assim como casos, fatos e dados históricos referentes a nossa cidade e região. E sta foto foi nos enviada p or Rogério Vilela. Da esquerda para a direita: Custódio Vilela Palmeira, Ercília Dias de Oliveira, Fernando de Oliviera Vilela, Adozina Costa (Dozica), Jafoino de Azevedo e José de Oliveira Vilela (Zé Custódio). Imagem anterior: Sinopse Estatística de Carmo da Cachoeira - 1948

Antiga foto da cidade de Carmo da Cachoeira.

A jude-nos a contar a história de Carmo da Cachoeira. Aproveite o espaço " comentários " para relatar algo sobre esta foto, histórias, fatos e curiosidades. Assim como casos, fatos e dados históricos referentes a nossa cidade e região. Foto: Paulo Naves dos Reis Próxima imagem: Imagem da mata da fazenda Caxambu em Minas. Imagem anterior: Um pouco sobre a região do distrito de Palmital.

A família Faria no Sul de Minas Gerais.

Trecho da obra de Otávio J. Alvarenga : - TERRA DOS COQUEIROS (Reminiscências) - A família Faria tem aqui raiz mais afastada na pessoa do capitão Bento de Faria Neves , o velho. Era natural da Freguesia de São Miguel, termo de Bastos, do Arcebispado de Braga (Portugal). Filho de Antônio de Faria e de Maria da Mota. Casou-se com Ana Maria de Oliveira que era natural de São João del-Rei, e filha de Antônio Rodrigues do Prado e de Francisca Cordeiro de Lima. Levou esse casal à pia batismal, em Lavras , os seguintes filhos: - Maria Theresa de Faria, casada com José Ferreira de Brito; - Francisco José de Faria, a 21-9-1765; - Ana Jacinta de Faria, casada com Francisco Afonso da Rosa; - João de Faria, a 24-8-1767; - Amaro de Faria, a 24-6-1771; - Bento de Faria de Neves Júnior, a 27-3-1769; - Thereza Maria, casada com Francisco Pereira da Silva; e - Brígida, a 8-4-1776 (ou Brizida de Faria) (ou Brizida Angélica) , casada com Simão Martins Ferreira. B ento de Faria Neves Júnior , casou-se

Eis o amor caridade, eis a Irmã Míriam Kolling.

À Irmã Míria T. Kolling: Não esqueçam o amor Eis o amor caridade , dom da eternidade Que na entrega da vida, na paz repartida se faz comunhão ! Deus é tudo em meu nada: sede e fome de amar! Por Jesus e Maria, Mãe Imaculada todo mundo a salvar! " Não esqueçam o amor ", Dom maior, muito além dos limites humanos do ser, Deus em nós, entrega total! Não se nasce sem dor, por amor assumida: Nada resta ao final do caminho da vida a não ser o amor . Próximo artigo: Até breve, Maria Leopoldina Fiorentini. Artigo anterior: Os Juqueiras, Evando Pazini e a fazenda da Lage