Dia de Finados – Silêncio e Reflexão.


Se faço silêncio Deus me fala. Só no silêncio Deus acaba me escutando. Um dia antes celebramos o dia de Todos os Santos. Santos são aqueles que intercedem por nós. E posso dizer que eles são numerosos. Um dia viveram como nós vivemos. Tiveram fôlego. Respiraram. Tiveram problemas e solucionaram. Hoje gozam da presença de Deus porque nesta terra viveram na presença d’Ele.

No cemitério, lugar do sono eterno, estão todos aqueles que um dia os amamos , que um dia conversaram conosco e fizeram parte da nossa vida.

Muitos lá vão, levam flores e acendem velas. O santo lugar fica florido e de tantas velas acesas fica tudo iluminado. Lá Deus está presente. Presente nas flores, presente naquelas ceras que fumegam, presente nas pessoas que por lá passam visitando seus mortos, presentes nos mortos que ali tem seus corpos. Ossos e mais ossos. Ali estão esperando os nossos. Se um dia se tornaram nada, um outro dia seremos nada também. Ao nada voltaremos como os nossos antepassados são.

Que mais falar do cemitério? Que mais falar do dia de finados?

Tenho a impressão que nos cemitérios têm mais gente que fora dele. Segundo a doutrina que professamos , ali estão todos aqueles que lavaram suas vestes no sangue do cordeiro e agora esperam a feliz ressurreição.

Existem doutrinas que afirmam que esses corpos não ressurgirão mas se reencarnarão , a fim de purificar-se . Que um dia serão contemplados com a verdade. Que um dia não existirá mais o peso do pecado e aí, sim, purificados alcançarão a misericórdia.

Outros acreditam que ali está o fim. São os chamados ateístas. Não acreditam em outra vida. Não veem Deus como um Deus Salvador. Deus não existe, portanto, só temos esta vida terrena e nada mais, tudo se acaba no cemitério. Deus está morto segundo a afirmação de Nietzsche, o filósofo ateu.

Esses são os pensamentos que correm a boca miúda na sociedade moderna.

Cemitério , lugar onde estão os corpos das pessoas que deixaram saudades. Saudade, um vocábulo que só existe na língua portuguesa , que em outras palavras é tudo aquilo que gostaríamos de viver novamente e estar com as pessoas ao nosso lado. Lá se foram os pais, os irmãos, os parentes próximos, os amigos, aqueles que conviveram conosco no dia a dia. Quantas saudades! Quanto amor! Quanta vida!

Adentremos o santo lugar. Visitemos os lugares santos onde os nossos antepassados jazem, onde os nossos entes queridos estão sepultados. Levemos flores e façamos uma prece. A prece nos diz que um dia teremos a oportunidade de novamente nos encontrarmos.

Um dia nos encontraremos. Um dia teremos a oportunidade de socializarmos com eles. As nossas preces farão eco no paraíso construído por Deus e aí seremos felizes para nunca mais morrer.

Adilson José Cunha
31/10/2012

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.