Padre José Procópio Júnior em Carmo da Cachoeira

Imagem
Paróquia Nossa Senhora do Carmo sob nova guiança Editorial Sai Pe. Daniel Menezes, e assume como administrador paroquial da acolhedora cidade de Carmo da Cachoeira, em fevereiro de 2019, o Pe. José  Procópio Júnior. "Não cabe à pedra escolher o lugar que deve ocupar no edifício. Assim também não cabe à nós criaturas ditar ao Criador o que deve acontecer em nossa vida, pois Deus é quem sabe e dispõe com sabedoria própria." − Dom Servílio Conti, IMC Como página que observa os acontecimentos neste pedaço de chão mineiro, limitado por montanhas e que, segundo o cachoeirense Padre Godinho, “todas são azuis”, registramos o remanejamento ocorrido entre padres ligados a Diocese da Campanha no ano de 2019. Entre as mudanças encontra-se a Paróquia Nossa Senhora do Carmo/Carmo da Cachoeira – MG. Sai nosso querido Padre Daniel Menezes. Por ele continuamos a rezar e o devolvemos, entre lágrimas e a esperança de um dia tê-lo entre nós. Somos eternamente gratos e devedores. Entr

Como realizar uma Santa Assembléia Paroquial.


“O Espírito Santo e nós decidimos!” (At 15,18)

A prática da realização das assembleias é bíblica e faz parte da caminhada de fé da Igreja. Já no livro dos Atos dos Apóstolos, que conta para nós o jeito mais original de ser igreja, vemos que os Apóstolos de Jesus Cristo e seus discípulos tinham o costume de reunir a comunidade para tomar decisões importantes. Com os primeiros cristãos aprendemos que ninguém é igreja na solidão ou no isolamento. Todo cristão batizado faz parte da comunidade, que vive da fé e para a fé, por isso precisa ser conduzida pelo Espírito Santo, que é o grande condutor da vida dos que acreditam em Jesus.

A Igreja somente se vê como o corpo de Cristo e como o rebanho que pertence ao Senhor quando reconhece que é uma instituição divina, porque assim foi querida por Jesus e porque nela o Espírito Santo age livremente, inspirando dons e carismas. Sem o Espírito Santo não somos nada e sem a presença do Espírito Santo a Igreja se tornaria uma associação como tantas que existem por aí.Portanto, para que aconteça uma santa assembléia é preciso:

1. Oração: pois esta é a força de todo apostolado cristão, a exemplo de Jesus que sempre rezava ao Pai antes de tomar qualquer decisão importante. Jesus foi homem orante, que nos ensinou a pedir a Deus o direcionamento de nossas decisões.
2. Ver a realidade: com os olhos da fé, com muita honestidade e espírito de amor à comunidade, enxergar a caminhada realizada. É muito bom olharmos de onde saímos e aonde chegamos, considerando todas as coisas que foram feitas. Quem sabe de onde veio, reconhece onde está, sabe aonde quer chegar.
3. Julgar a realidade: é dar valores a tudo que foi feito. Considerando o que foi bom, julgando com espírito cristão o que não foi bom, e olhando sempre para aquilo que é realmente necessário para que a comunidade cristã cresça e todos os seus membros se vejam edificados.
4. Agir a partir da avaliação da assembléia: após fazermos juízo de valor sobre todo o caminho percorrido, torna-se necessário perguntar: que igreja nós queremos? Pois, é a partir de uma avaliação bem feita, apresentando nossas conquistas e nossas falhas, que assumimos o propósito de continuar caminhando, embalados pelo desejo de atingirmos a meta que desejamos.

É muito importante, numa assembléia, estarmos motivados a deixar que o Espírito Santo mova os nossos corações e desperte em nós a decisão de realizarmos tudo que for preciso para que as mudanças aconteçam.

Não podemos ser tentados a somente ver e julgar e deixarmos as coisas continuarem do mesmo jeito, pois é no agir corajoso e destemido que iremos dar um novo rosto à caminhada pastoral e missionária da comunidade. Ver o que não está sendo bom e continuar fazendo do mesmo jeito é não abraçar a causa da comunidade.

Julgar tudo e todos, mas não sermos capazes de avaliar a nós mesmos também é muito perigoso, pois se não nos vermos nesse processo de mudança vamos atrapalhar a vida da comunidade. Além disso, agir sem ver com profundidade e julgar sem discernimento e sabedoria é fazer muito barulho, sem compromisso; é levantar poeira sem necessidade. O consagrado método Ver, Julgar e Agir é sempre muito bom para ser aplicado na realização das assembleias em nossas comunidades.

O mais importante mesmo é nosso amor à Igreja, pois quem ama a sua comunidade e dá a vida por ela sabe o quanto é preciso avaliar os passos dados, com honestidade e abertura de coração, deixando que o Espírito Santo trabalhe em nossas imperfeições e nos modele conforme a vontade de Jesus.

Que todos os convocados para a assembléia estejam concordes em promover o bem comum!Pois este é o verdadeiro espírito do cristão, que tem a missão de passar pelo mundo fazendo o bem, assim como Jesus fez.

Padre Sérgio Roberto Monteiro
Paróquia Nossa Senhora das Dores
Boa Esperança

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

As três ilhôas de José Guimarães.

Tabela Cronológica 10 - Carmo da Cachoeira

A família do Pe. Manoel Francisco Maciel em Minas.