22º Romaria do Trabalhador - Carmo da Cachoeira.


Chegada às 7h30: acolhida e café feitos pelo grupo do Encontro de Casais com Cristo - ECC e pela Pastoral Litúrgica.

Participantes: aproximadamente 1200 pessoas, sendo 50 de nossa cidade. Início às 9h: com a Santa Missa celebrada pelo Revmo. Dom Diamantino Prata de Carvalho, Bispo diocesano, pelo Padre André Luíz da Cruz e pelo Padre Edvar.

Dom Diamantino nos falou, na homilia, que Jesus é a videira e nós os ramos. Citou São João, dizendo: “não adianta amar só por palavras, é necessário ter atitudes, gestos, ações”. Devemos ter audácia como Paulo, o verdadeiro apóstolo; nossas opções devem ser corretas, vivas, verdadeiras, porque estamos vivendo as SMP. O Bom Pastor é sempre aquele que dá a vida pelo seu rebanho, para que todos tenham vida e vida em abundância. Que a Imaculada Conceição, a Senhora da Vida, interceda por todos nós. E terminou pedindo orações pela recuperação do pároco local, Padre Roberto, que foi submetido a uma cirurgia e está convalescendo.

Anunciou também o local da Romaria de 2013, que será em Carmo de Minas, cidade do Padre Edvar. Padre André agradeceu a presença de Dom Diamantino, de todo o povo de Deus e pediu ao ministério da música que cantasse parabéns pelos 14 anos de episcopado de Dom Diamantino.

1ª Parada: ver no dia-a-dia um grande desafio, tema desenvolvido por Ligia, enfermeira há 40 anos. Ela falou sobre a cultura de sustentabilidade, sobre usar coisas da natureza que são boas para a saúde, pois viemos ao mundo para trabalhar com amor e alegria, ter lazer, ser saudável, ter vida plena e ser feliz.
Os jovens de nossa comunidade fizeram a primeira encenação sobre a situação da saúde em nossa comunidade, nos Postos de Saúde, Hospitais, PSFs, etc. Depois, deu-se continuidade a caminhada.

2ª Parada – Vado, professor de História, apresentou o tema julgar. Falou sobre as causas e as consequências desse ato; sobre tantos descasos ante os direitos do povo; e sobre o que podemos fazer para transformar a realidade da saúde em nosso País. Os jovens fizeram uma apresentação, mostrando a realidade da saúde em nosso País. Prosseguiu a caminhada.

3ª parada – Costurando tudo o que havia sido dito, Laudelino mostrou o que é o agir:
• Reivindicar os direitos, junto aos conselhos.
• Saber escolher.
• Que os representantes sejam livres, autênticos.
• O voto é livre, consciente e responsável.
• Militância denunciando, conscientizando.
• Promover o bem comum.

Foi retomada a caminhada, formou-se a grande roda do agir cristão, do “vá e faça o mesmo”; a grande roda em volta da cruz.

Lucely: – Vamos, irmãos, empunhar os braços, vamos seguir São João, vamos amar e lutar para ter vida e vida plena!

Antonio Donizetti Alves

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.

A Família Campos no Sul de Minas Gerais.