Os velhos tempos e os Alves Pedrosa.

Lembranças dos velhos tempos resgatam alguns nomes de antigos moradores do Distrito de Carmo da Boa Vista, Fregesisa de Lavras do Funil, Comarca do Rio das Mortes. Entre tantos nomes nos vem, hoje, o de alguns pertencentes a descendência paulista, em especial, os ligados aos "Alves Pedrosa". Os nomes desfilavam em nossa mente ao visitar a antiga Fazenda dos Pinheiros, de propriedade de Gilberto Vilela, filho do ex-prefeito de Carmo da Cachoeira, Saul Vilela. Uma "Alves Pedrosa", dona Helena Francisca Alves da Assunção, casada com José de Oliveira Simões, falecida em 1822, teve seu inventário aberto na Fazenda Palmital da Barra, Lavras do Funil. Dona Helena possuía metade da Fazenda dos Pinheiros. Para nós, que trilhamos estes caminhos centenas de vezes na busca de informações, o espaço geográfico da Fazenda dos Pinheiros e suas adjacências nos tornou familiar. Falar que ele perteceu a Lavras e ou Luminárias não nos soa estranho. Mesmo em Ingaí tivemos a oportunidade de ver muitos documentos e referências cartorias sobre essas paragens.

Uma sobrinha de Helena e José, dona Teresa Soares de Araujo, casou-se aos 16-08-1813, com João da Costa Martins, filho do português, Francisco de Borja da Costa Libório e Ana Maria Martins ou Ana Martins da Glória. Helena era filha Luzia Maria Alves e do bracanense José Soares. João da Costa Martins, casado com Teresa Soares de Araújo é irmão de Maria Francisca do Carmo, batizada em 1796 na Ermida dos Pinheiros e foi casada com Pedro José Vilela.

Como a realidade da existência é o local onde travamos nossas lutas diárias, visando alcançar os objetivos por nós traçados, percorremos, constantemente, picadas, caminhos e trilhas e nomes surgem, ressurgem em nossas mentes.

Paz e que chamas luminosas brilhem para todos os nossos antepassados
Projeto Partilha - Leonor Rizzi

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.