Jovens Construtores da Liberdade em Minas Gerais.

A alegria como reflexão do poder do amor ­­– caminho da conversão: o amor vence barreiras, tem poder de transformar, pois contagia com o brilho da felicidade. Lançamos um projeto em Carmo da Cachoeira, na Comunidade São Pedro de Rates. De início, decidimos, em equipe, organizar um evento para mobilizar jovens e adolescentes, levando-os a interagir na comunidade com atividades que são do seu agrado e atendem aos seus interesses. O objetivo é propiciar ocasião para que eles tomem consciência de quepossuem um dom, um carisma a ser colocado a serviço da comunidade. O fim último desse trabalho é levá-los ao despertar vocacional.

Este projeto teve como base o “Oratório de Dom Bosco”. Dom Bosco foi um padre salesiano, santificado pela Igreja, que cativou, e ainda hoje cativa, a juventude com o seu carisma; conquistou a juventude arrebanhando-os em uma época em que a exploração do trabalho de menores era acirrada: jovens, adolescentes e crianças, longe das suas famílias devido a diversos problemas da época, eramsubmetidos a trabalhos pesados para sobreviverem. Dom Bosco, ao entrar em contato com eles, com seu jeito humilde e alegre, oferecia-lhes oportunidade de uma nova vida, mais digna e eles se deixavam cativar. Assim foi montando seu “Oratório”, composto de várias atividades e ocupações, onde havia lugar para todos: cada um, com o reconhecimento de seus dons, encaixava-se naquilo que correspondia à sua habilidade.

Hoje o momento histórico não é tão diferente daquele tempo: nossos jovens e adolescentes continuam precisando de muita atenção e de oportunidades sadias onde possam empregar seu tempo e energia de forma edificante. Queremos, no decorrer do ano, marcar encontros com a juventude de Carmo da Cachoeira, oferecendo-lhediferentes atividades, em ambiente descontraído e agradável. O jovem gosta de arte, música, animação, esporte, lazer, ou melhor, o jovem gosta de divertir-se. A partir daí, é possível trabalhar com eles as suas aptidões.Por isso, o Projeto prevê a organização de eventos voltados à valorização do potencial de cada um, que leve os participantes a tomarem consciência de que pertencem a uma família, a uma comunidade e que possuem referência.

Observando o comportamento dos jovens no mundo, percebemos que eles querem é ser reconhecidos. Por issobuscam,narcisicamente, meios de exibição corporal, pictografam seus corpos com tatuagens e colocam piercings para chamar a atençãosobre si pelo registro do olhar. Com isso, eles perdem sua referência e desfiguram seu próprio corpo, porém, em seu inconsciente, não desejam tal ação. Agem pensando que aquilo é“o máximo”, como se fosse algo valoroso, eesquecem que seu corpo é território sagrado,templo onde habita Deus. Queremos levá-los a tomar consciência de que há outros meios para serem reconhecidos. Ajudando-os no processo de construção de suas identidades,de forma que tomem consciência dos valores que precisam ser reconhecidos em si próprios,queremos levá-los a ser justos, construindo sua liberdade em meio a tantas coisas que os tenta aprisionar. Não queremos pregar-lhes doutrina. Nossa intenção é acolher a todos, sem distinção de condição, classe ou religião. Queremos ajudá-los a se formarem autênticos seres HUMANOS, agindo com princípios éticos, com sinais de fé, esperança e muita alegria.

Seminarista Romário de Souza Lima

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.

A Família Campos no Sul de Minas Gerais.

Palanques e trincheiras na defesa dos quilombos.