Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Março, 2010

Programação do Domingo de Ramos em Carmo da Cachoeira.

Dia 28 DOMINGOS DE RAMOS (Gesto Concreto da Campanha da Fraternidade)
Neste Domingo, aclamamos Jesus como Messias que vem realizar as promessas dos´profetas e instaurar definitivamente o Reino de Deus.

8h30 - Bênção e procissão de Ramos na Igreja de Sant´Ana e Frei Galvão, no Bom Retiro (Igreja Vovó Santana).
Trajeto da Procissão de Ramos: Saindo Igreja Sant´Ana e Frei Galvão, Rua Joaquim Vilhena Reis, a esquerda Rua Purcina Campos Reis, a direita Rua Amintas de Oliveira Vilela, a esquerda Rua Presidente Antônio Carlos, a direita Rua Olimpio Virgulino de Souza, a esquerda Rua Domingos Ribeiro de Rezende ( AQUI, O Santuário Mãe Rainha e as TERRAS SÃO PEDRO DE RATES), a esquerda Rua Arthur Tibúrcio, Praça do Carmo
10h00 - Missa de Ramos, na Matriz.
13h00 - Confissão na Igreja de Nossa Senhora Aparecida, no Espraiado.
14h00 - Celebração na Igreja de Nossa Senhora Aparecida, no Espraiado.
14h00 - Bênção de Ramos e procissão na Comunidade do Pauso Alegre.

Terras de São Pedro de Rates em Minas Gerais.

Um pedacinho de chão, extremamente amado por muitos.
A primeira década do século XXI caminha para festejar o seu final, e temos observado, em Carmo da Cachoeira, a tendência do homem na busca de suas realizações pessoais, com forte interesse nas coisas do dia-a-dia e, em problemas circunstanciais.

Estes dão ibope: na mídia, nas esquinas, nos bares, na praça.
A tradição, inquestionavelmente, depositária da herança humana ficou para traz e passou a pertencer ao passado. O mundo transforma-se ao ritimo de muitas mensagens e pouco conhecimento, num misto de informação e tecnologia sem alma, sem raiz.

Antenas de comunicação externa estão fazendo parte dos telhados de casas e casebres das zonas rural e urbana. Poucos são os que falam embevecidos de sua terra natal, esquecidos que são parte daquele "pedacinho de chão" que lhe serviu de berço e foi protagonista de sua história.

Pessoas que ocupavam este "pedacinho de chão" com carinho, dedicação, doçura e compreensão. Estes…

A cidade foi destaque no Fórum de Economia Solidária.

O Jornal Correio dos Lagos publicou reportagem descrevendo o evento. Um dos destaques foi o trabalho desenvolvido pela associação de prestadores de serviço e artesanato nas cidades de Carmo da Cachoeira, onde já existe a moeda solidária para as trocas.

(Veja matéria completa)

A prole de Tuca da Família Andrade.

Um recorte, cuja identificação contém dois únicos dados como especificação da matéria chegou-nos em nossas mãos através de uma preservacionista e pertencente a Família Andrade. Diz o seguinte: PROLE. Tuca. O Texto finaliza com o seguinte:

Finalmente, esta é uma árvore genealógica e, como toda árvore, tem tronco. Todos estes galhos são de um tronco de um casal exemplar, educando todos os seus filhos. Ele Leônidas Martins de Andrade, dentista, natural de Lavras, onde foi Vereador, pelo Distrito de Luminárias. Faleceu em Juiz de Fora, quando de visita a parentes e amigos e foi sepultado no cemitério de Luminárias em 28.12.1955.

Ela, Mariana Luz Andrade, luminarense, filha de Antônio Máximo Ribeiro da Luz, irmão do Desembargador Alberto Luz, consequentemente prima do ex-Presidente Carlos Luz. Antes de existir a Conferência Vicentina em Luminárias, os pobres eram socorridos pela dispensa dos Monjolos, fazenda de sua propriedade e onde residia. Nascida em 25 de outubro de 1889, faleceu aos …

Justiça tarda mas não falha...

Em novembro de 2008, em Carmo da Cachoeira, um grupo de assaltantes fecham a Rodovia Fernão Dias, principal ligação entre São Paulo e Minas, para roubar um carro forte. O veículo é atingido por mais de cem tiros.

(Leia a matéria completa no Jornal Floripa)

Prisioneiros de sua própria inocência.

O prisioneiro acorrentado
Hoje é mais um dia
De tantos dias que não são dias
De uma vida que não é vida
Para o prisioneiro acorrentado

De sua comida que já é só restos
Hoje nem restos ele ganhou
Está uma tarde quente de verão
Morrendo de sede por água ele suplica
Grita e chora de sede
Mas aos berros é repreendido

Cala e sofre
Sofre e chora calado
Pois se não o fizer
Irá mesmo apanhar como condenado

O chão de sua cela é puro barro
Ele está sujo
Trancado por grades
E ainda acorrentado

Meu Deus!
Que terrível crime cometeu o coitado
Que fizera para merecer tanto sofrer
Quem é este prisioneiro acorrentado?

Ele é mais um terrível
Bandido inocente
Neste mundo naturalmente
Injusto da gente

Não sabe ele o que é viver
Alegria não sente
Antes mesmo de andar
Já foi pra corrente

Ele não conhece o mundo
Não conhece nada
Foi privado na necessidade mais necessária
A liberdade que lhe foi injustamente tirada

Única coisa que conhece
A própria cela e o frio da corrente
Nem ele sabe mas hoje é o fim de sua pena

A Câmara Municipal e a enchente em Carmo da Cachoeira.

Ocorreu em 17/03/2010 a reunião ordinária da Câmara Municipal de Carmo da Cachoeira, Minas Gerais, na qual paraticiparam os representantes Lá estavam os representantes da Comunidade Paroquial São Pedro de Rates: Evando; Leonara; Maria das Graças (Graça); Sebastiana (Tiana) - a que aparece no vídeo e vítima da enchente; Terezinha - que também aparece no vídeo, de costas na foto e em frente ao muro de sua casa destruído pela força das águas e Leonor.

Antes do início da sessão foi projetado o vídeo sobre a enchente na cidade . Contou com a audiência de todos os vereadores. Aberta a sessão, um dos pontos de pauta foi a questão das enchentes. Houve participação popular nas falas. Hoje, nesta página, externamos nossos mais profundos agradecimentos a edilidade cachoeirense que, finalizou a reunião com a proposta, votada em unanimidade, de agendar junto a administração pública reunião para discutir o assunto, propor medidas que minimizem o problema para as futuras chuvas e, para os pontualmen…

Comunidade convida para 1ª Missa Campal.

Juntamos nossas forças e preparamos o local para realização da Primeira Missa Campal nas Terras de São Pedro de Rates. Participe em Glória de Nosso Senhor Jesus Cristo e sua Santíssima Mãe.

Igrejinha de São Pedro de Rates - Carmo da Cachoeira MG Domingo, dia 14 de março às 17 horas.

Conheça o blog da Família Rezende e Marques.

de: Romi Rezende Marques
-
Olá Também sou Rezende e gostaria de saber mais sobre a Família Rezende de Carmo da Cachoeira, estou fazendo a minha genealogia e quanto mais dados eu tiver melhor.

Também tenho um blog - http://www.familiasrezendemarques.blogspot.com/
de: Douglas Fagundes Cândido

Romão Fagundes foi meu tataravô ou alguma coisa parecida. Conta-se que uma vez ele fez um cacho de banana de ouro e deu para a rainha ou rei não lembro direito e essa rainha escondeu numa caverna la em perdoes e ninguém consegue entrar naquela caverna, por que luz nenhuma lá durava: as velas apagavam e as luzes das lamparina apagavam. Não tinha como lá entrar por que nada lá funcionava.

Um Tio Jaime, um homem de coração gigante.

Assim era meu querido, amado e saudoso pai, o professor Jaime Corrêa Veiga, autor da obra "O Poço da Cobra Preta"¹, nascido em Nepomuceno, Minas Gerais, foi casado com Maria Augusta Vieira Corrêa. Tiveram 06 filhos: Solange; Marluce; Gilberto; Maria da Glória; Clara e Augusta.

Foi professor de Geografia e História em Três Pontas e Carmo da Cachoeira, Minas Gerais. Cumpriu tão bem esta sublime missão de Mestre, que era adorado por seus alunos, que o chamavam carinhosamente de "tio Jaime". Homem de um coração gigante, era tranquilo, amigo, companheiro, desprendido de bens materiais e amigo da natureza. Conhecia como ninguém os belos pássaros brasileiros e sempre dizia da necessidade urgente de proteger nossa avifauna. Ele sempre dizia também, que o progresso estava exterminando nossos pássaros. Que a Polícia Florestal perseguia os caçadores, mas não tomava conhecimento da mortandade ocasionada por herbicidas e pulverização das lavouras em excesso. Escreveu um livro s…

Antiga foto da Casa Paroquial de Carmo da Cachoeira.

A residência oficial dos párocos cachoeirenses passou em sua história por diversas fazes. Além desta foto temos ainda uma ilustração do artista Marurício José Nascimento de uma fase modernista do local.
Historicamente, a "Casa Nova dos Rates", situada na Rua Domingos Ribeiro de Rezende(em frente ao PSF - Programa Social da Família), funcionou de maneira informal, como a residência dos religiosos, que nela pernoitavam, além de fiéis vindos da zona rural, e sem condições de voltar para a casa, no mesmo dia. A primeira 'Casa Paroquial' oficial, funcionou numa propriedade próxima ao antigo cemitério (hoje Estação Rodoviária), em imóvel da Família Dias de Oliveira/Naves.

O autor desta foto é o dentista cachoeirense Helvécio Chagas Reis. Helvécio é filho do ex-prefeito de Carmo da Cachoeira, Francisco Ademar Reis, administração 1973/1977. É irmão do atual prefeito - gestão 2009/2012.

A Casa Paroquial é a mais escura mostrada pela imagem. Está entre as casas do ex-prefeito,

Famílias que ajudaram na formação da cidade.

Uma descendente de Maria Vilela do Espírito Santo, Rita Victalina de Souza, foi casada com o viúvo e delegado de Carmo da Cachoeira. O primeiro casamento de José Fernandes Avelino deve ter sido (ainda não conseguimos documentar) com uma neta ou bisneta de Manoel Antonio Rates.

Foram eles doadores, em partes, das terras que formaram o Patrimônio de Nossa Senhora do Carmo. Da Família Faria, em citação na árvore genealógica dos Dias de Oliveira-Bueno, lê-se: Gustavina Ordália de Oliveira, casada com João da Costa Faria, natural da Ilha Terceira e Ana Justina da Rocha. São pais, entre outros de Ismael de Oliveira Faria casada com Jayra dos Reis Campos. Hoje mora em Cachoeira o Dr. Saulo Faria, sobrinho de Ismael e casado com Marilda Naves, é filho de João Antonio Naves e Jacinta Naves. São Muitos os irmão s de Ismael, maior ainda o número de sobrinhos.

Projeto Partilha - Leonor Rizzi

Próxima matéria:
Artigo Anterior: Criança de 5 anos vendida em Minas Gerais.

Algumas pessoas que fizeram parte da história.

Severino Ribeiro de Resende foi um nome muito presente em Carmo da Cachoeira, participativo e muito atuante foi responsável e acompanhou a reforma da Igreja Matriz de Nossa Senhora do Carmo. José Alves de Figueiredo, nos anos de 1864 e 1866 foi Segundo sargento da Guarda Nacional, através de escolha pelo Conselho Paroquial local. João Urbano de Figueiredo foi chefe político do Município quando o mesmo passou a integrar o Município de Varginha. A notícia que temos sobre João Urbano de Figueiredo é de que foi pessoa honesta e justa e também que ele jamais determinou que se matasse alguém, coisa raríssima na vida dos chefes políticos de então.
Projeto Partilha - Leonor Rizzi
Próxima homenagem:
Homenagem anterior: Ruralista e lutador pela dignidade do povo.

Ruralista e lutador pela dignidade do povo.

Antônio Carlos Nogueira Caldeira Leite é filho de Antonio Carlos Leite Caldeira que tinham sua propriedade na zona urbana de Cachoeira do Carmo. Venderam-na para o Sr. Coti que nela instalou sua farmácia. Para a presente geração identificar o local é só pensar no prédio onde funciona a Prefeitura. A farmácia do Coti fazia fundos com o Cemitério Paroquial, em terras doadas por Francisco Rates. Hoje no local funciona a Estação Rodoviária da Cidade.


Carmo da Cachoeira teve outro morador, a quem o cachoeirense designa de forma carinhosa como Pedro Mestre. Muitos da nova geração aprendeu suas primeiras letras numa instituição de ensino que lhe presta homenagem. É a Escola Estadual Pedro Mestre - Pedro Juvêncio de Souza.

Antônio Carlos Nogueira Caldeira Leite, além de ser um lutador na dura batalha no resgate e da dignidade de sua gente e da origem desta cidade. Muita Paz.

Projeto Partilha - Leonor Rizzi
Próxima homenagem:
Homenagem anterior: As mineiras: Dona Rezenda e Tereza do Sapé.
1.