Tabela Cronológica 3 - Carmo da Cachoeira

Tabela 3
- da União Ibérica até o ciclo do ouro -



1580 a 1640 - União Ibérica -
O Brasil, assim como todo o Império português, passou à dominação espanhola, o que deu mais liberdade de ação às iniciativas particulares de incursão ao interior do território, assim como tornou a costa mais vulnerável a ataques dos inimigos dos Habsurgos.


1603
- Filipe II promulgou as Ordenações Filipinas; e
- 9/Ago – Dom Francisco de Souza contratou, através da Câmara da Vila de São Paulo, serviço de fornecimento de alimentos à sua comitiva. A contratada foi a cigana Francisca Roiz.

1606
Apresamento de índios em larga escala com a bandeira de Diogo Quadros e Manoel Preto.

1608
2/Jan – ao instituir junto com a administração das minas de São Paulo um governo especial das Capitanias de São Vicente, Espírito Santo e Rio de Janeiro, Filipe II de Portugal (III da Espanha) nomeou capitão e governador "do distrito das três Capitanias" D. Francisco de Sousa, do seu Conselho, visando à conquista do interior da colônia em busca de metais preciosos (carta patente passada em Madri, atualmente na Torre do Tombo, livro 23, folha 29).

1609
- Declarados livres os índios do Brasil por ordem real; e
- criada a repartição sul.

1611
- Introdução do gado bovino nas terras hoje uruguaias; e
- provisão da capela Nossa Senhora da Candelária de Outu-Guaçu, boca do sertão, última parada bandeirante antes do sertão, hoje cidade de Itu.

1612
Reunificação do governo da colônia sob a direção do governador-geral Gaspar de Souza.

1619
Primeira imigração açoriana para o Brasil: duzentos casais para o Estado do Maranhão.

1621
- Os holandeses fundaram no Brasil a Companhia Holandesa das Índias Ocidentais; e
- reinado de Dom Filipe III de Portugal, Filipe IV na Espanha.


1624
8/Mai – Primeira invasão holandesa do Brasil com a tomada de Salvador por Willekens. Foi a Guerra do Açúcar, que duraria trinta anos.


1625
- Bandeirantes paulistas atacaram as missões de Entre Rios; e
- expulsão dos holandeses da Bahia.


1630
1630-1654 – segunda invasão holandesa.


1640 a 1656 - Reinado de D. João IV -
- Portugal conquistou sua independência da Espanha e iniciou a Dinastia de Bragança; e
- governadores passaram a vice-reis.


1640
O povo e as autoridades expulsaram os jesuítas de São Paulo em conseqüência de a Santa Sé ter dado liberdade aos índios.


1641
Aclamação de Amador Bueno Ribeiro em São Paulo; os paulistas queriam fazê-lo rei, não reconhecendo Dom João IV, mas Amador Bueno não aceitou. Primeira manifestação nativista.


1642
- Criação do Conselho Ultramarino para se ocupar de todas as matérias e negócios de qualquer qualidade que fossem relativos à Índia, Brasil, Guiné, ilhas de São Tomé e Cabo Verde e todas as mais partes ultramarinas. Assim o Brasil passou a contar com alçada militar e administrativa; e
- a Capitania de São Vicente passou a ser denominada Capitania de São Paulo.


1645
1645-1646 – Insurreição Pernambucana.
- O rei Dom João IV elevou o Brasil a principado, daí em diante o herdeiro da Coroa teve o título de príncipe do Brasil.


1649
Fundação da Companhia-Geral do Comércio.


1654 a 1789 - 2º ciclo de formação de estrutura social brasileira -
Período caracterizado por forte presença do espírito nacionalista.


1657
Criação do Grão-Pará, unificando as capitanias do Norte e Nordeste, com sede em São Luís, fomentando a interiorização portuguesa pelo Amazonas e Nordeste.


1668
1668-1683 – regência de Dom Pedro II, de Portugal, irmão de Dom Afonso VI, seguida de reinado.


1672
Fernão Dias Paes recebeu a carta-patente que o nomeava chefe e governador de sua leva e terra das esmeraldas.


1673
A bandeira de Bartolomeu Bueno da Silva penetrou em Goiás, dando início às expedições fluviais de abastecimento das chamadas monções.


1674
- A bandeira de Fernão Dias começou sua expedição. Adentrou o sertão, atingiu o território que seria a futura Capitania das Minas. Nessa expedição os índios cataguazes, que habitavam essa região, seriam vencidos próximo de onde hoje fica Lavras, na colina do funil do rio Grande; e
- surgiu o primeiro arraial de Minas: Ibituruna.


1676
Criação do Bispado de São Sebastião do Rio de Janeiro, com jurisdição até a Prata.


1675
Fazenda Boa Vista, para o reabastecimento das bandeiras.


1680
- Abolição da escravidão do índio;
- existia uma povoação próxima à trilha dos bandeirantes, que teve a sua primeira capela dedicada a Nossa Senhora do Montserrat, futuro município de Baependi; e
- nasceu Pedro de Rates Henequim, primeiro Rates a pisar em terras das minas do Brasil.


1681
O corpo de Fernão Dias Paes foi levado de volta a São Paulo, por um caminho que veio a ser denominado “caminho reto”. Esse trajeto passou a ser utilizado com freqüência e hoje é parcialmente a BR-381.


1683-1706 – Reinado de Dom Pedro II de Portugal.


1685
27/Ago – Ato através das Ordenações do Reino diz: “Fica comutado aos ciganos o degredo da África para o Maranhão.”


1688
Nasceu em Braga, Portugal, André do Valle Ribeiro que se casaria com a paulista Teresa de Moraes. Era o tronco da família Ribeiro do Valle, paulista mineira.


1692
O território de Aiuruoca, junto ao rio do mesmo nome desbravado pelo capelão dos bandeirantes, Padre João de Faria Fialho.


1694
- Criada a Casa da Moeda na Bahia; e
- referência às primeiras entradas exploradoras nesta região.


1695
Antes desta data, Antônio Dias de Oliveira, Bartolomeu Bueno da Siqueira e Antônio Rodrigues Arzão descobriram ouro na serra de Itatiaia.

Comentários

Anônimo disse…
Credo. Desde aquela época tinha retaliação? A Igreja vai defender os índios, e o governo pune com expulsão dos jesuitas. Pobres jesuitas que só estavam ajudando...
Anônimo disse…
Epa. Aqui na cidade tem uma famíla importante "Dias de Oliveira". Será que a família traz seu nome daquele antigo bandeirante?
Anônimo disse…
Ói nós aí nesse fogo cruzado do "espírito nacionalista".
Anônimo disse…
Nacionalismo da nisso aí, "quem ama, protege" e ponto final.
Anônimo disse…
prá quem sabe ler, um pigo é letra. Aqui, em 1694 as entradas começaram a explorar, e danadinhos aproveitavam as trilhas usadas pelos índios, que foram exterminados ou aprisionados. Na lei do mais forte é isso, o ignorante só perde, perde sempre.

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.