Pular para o conteúdo principal

Postagens

Prioridade Pastoral Diocese da Campanha 2022/25

A Comunidade São Pedro de Rates é parte da Paróquia Nossa Senhora do Carmo - Carmo da Cachoeira, Diocese de Campanha, Minas Gerais e, neste mês de agosto, em sua dimensão física apresenta-se florida, conforme nos mostram as fotos de Evando Pazini, já sinalizando os prenúncios da Primavera, com as árvores de Ipê revestidas em flores e em todo o seu esplendor. Outro grande presente é a oportunidade que se nos apresenta de estudar o V Plano Diocesano de Pastoral da Diocese da Campanha 2022-2025 que, em sua página 76 dedica-se a traçar as diretrizes para nossa paróquia, considerando os pilares que a sustentam: Palavra, Pão, Caridade e Missão - conforme abaixo vem reproduzido. V Plano Diocesano de Pastoral da Diocese da Campanha "Ide sem medo de servir." — Papa João Paulo II Consolidar as nossas Comunidades Eclesiais Missionárias como espaços de comprometimento e participação de todos na vida e na missão da Igreja. Consolidar é tornar sólido, firme, estável, com fundamento, segur

A ocupação do Deserto Desnudo e do Deserto Dourado

  André Figueiredo Rodrigues transformou no livro A Fortuna dos Inconfidentes sua tese de doutorado defendida em 2008, na Universidade de São Paulo. A publicação foi da Editora Globo, São Paulo SP, o livro foi prefaciado em julho de 2009 por Cecília Helena de Salles Oliveira, professora titular do Museu Paulista da Universidade de São Paulo. O autor deu destaque a comarca do Rio das Mortes e busca respostas à questão de quais seriam as expectativas econômicas e até políticas que poderiam advir pelas suas participações no setor produtivo das Minas Gerais. O livro é de uma riqueza ímpar. Não entraremos no âmago dos objetivos tratados na obra, nos serviremos apenas dos dados genéricos contidos e que em muito vêm nos auxiliar para o entendimento da sociedade mineira das últimas décadas do século XVII e iniciais do século XVIII. Nosso interesse é buscar entender o por que da presença do primeiro morador neste Deserto Desnudo no período acima citado. Pertencemos à Comarca do Rio das Morte

Antiquíssima Fazenda Urtiga

Uma fazenda enigmática Antigos cachoeirenses ao falarem das fazendas antigas conservam na linguagem oral o nome da fazenda Urtiga , embora não aparece citada na relação das fazendas mais importantes do distrito da Boa Vista . Contam-nos os mais antigos cachoeirenses que as paredes do antigo casarão da Urtiga eram revestidas de molduras contendo fotos dos primeiros moradores. Lembram eles de que as imagens mostravam pessoas de famílias tradicionais que chamavam a atenção de quem as observava, como barbas e os cabelos, principalmente na figura masculina. Contam-nos eles que comentavam ser essas imagens de pessoas ilustres. A sociedade mineira do século XVIII André Figueiredo Rodrigues , às fls. 128 de sua obra A Fortuna dos Inconfidentes escreve: No século XVIII, o termo da vila de Pitangui constituiu-se em um importante polo da pecuária regional no interior da capitania de Minas Gerais. Em sua maioria, as propriedades eram de criação de gado vacum e cavalar. Por ser área de constante

Os bandeirantes na base das famílias mineiras

 Trajetórias… trajetórias… Francisco Nardy Filho , historiador, referiu-se a Bartholomeu Bueno da Siqueira e seu irmão Pedro de Moraes Siqueira considerando-os “ytuanos”, portanto, procedentes da cidade berço de Bandeirantes. Bartolomeu Bueno de Siqueira planejava encontrar as minas de Goiás. Filho do Anhanguera ( Bartolomeu Bueno da Silva ), junto ao qual militou durante sua adolescência. Em sua vida adulta mantinha acesa a ideia de novas conquistas, em especial as minas de Goiás . Francisco Nardy Filho é considerado um dos mais produtivos historiadores do interior paulista. Nasceu em 1879 e faleceu em 21.2. 1959 , em São Paulo. Foi membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo e sócio do Instituto Paulista de Arte Religiosa. Por volta dos inícios do século XVIII encontramos Bartolomeu Bueno de Siqueira pelos lados de Pitangui , quando os bandeirantes foram desmantelados pelo Conde de Assumar. Retalhados, migraram para a margem esquerda do Rio Grande. Ficou, no entanto, n

A cidade de Itu, berço de bandeirantes

 Francisco Nardy Filho e o século XVII Francisco Nardy Filho em publicação comemorativa dos 400 anos de Itu (Edição Facsimilar, às fls. 8) escreve: (...) ituanos foram Bartholomeu Bueno de Siqueira e seu irmão Pedro de Moraes Siqueira , descobridores das minas de Cataguazes e fundadores de muitas aldeias, hoje florescentes cidades do Estado de Minas”.   Foi Francisco Nardy Filho, autor da coletânea A Cidade de Ytu , ao responder aos que a ele perguntavam o porque ele se orgulhava de ser “ytuano” ele respondia: É porque não há outra terra tão rica, tão nobre, tão cheia de tradições, como este meu abençoado torrão natal. Foi daqui sahiram esses denodados bandeirantes, povoadores do sertão; foram daqui os intrépidos fundadores dessas bellas e florescentes cidades, que hoje, com justa razão, enchem de orgulho o nosso País (...). Diz ele: (...) esse sertão, tão triste, tão escuro, tão cheio de mystério e pavor, vae se clareando, vae tornando habitado, e o valor e a tenacidade dos ytuano