Postagens

Centenário de nascimento de Padre Godinho

Imagem
Antônio de Oliveira Godinho Para Padre Godinho todas as montanhas eram azuis"Li, da noite para o dia, as quatro partes do livro: caminhei pela nave, cheguei até ao altar, a alma de joelhos, diante da obra de arte.
Entreguei os originais a um editor capaz de ler e de entender.
E o que fora meu privilégio por uma noite, dias , semanas e meses, torna-se, hoje, democraticamente, pintura, afresco, escultura, música ao alcance de todos.
 Ninguém lerá esta preciosidade impunemente. Ao final da viagem, cada passageiro terá crescido como ser humano.
Grande sacerdote esse homem incrível, Padre Godinho, capaz de criar, de uma só vez, todo esse mundo de beleza e de reparti-lo, perdulariamente, a todos quantos se dispuserem a usufruí-lo; 
Obrigado Padre, Deus te inspire um segundo livro."
É dessa forma que Luiz Fernando Mercadante apresenta o livro "Todas as Montanhas são Azuis" do religioso e político cachoeirense Antônio de Oliveira Godinho, mas o jornalista e escritor Augusto Ma…

Pesquisando a genealogia italiana

Imagem
A professora Leonor Rizzi e os outros descendentes dos imigrantes italianos que colaboraram com as histórias que compuseram o segundo volume do livro "Italianos em Itu – da imigração à atualidade”.

As histórias das noventa famílias foram reunidas pelos organizadores Edson Carlos de Oliveira, Maria de Fátima Boni Oliveira e Vilma Pavão Folino, que tiveram a ideia pedir para que os membros de cada uma das famílias que vieram nos vapores no final do século 19 e princípio do século 20 relembrassem as aventuras e os sentimentos que acompanharam as primeiros tempos daqueles imigrantes em terras brasileiras.

História de Carmo da Cachoeira, Minas Gerais

Nossa Senhora visita Carmo da Cachoeira.

Imagem

Os últimos dia do Cônego Dias Machado.

José Dias Machado ou, Cônego Dias Machado, foi pároco de Bicas1 de 17.08.1933 a 31.12.1937. Antes havia sido pároco em Carmo da Cachoeira (MG), entre 1927 e 1929. Cativava a atenção e amizade de todos que com ele conviviam. Dirigiu, na década de 1930, o Ginásio2 Municipal de Bicas, a segunda escola que existiu na cidade e funcionava ao lado da antiga Prefeitura3. Doou seus bens para o Seminário Santo Antonio e para os pobres. Terminou os seus dias em uma clínica no estado do Rio de Janeiro, pobre e totalmente cego.

Leia o trabalho completo de José Luiz Machado Rodrigues em DOC:

CACOS DE HISTÓRIA E MEMÓRIA. &. ALGUNS LOGRADOUROS. BICAS - MG.

ou

Leia mais sobre o Cônego José Dias Machado nesse Blog.

Vereadores Eleitos 2016.

Adriano da Assistência
Zalo
Renata Chagas
Quembé
Rodiney do Hospital
Fabrício do João Carreté
Chiquinho do Palmital
Tomé Bolinha
Arnaldo Castelhano

Antiga foto da fazenda da Serra de Carmo da Cachoeira.

Imagem
F

Luiz José Álvares Rubião, em publicação da obra, Álbum da Varginha pela Casa Maltese, às fls. (a publicação não contempla, nem ano, nem nº de páginas), descreve a Fazenda da Serra da seguinte forma: “A uma légua da freguesia do Carmo da Cachoeira, está situada a Fazenda da Serra, propriedade do Cel. Antônio Justiniano dos Reis”. Se diz: Freguesia, leia-se, após, 1857. Em publicação, no ano de 1918, Sylvestre Fonseca e João Liberal, às fls. 149, dizem: “O Cel. Antônio Justiniano dos Reis falecido o anno passado, foi um dos mais importantes fazendeiros do Distrido do Carmo da Cachoeira”.
Ary Florenzano, genealogista, cita a Fazenda da Serra, apresentando-a como sendo o lugar onde pela primeira vez, aparece o nome Carmo da Cachoeira, em documento. O 21º Anuário Eclesiástico da Diocese da Campanha, 1959, fls. 28: “Aos onze dias do mês de novembro do ano de mil oitocentos e dezenove, na Ermida de Nossa Senhora do Carmo da Cachoeira, desta freguesia de São João Del Rei, receberam em matrimô…