Postagens

Os últimos dia do Cônego Dias Machado.

José Dias Machado ou, Cônego Dias Machado, foi pároco de Bicas1 de 17.08.1933 a 31.12.1937. Antes havia sido pároco em Carmo da Cachoeira (MG), entre 1927 e 1929. Cativava a atenção e amizade de todos que com ele conviviam. Dirigiu, na década de 1930, o Ginásio2 Municipal de Bicas, a segunda escola que existiu na cidade e funcionava ao lado da antiga Prefeitura3. Doou seus bens para o Seminário Santo Antonio e para os pobres. Terminou os seus dias em uma clínica no estado do Rio de Janeiro, pobre e totalmente cego.

Leia o trabalho completo de José Luiz Machado Rodrigues em DOC:

CACOS DE HISTÓRIA E MEMÓRIA. &. ALGUNS LOGRADOUROS. BICAS - MG.

ou

Leia mais sobre o Cônego José Dias Machado nesse Blog.

Vereadores Eleitos 2016.

Adriano da Assistência
Zalo
Renata Chagas
Quembé
Rodiney do Hospital
Fabrício do João Carreté
Chiquinho do Palmital
Tomé Bolinha
Arnaldo Castelhano

Antiga foto da fazenda da Serra de Carmo da Cachoeira.

Imagem
F

Luiz José Álvares Rubião, em publicação da obra, Álbum da Varginha pela Casa Maltese, às fls. (a publicação não contempla, nem ano, nem nº de páginas), descreve a Fazenda da Serra da seguinte forma: “A uma légua da freguesia do Carmo da Cachoeira, está situada a Fazenda da Serra, propriedade do Cel. Antônio Justiniano dos Reis”. Se diz: Freguesia, leia-se, após, 1857. Em publicação, no ano de 1918, Sylvestre Fonseca e João Liberal, às fls. 149, dizem: “O Cel. Antônio Justiniano dos Reis falecido o anno passado, foi um dos mais importantes fazendeiros do Distrido do Carmo da Cachoeira”.
Ary Florenzano, genealogista, cita a Fazenda da Serra, apresentando-a como sendo o lugar onde pela primeira vez, aparece o nome Carmo da Cachoeira, em documento. O 21º Anuário Eclesiástico da Diocese da Campanha, 1959, fls. 28: “Aos onze dias do mês de novembro do ano de mil oitocentos e dezenove, na Ermida de Nossa Senhora do Carmo da Cachoeira, desta freguesia de São João Del Rei, receberam em matrimô…

São Francisco de Assis

Imagem
Ao celebrar vinte e sete anos de ordenação diaconal no dia quatro de outubro , nada mais justo que escrever a biografia do patrono,pois, foi nesse magnífico dia, que as mãos foram impostas em nossas cabeças ou seja , na minha, bem como nas de Otto Luiz Nunes, Petrus Eugênio Lencione e João José Monteiro , de saudosa memória.

Francisco nasceu a 26/11/1182 no seio de uma família rica. Seus pais, Pietro e Sra. Boulemont, eram comerciantes bem sucedidos na cidade de Assis. Pela mãe dispensava um grande amor.

Sua juventude configurou-se na alegria, na musica e nas festanças. Com muito dinheiro para gastar, era um rapaz extravagante e indisciplinado.

Gostava de banquetes, noitadas de diversão e participava de serenatas. Conquistar fortuna, fama e título de nobreza era seu intento, mas para isso precisava participar de batalhas e, em uma delas caiu prisioneiro permanecendo na cela, longos e gelados meses, só se livrando dela graças ao dinheiro do pai. Usou de sua alegria, do seu temper…

São Benedito, o Santo Preto.

Imagem
Nasceu no ano de 1524 e era filho de Cristovão Manasseri e Diana Larcan. Seus ancestrais eram da Etiópia, portanto, de origem africana. Sua mãe era “doce e pacífica, de maneiras graciosas e amáveis, modesta, devota fervorosa do Santíssimo Sacramento e, sobretudo, extremamente caridosa para com os pobres” e o pai levava uma vida fervorosa, vivendo para Deus, para a família e para o trabalho, bem como rezava diariamente o rosário e ensinava quem trabalhasse com ele.

Benedito teve outros irmãos: Marcos, Baldassara e Fradella. Na família de Fradella houve uma religiosa da Ordem Terceira Regular de São Francisco, que morreu em Palermo com fama de santidade: sóror Benedita.

O primeiro filho de Diana, Benedito, tinha os traços do rosto delicados e finos e dele diziam: “Negro, mas formoso”. Foi educado no caminho da santidade, pois, sua mãe era rica das graças de Deus. Aprendeu os rudimentos da fé sempre se mostrando recolhido, educado e humilde. Tinha grande amor à Eucaristia e a Nossa S…

São Vicente de Paulo, sua histórica contada pelo Diácono Adilson

Imagem
Francês de nascimento viveu em dois séculos: XVI –XVII. , pois nasceu em 24/abril/158l e faleceu em 27/set/1660.
Eram seis irmãos e na família tinha o oficio de pastorear as ovelhas e cuidar dos porcos. Todos os filhos receberam ensinamento religioso da mãe, e aí se confirma que no colo da mulher são gerados os grandes homens da humanidade. Aos domingos ia à missa com a família e frequentava o catecismo.
Era um menino inteligente. De grande religiosidade, por isso, ao levar os animais para as pastagens, fez um pequeno oratório no buraco de uma árvore, colocando uma imagem de Nossa Santíssima Senhora, onde fazia suas preces. Ali ajoelhava e rezava.
Era prodígio. Tudo estava delineado em sua vida. Nos braços da mãe aprendeu a balbuciar o nome de Deus. Diante do oratório construído por ele mesmo foi percebendo que Deus o queria pastor de outra forma. Na missa aos domingos ia se embebedando da Palavra de Deus, a tal ponto do vigário ter incentivado o seu pai a investir nele, para que encamin…

Nossa Senhora da Assunção

Imagem
Uma festa ímpar. Uma intervenção na natureza. O Filho do Homem não permitiu que sua mãe se misturasse com a terra e a levou para os céus, de corpo e alma.

Toda intervenção na natureza é um milagre. Milagre foi transformar água em vinho naquela festa em Caná da Galiléia. Nessa festa a mãe estava lá. E fez a pedido dela. O texto diz: “faça tudo o que Ele vos disser”. Milagre foi tirar a mãe da face da terra e levá-la para os céus.

Se Jesus ressuscitou e após quarenta dias voltou para o Pai, Maria participou da vida do ressuscitado, com toda a sua humanidade. A Igreja, ao celebrar essa festa magnífica, coloca para a reflexão dos fiéis o texto da visita de Maria a Isabel nas montanhas de Ainkaren.

São duas mulheres que se encontram. Uma cumprimenta a outra. São dois mil anos de história. Dois mil anos do acontecimento. Uma de Nazaré, outra da Judéia.

Isabel foi uma mulher que reconheceu a visita de Deus. Cumpriu-se a História da Salvação. Foram chamadas a colaborar no plano de Deus. “El…

JMJ: Mais que um evento, uma resposta de Deus para nós

Imagem
"Ide e fazei discípulos entre todas as nações" (Mt 28,19)
Com o fim da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) Brasileira é positivo compreender este mistério que reuniu inúmeros jovens, ao longo da história. A JMJ foi iniciada pelo Papa, hoje Beato, João Paulo II a fim de aproximar os jovens do Cristo que se faz presente na Palavra e na Eucaristia e que necessita ser vivido nos atos e na missão, ou seja, estes mesmos cristãos devem agir “corpo a corpo”, uns para com os outros, com a Evangelização e Partilha da Fé.
As primeiras Jornadas Mundiais da Juventude foram celebradas a nível Diocesano, em Roma, nos anos de 1984 e 1986. Um ano depois, em pleno Domingo de Ramos, o mesmo evento ocorreu em Buenos Aires, com mais de um milhão de jovens.
Em 1989, a tão conhecida “terra dos peregrinos”, Santiago de Compostela (Espanha), recebeu a juventude com um planejamento mais definido da JMJ, dividido em três partes: Catequese, Vigília de Oração e a Eucaristia dos jovens no mundo.
Sucessiva à S…