Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2010

Fazenda Ponte Falsa de Antônio Dias de Gouveia.

Alves Pedrosa”, na base dos “Gouveias” de Cachoeira do Carmo ou dos Rates.

Algumas famílias moradoras no município buscam conhecer suas origens e, retrocedendo na história, tentam visualizar seus antepassados em seus afazeres nos idos tempos do Brasil Colonial. Dentre os buscadores sobressaem os que querem certificarem se suas origens estão ligadas as mitológicas Três Ilhoas.

Surgem então a matriarca da família Franco, Maria Tereza de Jesus, casada a 1a vez Ignácio Franco e, viúva casou – se com Bento Rabello de Carvalho.Irmã de Maria Tereza de Jesus surge Catarina de São José, casada com Caetano de Carvalho Duarte, ambas filhas da Ilhoa Antônia da Graça, casada com Manoel Gonçalves da Fonseca.Pertencer a um ramo da imensa árvore açoriana é orgulho nestas paragens do Brasil e o personagem Diogo Garcia que as antecedeu é conhecido e reconhecido até nossa geração.

Os “Alves Pedrosas” se incluem na descendência de Antônia da Graça, nascida na Ilha do Faual. Ao estudar o inventário dess…

Em nome da honra... os presos políticos africanos.

de: Andréia de Rezende Trindade - 2o A


A África recentemente tem se tornado alvo de grandes produções americanas, trazendo um pouco do passado histórico marcado por guerras civis de um país conturbado por uma estabilidade ainda longe de ser completamente encontrada, seja por questões políticas, econômicas ou sociais.

O filme, que tem base em fatos reais, é uma espécie de cinebiografia de Patrick Chamusso, um operário da refinaria de Seconda, esposo atencioso, pai de duas filhas, e em seu tempo de folga ainda serve como treinador do time masculino de futebol formado somente por crianças.

Em 1980, a briga entre os negros e os brancos para o fim do “apartheid” era acirrado e atentados explodiam por toda a África do Sul. É nessa época que ele é preso por engano, acusado de fazer parte do grupo de libertadores da África e responsável por um atentado que resultou em uma explosão na refinaria onde trabalhava. Torturado, maltrado, ele passou meses desaparecidos até confirmarem que não era o …

O Ribeirão Couro do Cervo, segundo Jorge Vilela.

A presença ostensiva do veado campeiro na fauna desta parte do Sul de Minas deve ter impressionado os primeiros sertanistas paulistas que andaram por essas paragens à caça de índios para serem preados, a partir de meados do século XVII (1600). Os topônimos “Sertão do Cervo”, “Rio do Cervo”, “Ribeirão Couro do Cervo” em Carmo da Cachoeira, “Ribeirão do Cervo” nas proximidades da Serra de Três Pontas, “Ribeirão dos Couros” em Ingaí e mais de uma dezena de outros que existem por aí, são indicativo da importância dessa espécie na fauna da região.

Estes topônimos aparecem em documentos oficiais de 1760, especialmente nas atas de uma expedição formada para destruir quilombos na região de Três Pontas, comandada por Bartolomeu Bueno do Prado e Diogo Bueno da Fonseca(1). Vamos encontrá-los ainda no mapa feito em 1760 pelo Capitão Francisco França, abrangendo todo o Sertão do Campo Grande, com a localização dos principais quilombos destruídos na região a partir de 1745(2) e, ainda, servindo de…

Morre em Minas Geraes o Cônego Joaquim Gomes Carmo.

Aos 29 de março de 1866 faleceo com todos os sacramentos o Cônego Joaquim Gomes Carmo, Vigário Collado da Freguezia de Baypendi, e Vigário da Vara desta Comarca, com idade de 46 anos. Aos 31 do corrente ano foi solenemente acompanhado e carregado por mim, pelo Pe. Joaquim Soares Calixto, pelo Vigário José Clemente de Tal e pelo Vigário José Paulino da Silva para o Cemitério desta Matris do Carmo da Cachoeira da Bôa Vista, e encomendada desolenemente Capella do dito Cemitério faz dentro delle e para constar mandei fazer este assento e assignei. Vigário Joaquim Antonio de Rezende.
Projeto Partilha - Leonor Rizzi 1. Obs.: O livro Tombo n.1 da Paróquia Nossa Senhora do Carmo, Carmo da Cachoeira, Minas Gerais, Diocese da Campanha, começa com a visita pastoral do Exmo. sr. Bispo D. João Baptista Correa Nery de Pouso Alegre, no anno de 1903. Em 30/8/1926, p.51v. do Livro Tombo n.1, existe o seguinte registro: "sobre a creação da minha paróchia não tenho indícios certos (...)".

A presença das comunidades da paróquia.

Um registro entre tantos outros. Ele conta e as fotos mostram o que ocorreu no dia 13 de julho de 2010 na Igreja Matriz de Nossa Senhora do Carmo, durante a missa das 19 horas.

Relatório da participação das Comunidades Paroquiais São Pedro de Rates, Cervo e Sobrado no sétimo dia da Novena Preparatória para a comemoração do Dia de Nossa Senhora do Carmo, com o tema: "Ele olhou para a humildade de sua serva". (Lc 1,48) e a proposta local: "Conte sua história".

Por Providência Divina nossas histórias correspondem a característica de Maria, mãe de Jesus, segundo nos informa Lucas - a da "HUMILDADE". A Comunidade São Pedro de Rates, através de uma representante da Raça Negra cachoeirense, logo após a oração do ofertório, entrega como pedido de intercessão pelos nossos antepassados na MESA DE CELEBRAÇÃO, a história daqueles que nos precederam. São os humildes escravos fugitivos, são os ciganos, são os brancos pobres, são os idealistas perseguidos, entre outros …

O visitante. Comentários merecidos sobre nossa terra.

Nas janelas, as guirlandasDe cravos, jacintos, amores-perfeitos
Enfeitam, perfumam o ar,
E lembram sonhos desfeitos.
Já tantos anos passados,
Como é doce recordar!
Da velha fazenda, os arcanos
Quero afora evocar.

Maria Antonietta de Rezende
Bela paisagem formada por colinas numa altitude de 1.000 metros e em clima de montanha. Este é o local onde a natureza se ofertou para receber homens arrojados desbravadores corajosos e dar início a mais uma povoação. Seria arriscado precisar datas, no entanto, podemos situar no tempo e espaço da seguinte forma:
“(...) do outro lado do rio Verde, no sertão inculto denominado ‘dos negros’”¹, na Comarca do Rio das Mortes, termo da vila de São João Del Rey, freguesia de Carrancas e Jurisdição Eclesiástica, se anterior a 4 de agosto de 1900, ao bispado de São Paulo num momento, ou ao bispado de Mariana em outro.

À ordenação sacerdotal foi-me conferida na igreja em que, vinte e seis anos antes, recebera o batismo. Não era a mesma. A bela e velha igreja ba…

A Paragem da Ponte Falsa em Minas Gerais.

Segundo os dados que se seguem abaixo Antônio Dias de Gouveia teve seu inventário aberto na Paragem da Ponte Falsa da Freguesia de Santa Ana de Lavras do Funil, do termo de São João Del Rey, Minas e Comarca do Rio das Mortes. Faleceu em 27/jun/1789. O inventário está arquivado no Museu Regional de São João Del Rey, ano: 1790, caixa: 100. Sua esposa Ana Teresa de Jesus foi sua inventariante. Nele alguns pontos chama a atenção deste trabalho. São os limites e os bens que ficaram de herança. “(...) que de uma banda parte com fazenda de João Francisco Carvalho e com a fazenda chamada a dos Barreiros”.

O inventário arquivado em Campanha, CEMEC, cx. 8 em nome de Ana Teresa de Jesus da freguesia das Lavras do Funil – Comarca do Rio das Mortes. 1820, cita como seu genro Manoel Pereira de Carvalho; Gabriel Antônio de Carvalho e Joaquim Antônio de Carvalho e os filhos João Dias de Gouveia e irmãos. Bens: fazenda Chamusca – 14:090$000; fazenda Rio Grande – 3.000$000; fazenda Palmital – 200$000; …