Padre José Procópio Júnior em Carmo da Cachoeira

Imagem
Paróquia Nossa Senhora do Carmo sob nova guiança Editorial Sai Pe. Daniel Menezes, e assume como administrador paroquial da acolhedora cidade de Carmo da Cachoeira, em fevereiro de 2019, o Pe. José  Procópio Júnior. "Não cabe à pedra escolher o lugar que deve ocupar no edifício. Assim também não cabe à nós criaturas ditar ao Criador o que deve acontecer em nossa vida, pois Deus é quem sabe e dispõe com sabedoria própria." − Dom Servílio Conti, IMC Como página que observa os acontecimentos neste pedaço de chão mineiro, limitado por montanhas e que, segundo o cachoeirense Padre Godinho, “todas são azuis”, registramos o remanejamento ocorrido entre padres ligados a Diocese da Campanha no ano de 2019. Entre as mudanças encontra-se a Paróquia Nossa Senhora do Carmo/Carmo da Cachoeira – MG. Sai nosso querido Padre Daniel Menezes. Por ele continuamos a rezar e o devolvemos, entre lágrimas e a esperança de um dia tê-lo entre nós. Somos eternamente gratos e devedores. Entr

O varíola em Carmo da Cachoeira e a crise laboral.


Nos seus primeiros tempos de vida como Distrito e Freguesia, a administração de Cachoeira do Carmo, ao que parece, estava sob a responsabilidade dos Concelhos Paroquiais e é paupérrima de fatos importantes. Deste modo, não temos notícia de nenhum acontecimento digno de menção entre 1857 e 1926, a não serem dois que se deram em 1873 e 1883. O primeiro foi a terrível epidemia das "bexigas" que grassou o Distrito no 2º semestre de 1873, matando mais de 200 pessoas, entre as quais o vigário da paróquia, Padre Baltazar Corrêa Simões de Barros, sepultado no cemitério paroquial a 3 de setembro de 1873.

A mortandade, principamente de escravos, causou grave crise na lavoura e luto em quase todas as famílias. O segundo, foi o desmembramento do Distrito, do Município de Lavras e sua passagem para o de Espírito Santo da Varginha, fato este ocorrido em 1883.


Prof Wanderley Ferreira de Rezende

trecho do Livro: Carmo da Cachoeira: Origem e Desenvolvimento.

Próxima matéria: O coronelismo na antiga Carmo da Cachoeira.
Matéria Anterior:
Os membros da Guarda Nacional 1862 à 1867.

Comentários

Anônimo disse…
Errata. Tipo de erro: Conceitual

* A "Tal epidemia", não foi da doença "tifo";

* a crise foi na lavoura, segundo o professor Wandico. O livro de óbitos, ao registrar mortes, não especifica se são escravos. Caberia aprofundamento nesta "tal epidemia", que matou 30 pessoas em Varginha, com muito mais habitantes que Carmo da Cachoeira e segundo dados publicados por Saturnino da Veiga. Que não foi tocada pelo Município de Três Pontas, nem de Lavras.

Postagens mais visitadas deste blog

Tabela Cronológica 10 - Carmo da Cachoeira

As três ilhôas de José Guimarães.

A família do Pe. Manoel Francisco Maciel em Minas.