Antiga foto da fazenda da Serra de Carmo da Cachoeira.

F


Luiz José Álvares Rubião, em publicação da obra, Álbum da Varginha pela Casa Maltese, às fls. (a publicação não contempla, nem ano, nem nº de páginas), descreve a Fazenda da Serra da seguinte forma: “A uma légua da freguesia do Carmo da Cachoeira, está situada a Fazenda da Serra, propriedade do Cel. Antônio Justiniano dos Reis”. Se diz: Freguesia, leia-se, após, 1857. Em publicação, no ano de 1918, Sylvestre Fonseca e João Liberal, às fls. 149, dizem: “O Cel. Antônio Justiniano dos Reis falecido o anno passado, foi um dos mais importantes fazendeiros do Distrido do Carmo da Cachoeira”.

Ary Florenzano, genealogista, cita a Fazenda da Serra, apresentando-a como sendo o lugar onde pela primeira vez, aparece o nome Carmo da Cachoeira, em documento. O 21º Anuário Eclesiástico da Diocese da Campanha, 1959, fls. 28: “Aos onze dias do mês de novembro do ano de mil oitocentos e dezenove, na Ermida de Nossa Senhora do Carmo da Cachoeira, desta freguesia de São João Del Rei, receberam em matrimônio os contraentes Jerônimo José Rodrigues, vivo o que ficou pelo falecimento de sua primeira mulher Ana Joaquina de Jesus, com Antonia Maria da Assunção, filha legítima de Tomás Mendes e Juliana de Almeida e Silva, natural e batizada na freguesia de Santa Rita, filial desta Matriz de São João Del Rei”.

Hoje, o orago da referida ermida é Santo Antônio, conforme mostra a foto. Segundo Jorge Fernando Vilela, existe a possibilidade de ser uma referencia devocional ao patriarca Antônio Justiniano dos Reis, nascido em 19 de janeiro de 1846 e casado com Dona Idalina de Oliveira Costa, filha de João Batista de Oliveira Costa, nascido aos 10 de maio de 1835 e Eliza Felisbina de Oliveira, nascida aos 02 de setembro de 1939.

O único dado referencial a esta fazenda é o referido documento, acima citado, 1839. O anuário complementa o texto dizendo: “E foram surgindo novas fazendas, enormes e progressistas: Chamusca, Cobiça, Taquaral, Coqueiros, Saquarema e outras.

A referida ermida, como mostra a foto, fica na sala que corresponde a 1ª janela, à esquerda na foto da Casa de morado da Fazenda. Hoje, ainda pode-se visitá-la e se mostra com todo seu esplendor.
Ano de Sesquicentenário da elevação da Capela em Freguesia de Carmo da Cachoeira, ano 2007.

O 21º Anuário Eclesiástico da Diosese da Campanha de 1959, na folha 32, cita a provisão no ano de 1896 do Oratório na Fazenda da Serra, de Antonio Justiniano dos Reis.

Comentários

silva lemes disse…
Igreja de São Pedro de Rates – Rates, Póvoa do Varzim (Portugal).

A fase medieval do antigo mosteiro de Rates constitui um dos mais importantes capítulos da arte românica em Portugal. A sua importância na história monacal nacional, as relações que então estabeleceu com os poderes dirigentes e a relevância das formas arquitectónicas e escultóricas aqui empregues fazem deste monumento um verdadeiro caso de estudo, cujas conclusões ultrapassam, em muito, o mero conteúdo monográfico e reflectem-se em toda a produção românica do nascente reino de Portugal.
Veja mais em https://plus.google.com/u/0/collection/YrIWx
Richard Granov disse…
Wow! This old photo from farm looks very cool. I like all old photos, they can tell more stories that book of history) Thanks for taking the time and sharing with us this interesting information. I am hoping the same best work from you in future. If you need any paper assistance or advice - www.custom-paper-writing.org here to help you 24/7!

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.