Lucas é o evangelho da graça, dos pobres e dos pecadores.


Para receber a graça é preciso ter consciência do pecado e estar contrito.

Ao mesmo tempo em que tomamos consciência do pecado, Cristo mostra a perspectiva da graça, do perdão e da misericórdia.

Cristo nos abriga em sua morada e nos alimenta com o pão da Palavra e da Eucaristia. A imagem da figueira sem frutos lembra as infidelidades do povo e também a falta de acolhimento a Cristo. É necessário permanecer unido a Jesus, a verdadeira videira, para produzir bons frutos. Moisés acolhe o plano de Deus que vê, que ouve o grito dos oprimidos e desce para libertá-los. Eu sou aquele que sou. Eu sou aquele que estou presente na história e na vida de cada um de vocês. O Senhor é misericordioso e compassivo, paciente e cheio de bondade diz o salmista.

A quaresma pede a cada um de nós a conversão e mostra um Deus misericordioso e compassivo. A conversão parte do ser humano, mas é Deus que acolhe, pois tem consciência das fraquezas humanas. Ele nunca recusa acolher os fracos. Deus nos recebe quando pedimos perdão. A mudança de vida é acompanhada da mudança do coração, por isso ela brota do íntimo, lá das profundezas do ser.

As portas do Reino de Deus estão sempre abertas para que possamos participar da festa, pois há uma grande alegria quando o pecador se converte. “ Vem regozijar-te com teu Senhor “ (Mt.25,21). “Haverá nos céus mais alegria por um pecador que se arrepende do que por noventa e nove justos que não precisam de arrependimento” ( Lc. 15,7 ). “A quem corrige sua conduta , eu farei desfrutar a salvação de Deus” ( Sl. 50,24). A justiça divina é orientada pela bondade e pela paciência . Deus sempre oferece mais uma oportunidade,portanto, veja o que diz II Pd. 3,9: “ O Senhor não retarda o cumprimento de sua promessa, como alguns pensam , mas usa da paciência para convosco . Não quer que alguém pereça ; ao contrário , quer que todos se arrependam.

Conversão é adesão ao Reino e ter com ele compromisso. É atitude de pobre, de pequenino, de servo, de filho. Esse sair de si é algo que parte de nós mesmos. Ninguém pode fazer isso em nosso lugar, nem Deus. É um ato livre. A resposta é dada por cada um de nós.

Cristo não permitiu que se arrancasse uma árvore aparentemente estéril. A vida, bem como os frutos, ainda era possível, basta uma nova chance. Mas se não converterdes morrerão todos do mesmo modo. Quem não viver em atitude de conversão constante não apenas morrerá abatido por Pilatos ou esmagado pela Torre de Siloé, mas será entregue a um juízo último e definitivo e terá a morte eterna... “perecereis todos do mesmo modo”. Quem julga estar em pé tome cuidado para não cair.

Moisés fez a experiência do encontro com Deus. Converter significa fazer essa mesma experiência e os jovens no Brasil são convidados a encontrar-se intimamente com Cristo , irmanar-se e arrepender dos pecados numa contínua conversão. São chamados a evangelizar jovens , arrebanhar mais jovens para que convertendo- se permaneçam em pé, convertendo-se dêem frutos que permaneça , convertendo-se atuem dentro das comunidades e movimentos sociais , nas associações estudantis. Convertendo-se atuem na política e possam lutar em defesa da vida e da promoção humana.

Diácono Adilson José Cunha
01/03/2013

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.

A Família Campos no Sul de Minas Gerais.

Palanques e trincheiras na defesa dos quilombos.