1ª Missa de Padre Daniel em Carmo da Cachoeira.


A primeira de muitas Eucaristias celebradas em Carmo da Cachoeira...

Em tempos de transição, a Paróquia Nossa Senhora do Carmo recebeu, em 05 de Fevereiro, seu novo presbítero, Padre Daniel Menezes Fernandes, aquele que conduzirá este rebanho carmelitano nos próximos anos, com a graça de Deus.

Acima de todos os acontecimentos na celebração, pôde-se perceber uma divergência entre o presidente da celebração, Pe. Daniel e o concelebrante  Pe. André Luis da Cruz. Um, filho de Guapé, provido de enorme organização rotineira e apaixonado pela Liturgia; outro, tricordiano, com voz calma, olhar simples e coração sábio; ambos, com uma semelhança que os tornam "fundamentais" ao mistério eucarístico: "As mãos ungidas."

Fé e lágrimas fizeram desta celebração, um momento para refletirmos sobre a OBEDIÊNCIA que cada vocacionado à vida presbiteral carrega dentro de si. Segundo o Pe. André, em sua última homilia, no domingo, na Paróquia carmelitana, o Pastor é aquele que está junto ao seu povo, mas também é aquele que deve apascentar outras ovelhas. Assim, devemos acolher, com zelo, aquele que chega e, jamais deixar de agradecer e rezar por aquele que parte.

Alguns ilustres paroquianos da Sagrada Família, de Três Corações, vieram trazer o seu antigo pároco, para dar continuidade à missão que Deus o concedeu. Diante do Santíssimo Sacramento do Altar, Pe. Daniel os entregou nas mãos de Jesus Eucarístico e, à Padroeira de sua nova paróquia, a Senhora do Carmo, renovou sua vocação, lembrando de seu retiro antes de sua ordenação, no Carmelo de Três Pontas, deixando-se disponível à guiar suas ovelhas com amor e esperança.

Mesmo não querendo homenagens, algumas palavras foram pronunciadas pela tricordiana Marisa Arbex, aos padres Daniel e André, relacionando-os ao fim de missão em Três Corações e Carmo da Cachoeira, respectivamente, sobretudo ao momento de saudades que deixarão, citando um verso feliz e propício àquela hora: 

"Cristão não se despede e sim, se reencontra na Mesa da Eucaristia."

Afinal, quem foi e quem é hoje para nós, cachoeirenses, o jovem Pe. André que chegou e ficou nesta paróquia por 9 anos, 3 meses e 2 dias? E, quem é e quem será para estes mesmos paroquianos, o padre Daniel, sacerdote de coração aberto a nos dirigir e orientar na vida de fé? Responda quem puder e quiser.

Peçamos a intercessão da Virgem do Carmo para que este seja um tempo de amadurecimento e acolhimento mútuo nas Paróquias de Nossa Senhora do Carmo (Carmo da Cachoeira), Sagrada Família (Três Corações) e de São Sebastião (Pedralva), onde o padre André dará continuidade à sua missão, como pároco. 

Assim, deixo o verso da música "Canção de Pedro", para que cada sacerdote e vocacionado à vida cristã, possa refletir sobre sua missão e jamais se prender a um único lugar, mesmo que a experiência tenha sido feliz:

"Eu vou jogar minhas redes, onde o senhor me mandar
Certo de que vou enche-las de almas pro reino de Deus."

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.

A Família Campos no Sul de Minas Gerais.

Palanques e trincheiras na defesa dos quilombos.