Como realizar uma Santa Assembléia Paroquial.


“O Espírito Santo e nós decidimos!” (At 15,18)

A prática da realização das assembleias é bíblica e faz parte da caminhada de fé da Igreja. Já no livro dos Atos dos Apóstolos, que conta para nós o jeito mais original de ser igreja, vemos que os Apóstolos de Jesus Cristo e seus discípulos tinham o costume de reunir a comunidade para tomar decisões importantes. Com os primeiros cristãos aprendemos que ninguém é igreja na solidão ou no isolamento. Todo cristão batizado faz parte da comunidade, que vive da fé e para a fé, por isso precisa ser conduzida pelo Espírito Santo, que é o grande condutor da vida dos que acreditam em Jesus.

A Igreja somente se vê como o corpo de Cristo e como o rebanho que pertence ao Senhor quando reconhece que é uma instituição divina, porque assim foi querida por Jesus e porque nela o Espírito Santo age livremente, inspirando dons e carismas. Sem o Espírito Santo não somos nada e sem a presença do Espírito Santo a Igreja se tornaria uma associação como tantas que existem por aí.Portanto, para que aconteça uma santa assembléia é preciso:

1. Oração: pois esta é a força de todo apostolado cristão, a exemplo de Jesus que sempre rezava ao Pai antes de tomar qualquer decisão importante. Jesus foi homem orante, que nos ensinou a pedir a Deus o direcionamento de nossas decisões.
2. Ver a realidade: com os olhos da fé, com muita honestidade e espírito de amor à comunidade, enxergar a caminhada realizada. É muito bom olharmos de onde saímos e aonde chegamos, considerando todas as coisas que foram feitas. Quem sabe de onde veio, reconhece onde está, sabe aonde quer chegar.
3. Julgar a realidade: é dar valores a tudo que foi feito. Considerando o que foi bom, julgando com espírito cristão o que não foi bom, e olhando sempre para aquilo que é realmente necessário para que a comunidade cristã cresça e todos os seus membros se vejam edificados.
4. Agir a partir da avaliação da assembléia: após fazermos juízo de valor sobre todo o caminho percorrido, torna-se necessário perguntar: que igreja nós queremos? Pois, é a partir de uma avaliação bem feita, apresentando nossas conquistas e nossas falhas, que assumimos o propósito de continuar caminhando, embalados pelo desejo de atingirmos a meta que desejamos.

É muito importante, numa assembléia, estarmos motivados a deixar que o Espírito Santo mova os nossos corações e desperte em nós a decisão de realizarmos tudo que for preciso para que as mudanças aconteçam.

Não podemos ser tentados a somente ver e julgar e deixarmos as coisas continuarem do mesmo jeito, pois é no agir corajoso e destemido que iremos dar um novo rosto à caminhada pastoral e missionária da comunidade. Ver o que não está sendo bom e continuar fazendo do mesmo jeito é não abraçar a causa da comunidade.

Julgar tudo e todos, mas não sermos capazes de avaliar a nós mesmos também é muito perigoso, pois se não nos vermos nesse processo de mudança vamos atrapalhar a vida da comunidade. Além disso, agir sem ver com profundidade e julgar sem discernimento e sabedoria é fazer muito barulho, sem compromisso; é levantar poeira sem necessidade. O consagrado método Ver, Julgar e Agir é sempre muito bom para ser aplicado na realização das assembleias em nossas comunidades.

O mais importante mesmo é nosso amor à Igreja, pois quem ama a sua comunidade e dá a vida por ela sabe o quanto é preciso avaliar os passos dados, com honestidade e abertura de coração, deixando que o Espírito Santo trabalhe em nossas imperfeições e nos modele conforme a vontade de Jesus.

Que todos os convocados para a assembléia estejam concordes em promover o bem comum!Pois este é o verdadeiro espírito do cristão, que tem a missão de passar pelo mundo fazendo o bem, assim como Jesus fez.

Padre Sérgio Roberto Monteiro
Paróquia Nossa Senhora das Dores
Boa Esperança

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Antiga foto da fazenda da Serra de Carmo da Cachoeira.

Pesquisando a genealogia italiana