Os Jovens Construtores da Liberdade e as pastorais.


O Projeto Jovens Construtores da Liberdade surgiu na Comunidade São Pedro de Rates como esforçode uma equipe formada por lideranças de vários grupos e movimentos da Igreja de Carmo da Cachoeira. Como o projeto está se desenvolvendoa passos largos, queremos lançá-lo a nível paroquial, integrado aos outros movimentos e pastorais locais, para que caminhem juntos.

Não visamos tirar jovens que já estão inseridos em outros grupos; queremos uni-los e formá-los, como o próprio nome indica, para a liberdade, entendida no sentido de que todos são livres por fazerem escolhas. Percebemos jovens divididos sem saber onde se encaixar; este é um ponto a ser trabalhado, pois são decisões que precisam ser tomadas e devem ser amadurecidas. Queremos colaborar para que os jovens adquiram um espírito decidido, que os torne formadores de opiniões, que tenham senso crítico, que saibam o que é melhor para eles. O projeto visa também propiciar-lhes melhor compreensão de si mesmos e percepção de seus dons. A vivência grupal irá sendo construída a partir de encontros marcados pelos ideais de defesa da vidaem todos os níveis e em ambiente harmonioso de paz, que se define pela forte presença de Deus. Buscamos uma paz que é coerente com a nossa fé e que é fruto da justiça de quem crê em Jesus Cristo. O primeiro passo é devolver a Deus o lugar que lhe pertence: o coração do homem. O Papa João Paulo II já nos dizia que a família é o “santuário da vida”; por isso, buscamos o apoio da Pastoral Familiar e do ECC, os quais poderão estar conosco ajudando a viabilizar novas formas de agir para levar este trabalho adiante.

Inspirados pelo Espírito Santo, queremos formar estes adolescentes e jovens, iluminando-os em seu contexto eclesial e familiar. Tendo a família como berço das vocações, queremos chamar a atenção deles para esse valor. Como a Igreja se organiza por pastorais, queremos caminhar juntos, pois todas estão entrelaçadas; mas há certa dependência da atuação da Pastoral Familiar para que as outras tenham um bom desempenho: se a família vai mal a sociedade também vai mal. Estamos seguindo o que a Igreja prega: que devemos rezar pela unidade dos Cristãos; de certa forma movimentaremos toda a Paróquia.

Toda pastoral e todo movimento possuem uma espiritualidade que os sustenta; do contrário teriam seus dias contados. A mística da Pastoral Familiar e do ECC é promover a cultura da vida e do amor na família. A Pastoral Catequética e da Juventude seguem comprometidas em tornar os fiéis cada vez mais discípulos missionários para que em Deus todos tenham vida e a tenham em abundância. A RCC cultiva a oração, a partilha e a vivência do Evangelho, trabalhando sempre na descoberta e valorização dos dons de cada membro. O Grupo de Formação deCorinhas visa o aprofundamento na fé e o colocar-se a serviço das celebrações. A Pastoral da Ecologia age no serviço evangelizador zelando pelas criaturas, protegendo a vida humana e a do meio ambiente. O CAC zela para que a missão chegue até as casa; sendo assim, seu foco deve sempre ser o Cristo. Já a Pastoral da Comunicação é o elo entre todos os eventos das pastorais e dos movimentos;é instrumento de evangelização e conversão.

Na fase de elaboração do projeto, uma preocupação era: que espiritualidade adotar?No entanto,isso não é adquirido da noite para o dia, mas requer um processo de construção. Analisando o tipo de trabalho desenvolvido pelo projeto, que visa à descoberta dos dons dos jovens, à sua formação em diversos campos, conforme a vocação de cada um, religiosa ou não, ou seja, uma formação humanística e espiritual, chegamos à conclusão de que o “Projeto Jovens Construtores da Liberdade” segue a mesma mística da Pastoral Vocacional, que busca levar os participantes à maior compreensão de si mesmos e de seus dons. É, pois, um movimento que surgiu como ramificação dela.

Romário Lima e Leonor Rizzi

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.