Sejamos discípulos missionários de Jesus Cristo!



O informativo paroquial tem como missão contribuir para que as famílias e as comunidades sejam estimuladas a aprofundar o conhecimento de que Jesus é o caminho que conduz os fiéis cristãos à casa do Pai. O conhecimento é o caminho para o amor; em sua plenitude o conhecimento identifica-se com o amor. Com esse objetivo é que o Informativo A Padroeira deve entrar mensalmente nos lares dos paroquianos, e também para que as matérias ali publicadas sejam debatidas nos conselhos, nos movimentos, nas ONGs e nas associações. Temos a esperança de que o esforço mensal da equipe que prepara o jornalzinho esteja contribuindo para que as famílias e nossas comunidades realizem sua própria transformação, através do conhecimento ali veiculado.

A Paróquia de Nossa Senhora do Carmo de Carmo da Cachoeira deve viver em comunhão; nossa Igreja deve assumir a identidade de Povo de Deus em marcha; deve ser uma Igreja que transcenda os limites das paredes de sua construção, tornando cada fiel uma Igreja Viva e levando cada família a participar ativamente na comunidade. Nossa Igreja cresce muito quando entendida assim: ela é todo espaço, com ou sem paredes e teto, onde os fiéis se reúnem para celebrar a vida em comunhão com Nosso Senhor Jesus Cristo. E o conceito de família também se expande: ultrapassa os limites dos laços sanguíneos para abraçar os irmãos espirituais e, dessa forma, fazer parte da família de Jesus, daquela que realiza a vontade do Pai, permitindo que vislumbres do Seu Reino cheguem até aqui na Terra. Esta é a família comunitária, onde todos vivem a fraternidade, guiados pelos ensinamentos de Jesus e firmados na fé, na esperança e na caridade.

Essa imagem da nossa Igreja como povo, como Povo de Deus, é o que pretende retratar as edições do Informativo, em textos, fotos e ilustrações. Cada assunto ali publicado deve trazer as marcas do nosso caminhar cristão e dos novos passos dados pela Paróquia na construção de uma sociedade solidária. Deve divulgar os valores evangélicos, a ética que Jesus pregava, contribuindo para o desenvolvimento da consciência cristã e para a formação do caráter e da moral do “justo”, conforme o entendimento de Jesus. Jesus dizia: aprendei de mim que sou manso e humilde de coração; meu julgo é suave e meu fardo é leve. Abracemos, pois, a humildade e o serviço, na alegria da comunhão de vida com o próximo e com Deus, e sejamos verdadeiros discípulos de Jesus, levando nossa ação missionária de evangelização aos necessitados, aos sofredores, aos pobres e oprimidos.

A Igreja do povo peregrino antecipa o final dos tempos, quando Deus reunirá aqueles que vêm da grande tribulação para o banquete do Cordeiro. Essa ideia é expressa pelo Documento de Aparecida, nos seguintes termos:

A Igreja peregrina vive antecipadamente a beleza do amor que se realizará no final dos tempos, na perfeita comunhão com Deus e os homens. Sua riqueza consiste em viver, já neste tempo, a comunhão dos santos, ou seja, a comunhão dos bens divinos entre todos os membros da Igreja, em particular entre os que peregrinam e os que gozam da glória.

Pastoral da Comunicação

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.

A Família Campos no Sul de Minas Gerais.

Palanques e trincheiras na defesa dos quilombos.