O santo papa São Gregório Magno.



Jesus confiou sua Igreja a Pedro, o primeiro Papa. Todo missionário deve buscar conhecer e amar sua Igreja e ouvir com muita atenção e carinho as orientações dos queridos papas, que são os sucessores de Pedro. No mês passado, lembramos de São Pio X, que nos ensinou muitas coisas com o seu testemunho de autêntico cristão. Sua colaboração foi decisiva para a sistematização dos seminários que, desde então, tem ajudado muito na formação dos padres. Hoje queremos trazer um pouco do testemunho de outro grande santo: o Santo Padre Gregório Magno.

São Gregório (Gregório significa "vigilante") nasceu em Roma, no ano 540, numa família nobre que muito o motivou à vida pública: elechegou a ser um ótimo prefeito de Roma, pois era desapegado dos próprios interesses, devido sua constante renúncia de si mesmo. Atingido pela graça de Deus, ele vendeu tudo o que tinha para auxiliar os pobres e a Igreja. São Bento exerceu forte influência em sua vida, motivando-o a fundar muitos mosteiros e a ingressar para a vida religiosa do "Ora et Labora".

Um homem certo, no lugar certo foi Gregório, poistinha elevado senso de dever, de medida e de dignidade. Cultivou intensa vida interior, bem expressa em seus escritos sobre o 'ideal do pastor': "O verdadeiro pastor das almas é puro em seu pensamento. Sabe aproximar-se de todos, com verdadeira caridade. Eleva-se acima de todos pela contemplação de Deus."

Com a morte do Papa da sua época, São Gregório foi escolhido para a Cátedra de Pedro, no ano 590.Chefiou com segurança a Igreja, num momento de fortes mudanças e instabilidades provocadas pela transição para a época medieval.

São Gregório Magno, Papa e Doutor da Igreja, que conquistou o Céu com 65 anos de idade (no ano 604), deixou marcas em todos os campos de sua atividade, valendo lembrar que na Liturgia há o Canto Gregoriano, o qual eleva os corações a Deus, fonte e autor de toda santidade.

São Gregório Magno, rogai por nós!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.

A Família Campos no Sul de Minas Gerais.

Palanques e trincheiras na defesa dos quilombos.