Esfriamento do fervor no Retiro Diocesano de Varginha.

A CAMINHADA DAS SANTAS MISSÕES POPULARES


Passado o retiro diocesano, em outubro do ano passado, as paróquias deram início aos retiros paroquiais. Algumas muito motivadas, outras nem tanto... Percebe-se um esfriamento daquele fervor todo, desde o primeiro retiro realizado em Varginha, em setembro de 2010.

Vários motivos poderiam ser elencados, a falta de compromisso de alguns, a mudança dos padres em certas paróquias, por isso, independente de se achar esse ou aquele culpado, é necessário que saibamos avaliar a caminhada até agora, principalmente nossa caminhada como pessoa, a partir do que foi proposto no terceiro retiro. Cada um dos retiros foi marcado por símbolos, gestos e temas, obedecendo à metodologia das SMP, tão bem descrita no livro do Pe. Luis Mosconi, visando à preparação dos missionários e de toda a comunidade para a vivência da Grande Semana Missionária. Assim, no primeiro retiro tivemos o estudo do Evangelho de Lucas, a definição de SMP, espiritualidade missionária, liturgia e a apresentação dos blocos de atividades, aquelas propostas de conhecer nossa história, nossos passos na caminhada, nos objetivos em comum. O gesto daquele momento foi o acendimento das velas e o saquinho de sementes, muito propícios para o início dos trabalhos.

No segundo retiro continuamos o estudo do Evangelho, o de Mateus: importante lembrar que é o Evangelho do ano litúrgico. Lembram-se da dica de copiar o Evangelho todo? Pois é, essa dica é para sempre, para todos os anos, para que o estudo do Evangelho seja uma constante descoberta em nossas vidas. Além do estudo, vimos mais sobre espiritualidade missionária e as visitas, além do gesto que foi a unção dos missionários, tão representativo nos rituais de nossa fé.

Já no terceiro retiro, além do estudo do Evangelho, este ano é o de Marcos, tivemos mais espiritualidade, visitas e a preparação da grande Semana Missionária, entretanto, a mensagem central desse retiro foi a Conversão, por isso uma fala exclusiva sobre esse tema, preparatória para o recebimento da cruzinha missionária. Somente uma conversão diária, verdadeira e motivada pelo amor gratuito de Jesus Cristo, poderá nos fazer ir adiante com esse projeto tão bonito das SMP.

Lembro-me que no primeiro encontro do Pe. Mosconi com padres e leigos de toda a diocese, em fevereiro do ano de 2010, ele mandou que cada um se virasse para o lado e dissesse ao companheiro: “Se você desistir no meio do caminho, você não presta!” Palavras fortes que poderiam chocar qualquer pessoa, mas que foram ditas com doçura, firmeza e graça, mostrando que era um projeto sério e só daria certo se contasse com a adesão fiel de cada um.

Por tudo isso, não é hora de desanimar, deixar que a chama se apague ou que as sementes se percam. Renovemos nosso compromisso com os objetivos das SMP para que possamos realizar verdadeiras Semanas Missionárias, um tempo de graça e bênçãos para toda a Igreja que tanto amamos.

Equipe Formadora da Área João Paulo II

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.

A Família Campos no Sul de Minas Gerais.