Santa Mônica de Hipona e a força da oração.

– 27 de agosto –

Santa Mônica nasceu no norte da África, por volta do ano 331. Casou-se aos 20 anos com Patrício, um jovem pagão, rude, de caráter volúvel, afeito a tiradas coléricas. Mónica tinha com ele enorme paciência e prudência, atributos que buscava nas orações fervorosas. Passou sofrimentos e provações suportando tudo com fé e mansidão. Era admirada pelas amigas por ser sempre conselheira e consoladora das esposas que se sentiam magoadas pelo comportamento dos maridos, muitas vezes violentos e hostis.

Preocupada com seu filho Agostinho que levava uma vida dissoluta e desregrada, com fé orava pela sua conversão, o que conseguiu pouco antes de morrer, aos 56 anos de idade. Consta que orou durante 33 anos para atingir este objetivo. Santo Ambrósio, bispo de Milão, com seus magníficos sermões, foi o instrumento usado por Deus para conseguir a conversão ao cristianismo católico daquele que mais tarde seria um dos maiores doutores da Igreja: Santo Agostinho. Ele assim se referia a sua mãe: "Criou seus filhos, gerando-os de novo, tantas vezes quantas os via afastarem-se de Deus".

Santa Mônica é testemunho eloquente de que tudo pode ser mudado pela força da oração.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.

A Família Campos no Sul de Minas Gerais.

Palanques e trincheiras na defesa dos quilombos.