Cristo Nasce do Fundo da Alma!

“Onde está aquele que nasceu como o rei dos judeus?” (Mt 2,2)

Ele está aqui, onde sempre esteve e estará: no meio de nós, em nossa alma. A alma é naturalmente nobre porque foi formada à semelhança de Deus. Essa imagem deve ser cuidada e levada à plenitude com o nascimento do Cristo em nossa alma, que vem para reinar em nós. É quando Ele nasce em nosso interior que a alma recebe luz, graça e bem-aventuranças. Todo bem em nós só pode provir daí.

Se almejo o bem, devo preparar a manjedoura da minha alma, purificando-a, limpando-a, para acolher esse nascimento sagrado. É minha responsabilidade zelar por essa criança divina em minha alma, para que ela cresça, cresça e expanda seu reinado por todo o meu ser. Agindo assim, poderei permanecer no bem, na luz e na graça de Deus, pois quem me guia, quem dirige os meus atos é o próprio Cristo que abrigo em minha alma.

Na medida em que acolho dignamente esse nascimento da criança divina, Deus concede-me participar dos seus dons e envia grande luz para minha alma, a fim de que ela possa irradiar abundantemente a bondade do Pai em sua volta. Deus se derrama na alma com tal luz que ela transborda da essência da alma para o exterior, revestindo tudo ao redor com a luz do amor.

“A luz resplandece nas trevas e as trevas não a compreenderam.” (Jo 1,5) Isto quer dizer que o pecador não recebe essa luz, pois rejeitou-a ao envolver-se nas trevas da maldade. Com seus atos malignos e falsidades, ele bloqueou, entulhou o canal por onde a luz poderia entrar em sua alma. Se ele quiser receber a luz, precisará limpar esses entulhos de sua alma.

Deus não nega a luz à pessoa alguma, pois, do justo ao pecador, toda alma é imagem de Deus. A imagem mais perfeita de Deus é a alma que escolhe o caminho reto; mas aquela que se imiscui no mau caminho deturpa a imagem de Deus. Porém, Deus quer recolher todas as almas para Si; por isso concede-nos sua misericórdia. E basta que o pecador arrependido deixe o caminho da perdição e volte-se para Deus, que a luz começará a brilhar em seu íntimo e todo o seu entendimento será iluminado: saberá o que deve fazer e o que deve deixar de fazer e receberá muitas boas indicações. Seu coração será tocado intensamente e ele o atrairá cada vez mais para Deus, que o instruirá no caminho da verdade. Então dirá “Com teus preceitos sou capaz de discernir e detestar todo caminho mau.” (Sl 119,104) Santo Agostinho diz: “Eis que habitavas dentro de mim e eu te procurava do lado de fora!” (Confissões X, cap. 27, § 38) São muitos os que buscaram a luz e a verdade, mas buscaram fora, onde elas não estavam. Assim, tanto se afastaram para fora, para o exterior, que jamais conseguiram voltar para dentro nem encontrar o reino interior. E aí, do lado de fora, não encontram a verdade, pois a verdade está no interior, no fundo, e não no exterior. Quem quiser encontrar luz e discernimento deve buscar e acolher esse nascimento no fundo de sua alma, então todo o seu ser será iluminado. Pois tão logo Deus toca o íntimo, imediatamente a luz irradia-se a todas as potências da alma e o homem começa a compreender mais do que alguém poderia ensinar-lhe. “Compreendi mais do que todos os que jamais me ensinaram.” (Sl 119,99)

Quem quiser sediar esse nascimento deve buscar Deus no silêncio de sua alma. É no interior de mim mesmo que posso encontrar aquele que nasceu para ser o rei do reino que não é deste mundo. Todo o restante devo ultrapassar se quiser receber a luz do rei.

Que aquele que se tornou filho do homem para que nos tornemos filhos de Deus nos ajude a superar e abandonar tudo o que não é do agrado desse rei!

(Paráfrase de trechos do Sermão 102, de Mestre Eckhart, in Sermões Alemães 2)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.

A Família Campos no Sul de Minas Gerais.