Retrospectiva do Mês Mariano 2012.



Maio, mês em que voltamos nossos olhares com mais profundidade à Mãe do Filho de Deus, foi rico em vivências marianas: Senhora de Fátima, Maria em Pentecostes, e Visitação de Nossa Senhora. Formaram-se grupos para a recitação do Terço, para organizar a Coroação de Maria e para o estudo de trechos do Evangelho onde Maria é citada. Lembramo-nos que, depois do Ascensão de Jesus, os discípulos voltavam para Jerusalém, caminhando com Maria, a mais preciosa herança de Jesus; “E o discípulo a levou para sua casa” (Jo 19,27). Para todos, a Mãe de Jesus foi amparo e consolação naquele tempo, quando ainda não tinham recebido a força do Alto.

Tu és bendita mais do que todas as mulheres; bendito é também o fruto do teu ventre! Como me é dado que venha a mim a mãe do meu Senhor?” (Lc 1,42-43). As palavras de Isabel, cheias da sabedoria de Deus, emitidas sob a ação do Espírito Santo em seu coração, tiveram o dom de fazer o coração de Maria transbordar e Ela rezou um dos mais belos hinos que desta terra se elevou aos céus:

A minh’alma engrandece o senhor, e se alegra o meu espírito em Deus, meu Salvador...” (Lc 1,46-47)

Nessa oração está o registro do testemunho vivo de Maria em sua experiência de Deus.

“Ave, cheia de graça, o Senhor é convosco!”

Por ocasião da Anunciação, Gabriel, o mensageiro de Deus, revelou-lhe que Deus cumpriria nela as promessas que havia feito a seu povo. Com a encarnação de Jesus, através do SIM de Maria, se completa “o tempo previsto” e Jesus nasce “de uma mulher” (Gl 4,4). O Cântico de Maria é um testemunho vivo e atual. “Deus é amor!” (1 Jo 4,16).

Maria, adolescente, habitante de uma pequena cidade perdida no mapa do mundo, foi o Sacrário do Templo Vivo, da Fonte de Água Viva, Jesus Cristo. Serva de Deus, na sua humildade, na sua entrega total aos planos divinos, Maria, com sua maneira de viver a Palavra, é aquela que nos leva sempre aos braços de Jesus. Durante nossos encontros marianos intercedemos ao Pai pelo dom da perseverança, através do qual possamos ter a coragem de assumir continuamente nossa pequenez, para que a graça divina possa nos transformar em rochas e nossa existência evangélica ser exemplar para a comunidade.

Neste mês de maio, pedimos a intercessão de Maria para que nos aproximemos cada vez mais dos irmãos de caminhada, que vivem o mesmo chamado, a mesma entrega e a mesma meta evangélica; para que Ela nos ensine a caminhar para dentro de nós mesmos, para ouvir, na voz do silêncio, o que Deus inscreveu em nossos corações e que deveremos partilhar com os irmãos de caminhada. Muitos são os que se alimentam da Água Viva e marcham no silêncio de uma vida escondida em Deus. Alguns desses irmãos necessitam de nossas orações para poderem se manter em marcha no serviço missionário de mostrar ao mundo a Luz de Jesus Cristo.

Dobremos nossos joelhos diante de nossa Mãe Maria e peçamos que Ela faça de nós exemplos de sua vida, que nos ensine a sempre dizer sim, sem jamais titubear, aos chamados de Deus. Hoje, sob a força da oração e da frequência à sagrada mesa da Eucaristia, proclamemos: “Que minha boca proclame o louvor de Javé, e todo ser vivo bendiga seu nome santo eternamente e para sempre” (Sl 145,21). “Enquanto meu espírito desfalece, vós conheceis meu caminho” (Sl 142,4).

Com Maria, morada de Deus, o Templo Santo do Senhor, aprendamos a construir o templo da vida no amor, na oblação e na esperança” (Deus Conosco, p. 118).

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.

A Família Campos no Sul de Minas Gerais.