O Divino se Humaniza - Jesus era Deus.


É verdade este título: O DIVINO SE HUMANIZA.

Com o acontecimento da encarnação do Filho de Deus, Jesus, há um lindo mistério revelando-se ao alcance do intelecto humano. “No princípio era o Verbo e o Verbo se fez carne e habitou entre nós.” (Jo 1.1) Sim, Deus, essência divina, torna-se humano, em forma de pessoa, carne e osso. Deus, teologicamente, não pode humanizar-se. Por isso, enviou seu Filho para que se tornasse um ser humano. Então, na pessoa de Jesus, podemos dizer, sem perigo de heresia, que Deus se humaniza. Lembramos também que Deus não morre. Morreu na pessoa de Jesus. Deus não ressuscita. Ressuscitou na pessoa de Jesus. Como é bom degustar isso, como é saudável apalpar esses mistérios.

Fazendo esta pequena introdução para clarear, lembramos que houve um grupo de pessoas, especialmente no início da Igreja, que não entendia, não concordava, não aceitava essa realidade. Um dos líderes desse grupo, chamado Ario, afirmava que Jesus não era Deus, mas somente Homem. Leitores, já notaram que esse tal senhor de nome Ario era bem cabeça dura? Pois como pode um homem ressuscitar? Como pode um homem ressuscitar Lázaro? (Jo 11) Ressuscitar, fazer milagres, ninguém pode, somente Deus. Mas, até hoje tem tanta gente igual a Ario, não é mesmo? Graças a Deus que nós não somos como Ario! Nós acreditamos que Jesus é Divino e Humano-Deus, Homem-Deus. Vejam como esse senhor Ario era implacável: Concílio o de Nicéia (ano 325) e o Concílio de Constantinopla (ano 381), disseram e provaram que Jesus era Deus e homem - Divino e Humano. Acreditem que o tal Ario (ou Arius) não entendeu! Vamos deixar Ario de lado e vamos falar sobre gente inteligente.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.