Padre José Procópio Júnior em Carmo da Cachoeira

Imagem
Paróquia Nossa Senhora do Carmo sob nova guiança Editorial Sai Pe. Daniel Menezes, e assume como administrador paroquial da acolhedora cidade de Carmo da Cachoeira, em fevereiro de 2019, o Pe. José  Procópio Júnior.
"Não cabe à pedra escolher o lugar que deve ocupar no edifício. Assim também não cabe à nós criaturas ditar ao Criador o que deve acontecer em nossa vida, pois Deus é quem sabe e dispõe com sabedoria própria." − Dom Servílio Conti, IMC Como página que observa os acontecimentos neste pedaço de chão mineiro, limitado por montanhas e que, segundo o cachoeirense Padre Godinho, “todas são azuis”, registramos o remanejamento ocorrido entre padres ligados a Diocese da Campanha no ano de 2019. Entre as mudanças encontra-se a Paróquia Nossa Senhora do Carmo/Carmo da Cachoeira – MG.

Sai nosso querido Padre Daniel Menezes. Por ele continuamos a rezar e o devolvemos, entre lágrimas e a esperança de um dia tê-lo entre nós. Somos eternamente gratos e devedores. Entra, aureola…

Mês de Maio - Mês das Mães


A Pastoral do Crisma irá realizar, no dia 12 de maio, a Segunda Serenata para homenagear algumas mães de nossa comunidade. As homenageadas representarão todas as mães que conceberam filhos, nascidos ou não, e aquelas que, apesar das dificuldades da vida, souberam educar seus filhos a Luz da Palavra de Deus. Iremos nesse dia levar nossa admiração e nosso carinho para as mães. Este foi um jeito simples que a Pastoral encontrou para homenageá-las.

Achamos a ocasião oportuna para refletirmos, numa linha amorosa e fraterna, a questão do aborto. Para auxiliar-nos na reflexão procuramos a Beth Mansur, dada a vivência que ela teve durante sua terceira gestação. Transcrevemos a seguir o que ela nos relatou:

Quando eu estava no segundo mês de gestação, recebi um diagnóstico de rubéola e toxoplasmose. Foi formada uma junta médica com um clínico e dois obstetras. Todos decidiram a favor do aborto, pois, segundo eles, a criança nasceria com deficiência física e mental, com a falta de algum membro, e o bebê teria pouca chance de sobrevivência. Mas eu não aceitei a posição da junta médica e disse não. Optei pela vida, valendo-me do direito moral que me foi dado de optar entre o bem e o mal, entre o justo e o injusto, a cultura da morte e da vida, entre viver ou não os ensinamentos de Jesus Cristo.

Minha filha nasceu saudável, sem qualquer defeito físico ou mental e hoje está com 30 anos; deu-me recentemente a alegria de ser avó de uma linda menina que está com 8 meses.

Lembro-me de um soneto escrito pelo movimento GBM, liderado por Richard Thaimann, especialmente de um trecho que enfoca a morte de Jesus na cruz e diz o seguinte:

“Tu morres. Eu também. Tu és inocente. Eu também. Lembra-te de mim, quando entrares no teu Reino, no teu Reino de Vida Eterna.”

Portanto, fui e sou hoje uma defensora da vida, contra a lei do aborto. Ninguém tem o direito de decidir sobre a vida de ninguém. Portanto, é preciso dizer não ao aborto em qualquer circunstância.

Que o maternal amor de Maria possa envolver cada mãe de nossa comunidade paroquial!

Pastoral do Crisma

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Antiga foto da fazenda da Serra de Carmo da Cachoeira.