Procissão do Senhor dos Passos e as Crianças.

Crianças da São Pedro de Rates iluminam o Caminho do Calvário

As crianças são moradoras da Rua Glicério Chagas. Coordenadores de novenas e encontros organizaram o evento que marcou a presença ativa da comunidade, no trecho que corresponde à Comunidade São Pedro de Rates. A procissão teve início após a celebração realizada na Igreja de Sant’Ana e Frei Galvão, de onde saiu o Senhor dos Passos a caminho do ENCONTRO com sua mãe – Nossa Senhora das Dores. O tema proposto para reflexão foi: “No caminho do Calvário, Mãe e Filho se encontram”. Um encontro simbólico que acontece entre a mãe sofredora e o filho que carrega a cruz.

Como enxergar este acontecimento nos dias de hoje? Como sendo um encontro que deveremos também nós realizar. A trajetória a seguir é ir para dentro de nós mesmos. Os passos dados por Jesus no caminho do Calvário devem ser repetidos por nós mesmos: devemos caminhar para o encontro de nosso próprio eu com nossa alma.

Ao caminharmos em procissão, subindo e descendo morros, cantando, rezando, ofertando a Deus nossos sacrifícios em pura entrega e doação, estamos sendo transformados pela força do Amor Manifestado. Transformados no mais profundo do nosso ser pelo poder e pela graça da misericórdia divina. Tenha fé, acredite que ao término da procissão você não será mais o mesmo, que você estará mais iluminado e, então, descobrirá os pontos de morte que estão instalados dentro de você; descobri-los, reconhecê-los e transformá-los: isto é o ENCONTRO!

Na mãe temos o exemplo de uma mulher de fé. É ela que vem em nosso auxílio e nos leva a perceber o dom presente em nosso coração, ensinando-nos a forma de disponibilizá-lo para que a comunidade usufrua daquilo que lhe é de direito. Nada de cultura da morte: o último sangue derramado foi e deve ser o de Jesus Cristo, o mediador do humano com o divino. O ENCONTRO realizado em nosso interior nos levará ao novo homem. Passaremos a vivenciar e a difundir a CULTURA DA VIDA como seres harmoniosos, através de uma relação afinada com Deus, com o próximo e com todos os seres da natureza.

Santo Agostinho já dizia que nossa alma andaria inquieta até o dia em que viesse a encontrar repouso em Deus. Nossa alma, por sua natureza, anseia pelo convívio com Deus. Essa fusão de nossa alma com Deus é o que representa a Procissão do Senhor dos Passos. É um imenso desafio ao qual não deveríamos nos furtar. Tudo ali é muito nobre e sagrado: o clima é de penitência e de humildade, marcas profundas da Semana Santa que poderão realizar em nós transformações e proporcionar nosso ENCONTRO pessoal com o Divino, o Sagrado dentro de nós.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.

A Família Campos no Sul de Minas Gerais.

Palanques e trincheiras na defesa dos quilombos.